MUSO SOUP SINGLES #29.1: Anieszka, Emma River, Vassilis, K4ylee, Mild Wild, Gwil Davey, Alex Julia, Distopia e mais artistas com singles lançados recentemente; Conheça-os aqui!!


01 - STUDY OF US
Apesar de se definirem como rock em release oficial, a banda britânica de Suffolk (UK) consegue trazer elementos de diversos gêneos para '1000 Light Years Away', single lançado no final de Maio e que flerta principalmente com o eletrônico, drum n bass e dubstep, onde liricamente procuram falar sobre as falhas da humanidade. Ele também produziu um livro com letras em quadrinhos para acompanhar o lançamento, uma cópia digital pode ser encontrada aqui.

"Study of Us" está trabalhando em seu show de estreia no Hunter Club em Bury St Edmunds em setembro, onde terá uma reformulação de faixas de seu álbum de estreia ‘Neo-Anderthals’ e novas faixas eletrônicas. Combinando violão, looping ao vivo e música eletrônica para criar seu novo som.

Um pouco do seu trabalho pode ser ouvido diretamente do Spotify abaixo:



02 - MOON WALKER
Apesar de já ter aparecido anteriormente no site por conta de outro trabalho, este na verdade é o single de estreia do duo norte-americano.

Divulgado nas plataformas de streaming na primeira quinzena de Maio, 'Tear Down of The Wall' é uma faixa eletrizante, com uma cozinha muito bem destacada, riffs de guitarra explosivos, envolventes e que mostram que eles tem muito a dizer em suas composições e também mostram que não se prendendo somente a nostalgia dos aficionados pelo blues rock.  

Ouça e assista ao videoclipe abaixo:



03 - ANIESZKA
É uma artista australiana com cinco anos de carreira e que, após um EP e diversos singles, lançou no final de Maio a faixa 'True'.

Sendo a segunda música lançada pela artista em 2021, ela busca em sua letra destacar a importância de sermos fiéis a nós mesmos e tirar as máscaras que tantas vezes usamos. Nesta música, ela consegue canalizar vocais suaves característico do R&B, numa ótima melodia voltada para vertentes do pop, com elementos eletrônicos presentes na música. 

Ouça e aprecie cada um dos trabalhos da artista, diretamente de seu perfil no Spotify, abaixo:



04 - DAVID GOULD
Com todo nosso carinho pelo país, é claro que teria de um artista da Holanda em nossa lista. O escolhido de hoje lançou final de Maio o single 'Starlings', presente dentro do EP "Live At Butching Tears", onde traz para o público ouvinte duas músicas.

A principal delas, já citada acima, fala sobre esperança para o futuro e ansiosos por mudanças. Diante de tudo em que o mundo vive hoje, ela é inspirada por tudo que estamos passando de maneira global e do desejo de liberdade que temos, cada vez mais forte.

Com vocais emocionais e unidos a um tema que certamente fará o ouvinte lacrimejar e passar um filme na cabeça (pelo menos é o que ocorreu comigo, quarentenado há 1 ano e meio), ele gravou uma versão ao vivo para ampliar a experiência musical do ouvinte, numa faixa que traz uma belíssima orquestra e certamente será apreciada com detalhes num futuro onde esperamos ainda ter shows. 




05 - EMMA RIVER
'Flowers in my Hair' é um dos trabalhos mais recentes da artista, que apresenta uma música  é uma música de ritmo médio, com atmosfera voltada para o folk e um belíssimo arranjo de cordas responsável por acompanhar o vocal suave, doce e harmônico da artista norte-americana, que iniciou sua carreira em 2019 e, desde então, lançou single em todos os anos.

Na música, a artista busca falar sobre a contemplação da mortalidade e esperança de que estaremos juntos dos entes queridos na vida após a morte. Neste trabalho, a artista norueguesa consegue trazer uma leveza e suavidada para um tema que, para alguns, pode ser considerado pesado, graças aos seu vocal angelical e as belas harmonias que embalam a música do início  ao fim. 




06 - VASSILIS
Artista de Manchester, ele começou sua carreira ano passado e recentemente lançou seu quarto single, intitulado 'Never Alone'.

Como podemos ver no título,  a faixa é considerado como a 'música tema' dele durante a pandemia e, com certeza, de muitas outras pessoas que o acompanham, leem o site e estão o conhecendo por meio desta lista. 

Instrumentalmente, podemos notar uma guitarra e bateria característica do indie rock/pop, com uma bela sintonia entre o vocal principal e o harmônico backing vocal, dentro de uma música repleta de elementos melódicos. Já liricamente, ele tenta falar sobre o amor verdadeiro e como isso pode ser nossa luz nos momentos difíceis.

