MUSO SOUP SINGLES #32: K4ylee, Disorder, Shae Brock, Flublah, Howlite, Sophia Prise, Senza Delay, Glasi, Dzill e mais novidades de Rock, Indie/Alt, Folk, MUITO Eletropop, Hip-Hop e outros estilos

ROCK
01 - K4YLEE
Aparece em nosso site pela segunda vez, agora com 'Hell and Back', single revelado pela artista de apenas 19 anos no último dia 23.

Trazendo mais representatividade feminina dentro da cena do rock/metal, ela apresenta uma faixa política com a mensagem de que as mulheres podem afirmar seu domínio da mesma forma que os homens. Além da mensagem importante, ela traz riffs pesados e vocais rasgados, nervosos e de desabafo ao falar sobre as tribulações e angústias que as mulheres suportam. 

"Ao criar esta faixa, queríamos retratar a angústia feminina e raiva realmente parece. Esta música vai ressoar com qualquer mulher em qualquer fase da vida, porque por baixo do glamour que a sociedade coloca sobre a experiência feminina, há raiva e vingança dentro de nós que a sociedade não quer lançar luz."

'HELL AND BACK' define uma vantagem para a feminilidade e desafia os ouvintes a assumir uma nova perspectiva do papel feminino na sociedade.




02 - THIRD GIRL FROM THE LEFT
Também aparecendo novamente no site, temos a artista britânica que faz uma mescla entre uma sonoridade sombria, intima e com toques tanto do pop vanguardista quanto do rock dark wave para a faixa 'The Mountain and The Wave', revelada nas plataformas de streaming há cerca de um mês. 

Com belíssima e ótima entregue vocal, baixos destacados estão unidos a afinação consideradas experimentais da guitarra e pads eletrônicos que ampliam a paisagem sonora de uma faixa pronta para cativar o ouvinte, mesclando entre sons calmos e enérgicos ao longo de todo o single inspirado no pouco conhecido mito grego Tyro.

Third Girl diz "Eu descobri a história através de uma obra de arte da escocesa Margaret MacDonald. Conta a história de uma mulher casada atormentada pelo desejo pelo deus do rio Enipeus, mas é enganada e seduzida por um disfarçado e movido pela luxúria, Poseidon. Para mim, ele explora o poder do vício e como a retirada desse poder deve vir de dentro."

Desde o lançamento de seu primeiro EP 'Oxygen' em janeiro de 2021, Third Girl From The Left tem sido patrocinada pela BBC Introducing South West e Tom Robinson's Fresh on The Net.
Seu segundo EP será lançado em outubro de 2021.




03 - DISORDER
Pela primeira vez no site, eles são um duo londrino que, há um pouco mais um de mês, revelou nas plataformas de streaming o single 'At The Door'. Escrito e gravado em quarentena, a faixa é uma colaboração poderosa entre Jim Collett (baixo), Machi-ei Faron (guitarra e vocal) e Sander Bryce na bateria.

Tendo a mixação por conta de Billy Bush, conhecido por seu trabalho com Garbage, The Naked and Famous, Neon Trees, Julia Stone, Fink, Foster the People e Muse em Los Angeles e masterização por Alex Wharton (The Beatles, My Bloody Valentine, The Pixies, Marvin Gaye, Mogwai, Mumford and Sons, Bring Me The Horizon) na lendária Abbey Road de Londres, ambos são responsáveis por deixar ainda melhor a pesada sonoridade da banda, que traz guitarras estilhaçadas, baterias complexas e um vocal característico do grunge e um solo de guitarra que presta homenagem a grandes nomes de outros estilos, como  Hendrix e Frusciante, numa música enérgica, que certamente não deixará o ouvinte parado e  que liricamente aborda o dilema espiritual da divindade e a rejeição da responsabilidade que vem com ele. 




INDIE/ALTERNATIVO

04 - GRAND ALPACA 
Um mês e meio depois, o artista norueguês de Oslo está de volta ao site, com dois singles lançados entre Junho e Julho.

Revelado em 25/6, 'Feel So Good' é o primeiro deles, apresentando uma sonoridade que mescla entre o indie rock, folk e elementos do power pop sessentista e até mesmo um estilo de guitarra que vemos dentro do dream pop.

Escrita na praia de Nice, França - inspirada nas ondas e na Promenade des Anglaise - esta faixa animada com guitarra leva você de volta às noites de fim de verão com sua paixão favorita, esperando que a noite nunca termine.

A capa do álbum é uma fotografia de Grand Alpaca quando criança, redesenhada pelo artista norueguês Deformat e a capa de Feel So Good é um trecho da capa de vinil. A canção foi produzida junto com a lenda indie norueguesa Kenneth Ishak (Beezewax).

