Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Entrevista com Marcão Britto (Charlie Brown Jr. / Bula Rock / Urbana Legion)
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
A entrevista do mês de Março com o mito Marcão [Marco Britto] , eterno guitarrista do Charlie Brown Jr , BULA ROCK e Urbana Legion . Saib...
A entrevista do mês de Março com o mito Marcão [Marco Britto], eterno guitarrista do Charlie Brown Jr, BULA ROCK e Urbana Legion. Saiba como ele começou sua carreira, Charlie Brown Jr., projetos paralelos, EXPECTATIVA COM O LOLLAPALOOZA (Faltam 28 dias) e muito mais em ENTREVISTA EXCLUSIVA!!


Como e quando você entrou no meio musical?

Meu primeiro contato com a música foi em casa através dos discos dos meus pais, que iam de Bill Haley a Elis Regina. Minha mãe é pianista formada e o seu piano foi o primeiro instrumento que tive contato. Nessa época era bem novo, tinha uns seis anos de idade. Ganhei meu  primeiro violão aos 10 anos e em pouco tempo já estava tocando em uma banda no colégio, Era tudo muito autodidata, na raça mesmo.

Pouca gente sabe, mas você já  foi corretor de imóveis e cursou Propaganda. Chegou a se formar?

Quando passei para o último ano de Propaganda e estava pra me formar o Charlie Brown estourou e aí ficou impossível concluir o curso. Mas foi interessante, aprendi muita coisa interessante na Faculdade.

Como foi o convite para entrar no Charlie Brown Jr.? Já tinha amizade com algum integrante antes disso?

Sim, tinha amizade com o Nando e o Vini que eram amigos  da mesma turma de músicos que eu andava na época, o Charlie Brown tinha apenas poucos meses de banda eles tocavam guitarra e batera respectivamente e o Nando me convidou, queria mais uma guitarra e foi assim que conheci o Chorão e o Champ.

Quais artistas são suas maiores influências na carreira?

Acho que os principais são , o Tom Morello, John Frusciante, Wes Borland. Tem muitos que me influenciaram, gosto muito do Silversun Pickups também. 

Após sua saída do Charlie Brown Jr. em 2005, você acabou criando a TH6, nove anos depois, o vocalista Tite informou que o grupo voltará. Você estará junto nessa, ou vai se dedicar somente ao Bula Rock?

O Bula é meu foco, adoro o Tite, ele disse que tinha vontade de fazer um show revival, mas estou muito ocupado com o Bula no momento. Acabamos de lançar  um disco e estamos indo para a estrada, mas tenho muito orgulho desse trabalho que fiz com eles.  Ali foi o começo de tudo.

Além da TH6, você participou do supergrupo Rockfellas (integrado por Paul Di'Anno, Canisso, Jean Dollabela e  Marcão). Como foi a experiência de se reunir com todos esses nomes? Manteve contato com eles para uma possível gravação de um disco?

Foi um projeto sensacional onde fiz amizades e conheci muita gente bacana ,chegamos a ensaiar uma versão da música Heroes do David Bowie, ficou tão  legal que pensamos em gravar mas infelizmente não foi possível devido a agenda de cada um.


Quando começou e o que levou a ser criado a Bula Rock?

A Bula surgiu da vontade de permanecermos na  estrada, foi um processo natural, comecei a gravar umas ideias e gostei do que estava ouvindo, vi que poderíamos montar uma banda. As coisas começaram a fluir e a tomar forma, quando percebi estávamos com um EP pronto no início de 2014 mas vi que poderíamos ter um álbum completo e nós trabalhamos durante o ano todo até finalizar o CD  Não Estamos Sozinhos.

No fim de 2013 você lançou o single Não Estamos Sozinhos e ela também é título do disco de estreia da Bula Rock, como está sendo essa experiência de assumir os vocais?

Estou adorando e acho que fiz a coisa certa, pois assim consigo dar mais unidade as minhas ideias, tendo um disco variado de estilos e ritmos sem perder a identidade. Essa música fez muito sucesso na net, atingiu mais de cem mil views do dia pra noite, ela é verdadeira e a galera entendeu o recado. 

Após o lançamento, os primeiros lotes do Não Estamos Sozinhos foram vendidos rapidamente, qual sua expectativa para o futuro da banda e para o show dentro do Lollapalooza?

Vamos seguir em frente, as coisas estão  indo bem, fruto de  muito trabalho, é apenas o começo ,está sendo incrível.
Estamos muito felizes por poder tocar no Lollapalooza, é um grande festival que ajudou a divulgar e popularizar bandas que sou muito fã e hoje temos essa oportunidade de mostrar nosso som, acho que é o sonho de qualquer banda subir naquele palco. Nosso disco acabou de sair e já está repercutindo bastante, isso é bom, trabalhamos bastante durante esse último ano, estamos aguardando esse momento ansiosamente.

Tem o plano de ser lançado algum disco da Urbana Legion?

Não, é um projeto voltado para homenagear o Legião, tocar ao vivo, mas o que foi gravado esta disponível na net.

Como foi participar do Tamo Aí Na Atividade, com vários astros celebrando Charlie Brown Jr., para você?

Foi incrível , especial mesmo , surpreendente , e nele realizei um dos meus sonhos como músico que era tocar com o Mike Muir do Suicidal Tendences, na verdade tocamos um som do Infection Grooves, chamado Violent and Funk. 

O que costuma fazer no tempo livre? Tem algum hobby?

Não tenho nenhum hobby, me distraio as vezes indo pro cinema, ter tempo livre tem sido bem raro! É que eu gosto muito do que faço!

Muito obrigado pela entrevista, e sucesso nesses novos projetos!!

Eu e Marcão Britto, no Electro Sound Studio, estúdio dele, localizado em Santos
Ouça o La Familia 013, último disco do Charlie Brown Jr.:




Assista também a Urbana Legion no Showlivre:




Confira também o novo single da Bula Rock:




Ouça também o novo disco da Bula Rock aqui e a cobertura do primeiro show da banda aqui.

Confira a resenha do Tamo Aí Na Atividade, e leia todas as entrevistas do blog. 

Postar um comentário

 
Top