De maneira DIY, a música foi arranjada e produzida por ele mesmo. O resultado é uma belíssima faixa que pode ser ouvida abaixo:




07 - K4YLEE
Riffs acelerados, guitarras e baterias pesadas se contrapõem a um vocal feminino harmônico e muito bem executado por parte da artista norte-americana que nos remete a um estilo "ala Halestorm" em 'Lies', single de estreia que traz um som impactante e certamente fará o ouvinte ir atrás de acompanhar os futuros trabalhos da artista que une com perfeição a honestidade das suas letras, juntamente com instrumentais pesados.

Em release oficial, a artista comenta: "Enquanto escrevia a letra de 'LIES', eu queria contar uma história de como retirei o poder do meu relacionamento com meu pai abusivo. Espero ver esta música se tornar um hino para todos os que foram feridos injustamente."




08 - DAVE MOHAN
Voltada para fãs de R&B/Soul, a artista britânica trouxe durante o lockdown uma belíssima música composta com o coração, repleta de sentimentos e elementos instrumentais que certamente tocaram o coração do ouvinte, como por exemplo com o solo de sax durante grande parte da faixa.

Entre suas referências, podemos ver além dos estilos já citados, toques de folk, do clássico, com um riquíssima produção, em um single repleto de detalhes que somente serão notados com alguma caixa de som ou fones de qualidade (assim como muitos dos ótimos trabalhos existentes dentro da música). é sempre melhor deixar a música falar por si só, ouça abaixo.




09 - RACHEL BARROR
Com vocais doces e marcantes, a cantora/compositora/musicista britânica lançou, há cerca de dois meses, a faixa 'Kaleidoscope', feita em modo DIY pela artista, em seu estúdio caseiro, junto com um videoclipe que busca mostrar a vibe da faixa que é acompanhada por uma belíssima linha de piano em toda sua extensão, mesclando elementos do dream pop, folk, acústico a um instrumental cinemático. 

Em release oficial, eles comentam que o som de Rachel pode ser descrito como "assustadoramente melancólico com um toque cru". Sua formação em formação clássica a serviu bem quando ela partiu em busca musical para abandonar as grandes produções e voltar ao âmago da questão, enxugando tudo de volta.




10 - MILD WILD
É um artista dos EUA, que no dia do meu aniversário (6/6) lançou a faixa 'Slow Backwards', escrita para capturar a sensação de ouvir algumas palavras poderosas, bricando com a ideia de que uma curta linha de diálogo pode determinar de forma tão rápida e profunda o futuro de outra pessoa.

Podendo ser considerada uma composição experimental, ela é resultado de um exploração da consciência de sua mente e aborda, ao longo de quase 4min, temas como egoísmo, ego e mudança de identidade emocional. As letras pretendem mostrar que, embora todos nós interpretemos a vida de maneira diferente, algumas experiências universais são, sem dúvida, as mesmas para todos. O peso das palavras pode impactar profundamente os outros, para melhor ou para pior. Se ao menos houvesse uma maneira de desacelerar a força dessas afirmações para se proteger do negativo, ou viver um pouco mais do positivo.

Experimental também é a questão instrumental da faixa, que foi gravada em K7, com a execução de pedais de guitarra, microfones baratos e até mesmo algumas partes gravadas ao contrário, técnica inventa pelos Beatles, mas que o Mild Wild resolveu usar pela primeira vez, tendo como resultado elementos presentes no dream pop (seja por conta das guitarras melódicas ou do estilo shoegaze) e do som ambiente.Uma bateria eletrônica Korg Volca controla o ritmo e uma Squire Stratocaster cuida do riff melódico principal, uma linha de sintetizador Korg Prologue arpejada e uma camada de banjo com efeito de reverberação à medida que a música progride. Eles agem para atrair ainda mais o ouvinte para a mentalidade meditativa da faixa.

Mild Wild cria música sem fins lucrativos, mas para compartilhar uma marca de criatividade que é verdadeira. Todas as músicas podem ser baixadas e usadas gratuitamente, da maneira que outros acharem conveniente. A música é licenciada sob uma Atribuição Creative Commons. A esperança é que, quando liberadas, as canções encontrem seu caminho organicamente para lugares criativos.




11 - ABBY LONDON
A artista estadunidense lançou no início de Junho a faixa 'Anxiety'', single onde ela busca falar sobre compras e como ela afeta outras pessoas, o planeta e nós. 

Em release oficial, eles comentam sobre a música: "As escolhas do consumidor, a comida tóxica, a propaganda implacável e a comunicação deficiente contribuem para a ansiedade? Se decidíssemos adquirir alimentos, produtos e outros itens de maneira ética, alguém notaria ou se importaria? Podemos nos responsabilizar? Essas são as questões que Abby London explora em seu próximo single,     'Anxiety'".

Além disso, a artista ainda fala mais detalhadamente sobre efeitos que suas compras têm sobre as pessoas que fabricam os produtos que ela compra, bem como o caminho destrutivo que esses itens podem seguir para chegar até ela. 