Essas duas faixas são interessadas para mostrar o leque de conhecimento cultural e criatividade artística de Grand Alpaca que no último dia 23 revelou também o single 'Bad Drugs', agora se voltando para uma sonoridade que passa pelo country, americana e o folk. 

Nela, o artista traz uma faixa matadora sobre o amor ruim no bom sentido, onde sonoramente apresenta uma belíssima guitarra, steel guitar e um refrão cativante que certamente fará o ouvinte cantar junto.






05 - GABRIEL'S DAWN
É uma banda nova e que recentemente divulgou um dos seus primeiros trabalhos de 2021, sendo lançado nas plataformas de streaming no último dia 6.

A música em questão é 'I Don't Believe (In The Summer Love)', onde trazem uma sonoridade voltada para o pop melódico, além de trazer elementos do rock sessentista, power/britpop em uma faixa com feminino muito bem mesclado com a linha instrumental.

Conheça mais eles abaixo:




06 - SHAE BROCK
Riffs relaxantes e característicos do Blues estão presentes nos primeiros segundos e em outros trechos de 'Cosmic', faixa lançada pela artista de Los Angeles no último dia 16.

Pela primeira vez no site, ela é uma cantora/compositora de dream rock e que traz elementos do soft rock em uma canção de amor retro e que fala sobre relações praticamente consideradas cósmicas entre duas pessoas, de sintonia tão inexplicáveis, que normalmente até as definem como alma gêmea.

Recentemente Brock lançou de forma independente um EP de estreia chamado Dreamers Club. Alguns marcos incluem um single de colaboração com Gucci Mane, antes de se encaminhar para um um outro gênero, inspirado pelo deserto e montanha do Arizona: "Posso me tornar músicas diferentes e histórias, sentimentos e personagens diferentes - como uma grande pintura com todas as cores diferentes".

Agora residindo no sul da Califórnia, ela encontra sua inspiração através de conexões profundas, momentos que você pode saborear, arquitetura, história e aquele sentimento sempre nostálgico de uma memória retro que a atrai.

Ouça um dos trabalhos mais recentes da artista, abaixo:




FOLK
07 - GLASS HEART STRING CHOIR
Poema existencial e surrealismo de filmes de arte são alguns dos elementos presentes na dupla de pop-arte de Seattle e que trazem um teor lírico rico para 'California', faixa divulgadas nas plataformas de streaming no último dia 21.

Unida a essa beleza lírica, elegantes melodias de violino e paisagens sonoras de corais da multi-instrumentista e produtora Katie Mosehauer. "Califórnia nos convida a fazer uma pausa enquanto começamos a buscar novamente as coisas que amamos e perdemos durante nosso isolamento coletivo, e considerar o quanto eles, e nós, mudamos", comenta o vocalista da banda em release oficial.

Ouça o trabalho da banda abaixo:




08 - BAY BRYAN
Seguindo dentro do folk, temos uma faixa com instrumentação acelerada/animada e muito bem encaixada com os vocais executados por parte de Bay Bryan na faixa 'Sticky Shadows', lançada com videoclipe no último dia 16.

A faixa instigante e emotiva é uma amostra do que poderemos ver no álbum de estreia "The Meadow", ainda a ser lançado. 

Em release oficial, o próprio artista comenta sobre a faixa: "'Sticky Shadows' representa a sensação de estar preso a algo que é de sua própria criação - querendo deixar ir, mas não sendo capaz ou disposto a fazê-lo. Para mim, isso toca em uma verdade pessoal que eu conheço muito bem : que às vezes ficamos presos intencionalmente porque ou temos muito medo de seguir em frente ou porque nos tornamos viciados em nossa própria natureza taciturna ... Acredito que esta música e o próprio álbum irão falar e, espero, ajudar, qualquer pessoa que estiver indo através de uma transição em sua vida - seja uma separação, uma mudança de carreira ou talvez algo mais abstrato."

Ouça o trabalho de estreia dele:



09 - FLUBLAH
Da Irlanda, a artista lançou sua carreira na primeira quinzena de Junho, com o single 'Still Young' e que, desde então, pode ser ouvido nas plataformas de streaming.

Trazendo um trabalho independente com produção 'Bedroom-pop', ela explora gêneros musicais característicos desse modelo de produção se inspira em nomes como Ella Fitzgerald, Lana Del Rey e Clairo, trazendo um estilo que mescla entre o folk, acústico, pop alternativo e até mesmo elementos instrumentais de suas raízes. 

