Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Carapuça, Spazio, Urbana Legion, NX Zero, Camisa de Vênus e Detonautas se apresentaram em Santo André
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Numa edição especial  Dia do Rock (13/07), as bandas "da casa" Carapuça e Spazio se apresentaram junto com os grandes nomes da Urb...
Numa edição especial  Dia do Rock (13/07), as bandas "da casa" Carapuça e Spazio se apresentaram junto com os grandes nomes da Urbana Legion, NX Zero, Camisa de Vênus e Detonautas, no Parque Central de Santo André.

Leia tudo o que rolou abaixo:


Começando por volta das 13h, subia no palco a Carapuça, banda de Hard Rock/Heavy Metal que toca músicas do disco de estreia, além de faixas do próximo disco. Em Janeiro, a banda tocou na Cidade Matarazzo, num evento que teve Urbana Legion, Brothers of Brazil, Ira!, Mattilha e outros (saiba como foi).
A segunda banda a tocar também é da cidade do evento, Spazio subiu no palco por volta das 13h45 e tocou por volta das 45 minutos.


Uma das principais atrações do dia, Urbana Legion (formada por Marcão Britto, Lena Papini, PG e Egypcio) subiu no palco por volta das 15h e fizeram um "pocket show" com duração de 1h.

Não tendo o tradicional instrumental, o show foi iniciado com Há Tempos, e foi mostrado como seria a pegada do show da Urbana Legion. Com arranjos alterados e dando destaque as guitarras e um som mais forte do que nas versões clássicas da Legião Urbana, mas sem alterar o ritmo e a essência principal de cada um.


O show continuou com Teorema, música que normalmente é a segunda a ser tocada nos shows do grupo, e seguiu com os hits Ainda É Cedo, Eu Sei, Andréa Dória (a talvez favorita dos Legionários), Será e Tempo Perdido (com participação do Ivan Sader), sendo um trecho que mostra a máquina de hits que era a Legião Urbana.

Depois dessa sequência de hits, foi a de vez de tocar Daniel Na Cova Dos Leões, uma música que talvez não seja muito conhecida por quem não é fã de verdade da banda, sendo um dos "Lado B" que são executados no show.


Encaminhando para o final do show, foram tocadas as músicas Geração Coca Cola, Que País É Esse, Pais e Filhos, Índios e a versão impressionante e completa de Faroeste Caboclo (incluindo solos de guitarra nos dentes, feito por Marcão e tudo que tem direito).

O show teve cerca de 1h (normalmente tem 2h30) e o seguinte setlist:

  1. Há Tempos
  2. Teorema
  3. Ainda É Cedo
  4. Eu Sei
  5. Andréa Dória 
  6. Será
  7. Tempo Perdido 
  8. Daniel Na Cova Dos Leões
  9. Geração Coca Cola 
  10. Que País É Esse 
  11. Pais e Filhos 
  12. Índios
  13. Faroeste Caboclo 
  


20 minutos depois, a banda NX Zero subia ao palco do #MixAoVivo. Com um acordo assinado recentemente com a Deck Disc e o lançamento de um novo disco, a banda passa por sucessos dois 5 discos anteriores, além de duas músicas no disco Norte, durante 1h de show.


Às 18h subia no palco um dos maiores nomes do rock nacional, formada em 1980, o grupo Camisa de Vênus voltou com Marcelo Nova e Robério Santana (ambos da formação original) para uma turnê de 35 anos de estrada. Junto com eles estão a banda da carreira solo do Marcelo Nova (que conta com seu filho Drake Nova, filho de Marcelo, na guitarra; Leandro Dalle na outra guitarra; e Célio Glouster na bateria).

Passando por grandes hits do grupo (e todos nos arranjos originais), o show abriu com a música Bota Pra Fuder (do disco Plugado - Ao Vivo) e logo em seguida já tocou a música Hoje (do disco Batalhões de Estranhos, a música deve ser a mais famosa do grupo, pelo menos para conheceu o trabalho deles nesse show). Ainda desse disco, foram apresentadas as músicas Gotham City e o hit Eu Não Matei Joana D'Arc.


Outros hits como Deus Me Dê Grana, A Ferro E Fogo, O Adventista, My Way e Silvia também  foram tocados no show, que teve o seguinte setlist:

  1. Bota Pra Fudê
  2. Hoje
  3. Bete morreu
  4. Rosto e aeroportos
  5. Deus me dê grana
  6. Gotham City
  7. Passatempo
  8. Negue
  9. A ferro e fogo
  10. Muita estrela, pouca constelação
  11. Só o fim
  12. O adventista
  13. My Way
  14. Simca Chambord / O Ponteiro Tá Subindo
  15. Silvia
  16. Eu não matei Joana d'Arc


Última atração do dia, Detonautas subiu ao palco por volta das 19h30, mostrando que se engana quem pensa que a banda ficou "travada" nas músicas melódicas e de letras amorosas lançadas no início da carreira. Depois de seis anos sem um lançamento de disco oficial, ano passado eles mostraram amadurecimento de estilo, riffs, batidas, letras e muito mais, com um disco que se destaca principalmente o Hard Rock.

Mostrando que o hard rock estaria presente em grande parte do show, ele começou com Forever Alone, Combate, Ladrão de Gravata (lançada em 2003) e Seja Forte Pra Lutar (do disco A Saga Continua, vale a pena procurar o clipe da música).

Tocando também as músicas antigas e que são singles da banda, foi a vez da sequência com Quando O Sol Se For, O Amanhã, Send U Back e O Dia Que Não Terminou.

O show teve algumas participações de amigos, o primeiro deles foi o Egypcio (Tihuana/Urbana Legion), que voltou para o palco 5h depois, para cantar Tempo Perdido. Outros amigos que participaram do show foram Ivan Sader (que cantou Killing in the Name e participou do show da Urbana Legion) e o Marcão (que tocou guitarra, durante um cover do Charlie Brown Jr.) 

O setlist completo do último show foi:
Forever Alone
Combate
Ladrão de gravata / Que País É Esse?
Seja Forte Pra Lutar
Quando o sol se for
Você me faz tão bem
O amanhã
Melhor Plantar O Bem
Send U Back
O dia que não terminou
Tempo Perdido (com Egypcio Tihuana)
Quem É Você? 
Olhos certos
Killing in The Name (com Ivan Sader)
Tudo que ela gosta de escutar (com Marcão Britto)
Só por hoje
Outro lugar 

Postar um comentário

 
Top