Esta música traz um olhar sincero e desabafador sobre como nossas próprias escolhas contribuem para nossa ansiedade e depressão - o que escolhemos comprar, o que escolhemos comer e como escolhemos nos comunicar. É honesto sobre ser preguiçoso, desumano, motivado intermitentemente e não ter autodisciplina. Alguns podem pensar que a música é sobre confiar em regras e regulamentos quando, na realidade, é sobre mudar a si mesmo.

Sempre trazendo canções são introspectivas e de cunho político, a artista conseguiu trazer um tema sério como esse, que de certo modo afeta até questões globais climáticos, em um estilo mais voltado para outros assuntos e que buscam fazer o ouvinte dançar, se emocionar, mas não se refletir. 

Para ouvintes de indie/alt pop com elementos presentes até mesmo no rap ou no funk (brasileiro).





12 - GWIL DAVEY
Neste trabalho lançado há um mês e meio, o artista de Norwich trafega entre o indie o folk e elementos do eletrônico, unindo eles a um vocal suave, mas que encanta, entra no coração do ouvinte e pacífica nossa mente, durante 'You Are In My Peace'.

Com um belo piano (e em alguns momentos, violão) acompanhando os vocais antêmicos e libertadores do artista, ele escreveu esta faixa como um clamor a Deus por orientação, sendo sua primeira experiência DIY, com composição, gravação e produção da música, que nasceu começou como uma resposta à minha primeira experiência de luto por uma perda da família.

"Sentei-me ao piano e comecei a cantar ao Senhor pedindo ajuda e sabedoria, tentar ser forte por alguém ao mesmo tempo em que luto é difícil. A mensagem que essa música passa é que Deus sempre tem planos para nós, mesmo quando não entendemos o que está acontecendo, quando não podemos ver seu caminho à nossa frente, sempre há um. Ele tem planos para nós e os compartilha conosco se perguntarmos e olharmos de perto. Ele é um Deus fiel", complementa o artista em release oficial.

  


13 - MEMPHIS STONE & THE ELEVATORS
Cerca de dois meses depois, eles estão de volta ao site com 'Summer', single e videoclipe lançado pela banda britânica no final de Maio e que chega agora a nossas listas de novidades internacionais da Muso Soup.

Logo no início, já ouvimos um estilo vocal característico do power pop e de bandas harmônicas ao estilo Beach Boys, em uma música indie composta durante o primeiro lockdown no Reino Unido, sobre uma faixa que poderia estar sendo tocada em grandes festivais de música, com aglomerações, diversos tipos de público mas que, infelizmente por tudo que estamos passando, ainda não teve a oportunidade de transmitir ela para a incrível experiência da música ao vivo.

Vale destacar que todas as receitas dentro da faixa irão para a MakeItBlue, empresa sem fins lucrativos dedicada a arrecadar fundos para instituições de caridade de saúde mental com foco particular na indústria de eventos ao vivo, setor mais afetado mundialmente por conta da pandemia, com diversas bandas sem trabalharem há pelo menos 1 ano e meio. 

Sobre essa ação, a banda comenta: "Este é um setor que está em nossos corações e estamos determinados a tentar e fazer algo para ajudar as pessoas cujas lutas continuarão - hoje, amanhã e nos próximos meses. Qualquer coisa que você puder fazer para nos ajudar a gritar mais sobre esta causa e arrecadar mais dinheiro para a caridade é ótimo!!!!"




14 - MARIGOLD INGOT
Divulgada há um pouco mais de um mês, 'Exactly Same' (de seu EP de estreia "Blame Game") foi lançado nas plataformas de streaming em versão remix.

Neste trabalho feito em parceria com o DJ StoneBridge, eles apresentam para a faixa pop/folk, uma releitura ousada e divertida, que transforma o single de teor instrumentalmente melancólico e calmo, em algo dançante, acelerado e alegre. 

Ambas versões podem ser ouvidas no Spotify da artista, abaixo:




15 - RICH CHAMBERS
É um artista canadense, com sonoridade voltada para o Country, seja por conta do seu estilo vocal ou elementos presentes em 'Sorry Isn't Good Enought', lançado final de Abril e que aparece hoje em nossa lista de novidades da semana.

No seu segundo single, o o rockeiro foge de um rótulo a consegue mesclar estilos como não somente o rock, como também o country, power pop e o contemporâneo, falando liricamente sobre o sentimento antigo de arrependimento que todos nós experimentamos em algum momento de nossas vidas, que combinado a um crossover de gêneros, pode facilmente atingir diversos tipos de públicos e certamente você será um deles. 

Ouça e assista o lyric video abaixo:




16 - ALEX JULIA
É uma cantora/compositora de 27 anos e que recentemente divulgou nas plataformas de streaming em um dos seus últimos trabalhos, intitulado 'Like The Sun'.