Em seu trabalho de estreia, ela fala sobre assumir o controle de nossas vidas novamente e levar de volta qualquer um dos jovens que perdemos para o confinamento. É sobre não desistir dos sonhos que tínhamos antes do COVID e libertá-los de nossa imaginação para a realidade em que vivemos agora. 

Não somente o estilo instrumental, como também lírico faz com que a música certamente se encaixaria em jogos como Life Is Strange. 

Ouça abaixo:



10 - HOWLITE
O trio divulgou há quase um mês a faixa 'Canary', com versão tradicional e piano, nas plataformas de streaming.

A versão de piano apresenta uma sonoridade chillout, com vocais suaves e intimistas por parte de Alison Thom, se unindo a uma base elegante do indie e repleta de tons emocionais que chegam como um soco emotivo ao interior do ouvinte. 

Já a versão tradicional ainda apresenta os teclados, mas se voltando para um sonoridade mais lo-fi, com elementos e efeitos eletrônicos que dão um tom mais dançante da faixa, mostrando de fato o eletro trip-pop definido por eles em release oficial, num som repleto de sonoridades citadas pelo trio. 

Ouça ambas abaixo:



POP/ELETRO/DANCE
11 - CHARLIE HANNAH
É um artista do Reino Unido e que lançou no último dia 7 a faixa 'The Double Life of Dominique' nas principais plataformas de streaming.

Apresentando um leque amplo de sonoridade, a música poderia se encaixar tanto na categoria de trabalhos indie, como de psicodélicos e voltados para o pop, que é onde se encaixa em nossa lista de hoje. Liricamente, ela fala uma garota que tem uma vida dupla nas redes sociais. Com o seu apelido do Instagram, ela consegue escapar do trabalho enfadonho de sua vida. O título da canção é uma homenagem ao filme de 1991 de Krzysztof Kieślowski, The Double Life of Dominique.

Já nas questões visuais, o artista trouxe um grande teor de psicodelia em edições feitos com aplicativos do celular, filtros, corres berrantes e diversos efeitos que buscam transmitir a sensação de que a mídia social é sufocante e divertida ao mesmo tempo. Já sobre a sonoridade, podemos identificar influências e elementos que pelo dream/bedroom pop, chillwave e a psicodelia.

Tendo 4 álbuns como artista solo, ele criou um microgênero para descrever a música que faz, sendo 'canções caseiras sobre tarefas domésticas, hobbies e a condição humana'.



12 - SOPHIA PRISE
Agora com uma sonoridade mais voltada para o eletrônico do que para o pop, na faixa 'Tripwire', divulgada nas plataformas de streaming dia 6.

Passando pelo eletro/bedroom pop, darkwave/pop, seja por conta dos estilos instrumentais, beats ou vocal que muitas vezes no remetem a artistas como Lorde, 'Tripwire' conta uma história de paixões agitadas em clubes cheios de fumaça com um brilho escuro. A história é unida a sintetizadores e uma batida meio tempo, na faixa gravada e mixada por David Earl, escrita e produzidao por Sophia Prize.

Tripwire é o primeiro single do próximo EP "Dang", que é uma exploração do lado mais sombrio do pop eletrônico, empurrando o subgênero "futuro", mantendo uma abordagem experimental à estrutura e às atmosferas.



13 - GLASI
Em 'Chasing Paradise', lançada há aproximadamente dois meses nas plataformas de streaming, o artista de Stugart traz para o ouvinte uma sonoridade voltada para vertentes do eletro, como o EDM, Dance, Tropical House e eletropop, ao longo de 3min30.

Musicalmente, ele busca unir sua estética sonora e influencias de sua juventude, transformando seus trabalhos em um estilo único, mas também se inspirando em nomes como Klaas, Avicii e LIZOT.

O estilo de música de Glasi é uma mistura de EDM e Slap House, o que faz as pessoas cantarem junto ao mesmo tempo, mas também empurra suas pernas para a pista de dança.

Conheça mais do som dele abaixo:



14 - MAURICE MARIUS
Fazia tempo que um artista francês não aparecia em nossas listas e o escolhido de hoje é Maurice Marius, que no final de Maio lançou 'La Tempête' nas plataformas de streaming.

Maurice Marius começou no teatro como ator, autor e diretor (continua escrevendo peças). Deste primeiro amor guarda a força e a musicalidade das palavras que maneja com delicadeza e descontração. Para ele, Baudelaire é rock'n'roll. Este único pensamento abraça o universo em que Maurice Marius nos mergulha com o seu primeiro single La Tempête, faixa replete de loops eletrônicos, vocal crescente e um tom instrumental profundo ao mesclar vertentes do pop, como o eletro/synth e alternativo, além de uma sonoridade cinemática. 