Ao longo de aproximadamente 4min, a musicista consegue trazer influencias e elementos de diversos gêneros, como o vocal muitas vezes voltados para o pop (assim como o piano presente em momentos da música), com riffs que caberiam ora em um som mais country, ora rock, além de bateria cadenciada presente em diversos sons mais voltados para o indie, numa música que no geral é repleta de equilíbrio e harmonia.

Riffs de guitarra suaves e vibrantes quebram um ritmo pop presente na faixa, enquanto a produção emite os sons suaves do baixo, misturados com a ensolarada execução do piano, e combinados com a acústica e os vocais esfumados de Julia. 

A letra “Você é tão perfeito, você é como o sol” gira em torno de uma analogia paradoxal, uma vez que o sol é uma fonte de energia que, por si só, pode obliterar qualquer ser vivo pela pura intensidade dele; mas como um todo, também é ferozmente a fonte de energia mais importante para a vida. Esta nuance literária dá uma camada de complexidade a uma canção de outra forma simplista, liricamente.




17 - MARC SCHUSTER
Outro trabalho lançado em Maio, agora voltado para estilos como o Garage rock (unido a elementos  oitentistas e lo-fi), Marc trouxe para música seu relacionamento e como o bicho de estimação é, na faixa 'Good Dog'.

Não somente sobre isso, a faixa também é sobre como todos nós tendemos a bagunçar as coisas de vez em quando, apesar de nossas melhores intenções. Mesclando esse lirismo, ele coloca musicalmente uma vibe instrumental dos anos 60, com orgão que remete a The Doors, bateria de uma fase 65/66 dos Beatles e riffs que poderíamos imaginar presente também na fase 66/67 d'Os Garotos de Liverpool.

O som pode ser ouvido abaixo:




18 - HOT SHELL TRIBE
Em um som autenticamente pop, o produtor/artista sueco Johan Rahmstrom se apresenta sob o codinome "Hot Shell Tribe" para trazer uma faixa repleta de sintetizadores, elementos do eletrônico, unido a vocais suaves, mas também antêmicos e que em certos momentos envolvem mais ainda o ouvinte, ao unir o vocal com riffs que grudam na mente de quem está admirando e absorvendo a faixa em toda sua essência. 

No release oficial, ele comenta que 'Winner' é uma faixa que sobre superficialidade e falta de alma. Mas também sobre o fascínio da superficialidade e como pode ser bom para ser um idiota".




19 - DISTOPIA
Há cerca de um mês, os norte-americanos divulgaram nas plataformas de streaming a faixa 'Good Day', com riffs iniciais alegres e que nos fazem imaginar estar aproveitando horrores uma festa ou o fim da tarde em uma praia, vocais harmônicos clássicos do power pop e uma bateria dançante, envolvente e que certamente não deixará o ouvinte parado. 

Sobre este sentimento passado logo nos primeiros segundos de música, eles comentam que a faixa foi escrita como uma música com o propósito simples de levantar as pessoas quando elas estão em um lugar escuro e, com certeza, isso foi atingido.

Alex Silver, o vocalista e escritor principal, disse que não estava em um bom momento em sua vida quando escreveu isso. Ele afirmou que um dia acordou se sentindo melhor e essa música saiu extremamente rápida e orgânica, que ele espera fazer tornar o dia de uma pessoa pelo menos um pouco melhor.

Ouça abaixo:




20 - EASY WANDERLINGS
É um coletivo formado em Pune, India e que já lançou um álbum e diversos singles ao longo dos últimos quatro anos.

Um dos seus trabalhos mais recentes é 'Enemy', faixa onde buscam falar sobre a vida na era da 'cultura do cancelamento', iniciada como um movimento de mudança social e um meio de responsabilizar os indivíduos no poder por suas ações abusivas mas que, com o tempo, tornou-se uma expressão para expressão desaprovação contra alguém, sem espaço para mudanças ou crescimentos da mesma.  Diante de tudo isso, se esforçar para estar do lado certo da opinião de todos enquanto se expressa é algo que chega a ser exaustivo. Ninguém quer ser odiado; ainda assim, parece que na era da internet estamos inevitavelmente fadados a ofender alguém toda vez que falamos o que pensamos. Por lá sempre tem alguém você escorregar, procurando uma razão para odiá-lo, para fazer de você o antagonista.

Neste trabalho, eles iniciam com baixos destacados, vocal harmônicos do power pop, elementos da música indiana (como a cítara) e não somente do Soul, como também do jazz (seja pelo estilo dedilhado do violão ou outros instrumentos clássicos) e consegue mesclar perfeitamente gêneros como o Soul, Jazz, Folk, Indie e Blues.


Postar um comentário

0 Comentários