Toda esse mescla de sonoridades pode ser ouvida e assistida abaixo:



15 - MATTI CHARLTON
Canadense, ele está de na #3 por lá no gênero 'Classic', além de englobar o TOP 10 em estilos como House/Techno e IDM/Downtempo.

Um dos seus trabalhos lançados neste ano é faixa 'Dark Addiction', revelada nas plataformas de streaming na primeira quinzena de Abril e que nos traz uma sonoridade eletro/synthpop, com diversos elementos da música oitentista e navegando também por toques do dream pop. 

Matti é um ativista declarado e membro das comunidades transgênero e queer em todo o mundo, escrevendo faixas que refletem a evolução da sociedade humana e encoraja os ouvintes a valorizar suas próprias identidades e se tornarem a pessoa que são por dentro.

Ouça mais dele em seu spotify:




16 - DZILL
Com um instrumentação eletrônica, ouvimos vocais voltados para o pop e R&B na faixa 'Miss You', lançada há um mês nas plataformas de streaming. 

Unido a esses gêneros citgados anteriormente, temos um mix de house progressivo e lo-fi, com vocal suave e beats que transformam a música em algo lindo e melancólico.

Ouça:




17 - NICK LESTA
Segundo artista francês em nossa lista de hoje, ele encerra a seção Eletro com 'Forgotten Places', lançadas nas plataformas de streaming há quase dois meses, mas que merece estar por aqui, por conta da sonoridade apresentada.

Apesar de ter iniciado seu projeto solo há quatro anos, todas as faixas começaram a ser lançadas somente em 2021. Na faixa em questão, ele apresenta um estilo que passa pelo house, techno e eletrônico, numa música 100% instrumental que também traz tons não somente do dream pop, como também do psicodelia, numa faixa que certamente entrará no subconsciente do ouvinte e ficará preso dela durante toda sua extensão.

"Este single foi composto e mixado durante o segundo lockdown na França. Comecei criando a parte "gancho" no piano, e, em seguida, fiz várias tentativas para tentar obter o ambiente certo e a progressão em torno dele. Para esta música, eu queria misturar algumas das minhas influências do momento, criando alguns Kick and Bass sólidos, perfeitos para dançar, mas enquanto isso, sintetizadores bem flutuantes que fazem voar sobre as nuvens.

Esta música é uma espécie de homenagem a todos os monumentos e lugares antigos na Terra que já foram importantes e agora desapareceram ou são totalmente esquecidos. O principal exemplo que podemos encontrar são as pirâmides antigas em todo o mundo", comenta o artista sobre a faixa, em release oficial.



RAP/HIP-HOP
18 - SENZA DELAY
É um duo com sede em Estocolmo e que  cuidado de tudo na maneira DIY, desde a produção inicial até divulgação final de cada um dos seus lançamentos, algo que valorizamos aqui dentro do site, com diversos artistas do it yourself.

No release oficial, eles contam que esta música em específico é uma amostra da energia e dedicação deles dentro deste mudo, onde buscam aprimorar cada vez mais, buscando transformar o 'hobby' das horas vagas em algo profissional. 

Para essa música, eles se inspiraram em um trap da música italiana e, após ouvir diversas, também trouxeram seu próprio estilo, apresentando uma mescla entre Trap, Hip-Hop, elementos de autotune e diversos beats e trechos da música latina.

Certamente, uma faixa que envolverá não somente fãs de rap, hip-hop e trap, mas como também da música latina. Ouça abaixo:




19 - JOZIE_RAMONE
Aparece pela primeira vez no site e encerra nossa seção Hip-Hop de hoje com 'SafeMoon', faixa lançado em Junho nas plataformas de streaming.

Para este trabalho, ele traz não somente elementos e sonoridade do hip-hop, como também rap, trap e até mesmo pop, ao abordar um tema atual, como a "ascensão" da criptografia, pegando essa ideia para falar sobre como sua vida está indo bem, usando o comportamento de criptografia para contrastar altos e baixos da vida. 

Ouça e conheça mais do trabalho dele abaixo:




EXPERIMENTAL
20 - REQUIEM & SIMON MCCORRY
Lançado em Junho, este foi o primeiro single para "Critical; Mass", EP de estreia da dupla UK/US, lançado há quase um mês nas plataformas de streaming.

Sendo uma faixa extensa, eles apresentam uma sonoridade instrumental multi-gênero, ao passar pelo folktronico, som ambiente, cinemático e post-rock, mesclando elementos da música clássica (como o violoncelo), além da tradicional guitarra e baixo, atingindo uma uma mistura de emoção exibida através de proporções cinematográficas e épicas.


Postar um comentário

0 Comentários