MUSO SOUP SINGLES #24: Magdalia, Banji, Jon Omen, Parlour Suns, Rey, Jack Broza, Luxe, Samuellimata e mais artistas com singles que descobrimos recentemente

01 - MAGDALIA
Em Março, a artista australiana Brodie O'Halloran lançou seu projeto "Magdalia" e trouxe ao mundo 'Shy to Shine', single de estreia que canta com o coração sobre sua vulnerabilidade e a luta de ser uma artista silenciosa neste mundo barulhento, como diz a própria artista, sendo 'tímida para brilhar'. Um sentimento e música que diversos ouvintes poderão se identificar, com certeza. 

Sobre esse composição e música, a artista comentou: "Foi emocionante, mas comovente, criar uma música que parecia tão honesta e pessoal. Ele captura muitos dos pensamentos que giram em minha cabeça e mostra os obstáculos mentais que muitas vezes enfrentamos. Estou muito orgulhoso de compartilhar isso como minha estreia."

Musicalmente, ela trafega por estilos como o indie folk e o pop contemporâneo, trazendo como referências Florence & the Machine, Sia, Catie Turner e Dido, juntamente com uma ampla gama de artistas de teatro musical, influenciando suas próprias canções íntimas e sinceras.

Ouça 'Shy to Shine':




02 - YOUNG ROBOT
Divulgada em Fevereiro, 'NO NAME' tem um belíssimo solo de guitarra em seu início, se transformando em riff ao longo de uma música, até ter um crescimento responsável por tornar algo mais voltado para o Hard Rock. A variedade de gêneros dentro da música também pode ser conferida no vocal, com elementos do indie/alternativo.

Gravada em Nashville (EUA), a música é descrita pelo artista como uma jornada através do tempo e do espaço que incorpora a energia sem nome e sem forma que nos leva a desejar, precisar, amar e desejar. Esse foi o primeiro de vários singles de Young Robot que estarão lançando este ano.




03 - BANJI
O quarteto holandês lançou em Abril a faixa 'Dogbreath', que traz elementos vocais/instrumentais do rap, pop, R&B e synthpop, apresentando beats envolventes, mas também toques de melancolia ao falar sobre a incômoda questão de lidar com as consequências de suas próprias ações.

Em release oficial, o vocalista comentou sobre a música: "O refrão foi inspirado por encontrar a palavra 'Dogbreath' no aplicativo de notas do meu telefone (acho que minha namorada colocou lá ??). Gravei o refrão com essa palavra em mente, e o resto da letra simplesmente caiu. Eu queria encapsular um tipo de arrependimento. Aquele que não está enraizado na verdade, mas em parecer verdadeiro. Sentindo-se dominado pela culpa por suas ações e desejando que tivesse acontecido de outra forma, mas falhando em aceitar as verdadeiras consequências. Arranjar desculpas em vez de lidar com isso. Como se você não pudesse simplesmente consertar sua respiração com um chiclete, você não pode mudar a situação em que você se colocou tão facilmente."

Ouça abaixo:




04 - DULL OF DOWN
Vocais rasgados, instrumental acelerado e riffs/solos envolventes estão presentes em 'Praise & Play Rock 'n Roll' faixa divulgada na segunda quinzena de Abril e voltada para o hard rock. Já em 'You're Going Down' temos uma música que apresenta um início e estilo vocal característico do grunge, algo que é mantido por toda sua duração, mas sendo unidos a riffs e guitarras pesadas, com um solo fundamental para fazer a uma ponte na música que mantém características do hard rock, gênero principal da banda finlandesa formada em 2020 e que também traz elementos do blues ao ouvinte.

Confira o single duplo abaixo:




05 - JON OMEN
'Fires and Floods' é sobre as lutas que enfrentamos no mundo nos últimos +12 meses e como podemos sair dela com um futuro melhor pela frente. Musicalmente, o artista se inspirou em clássicos  dos anos 80, principalmente dentro de estilos como o pop, dance e synth rock, unindo batidas dançantes e animadas a uma mensagem poderosa e necessária de se ter hoje. Com um poder lírico forte, o artista enfatizaas dificuldades e os problemas mundiais devastadores que enfrentamos como um todo no ano passado (e ainda enfrentamos, pelo menos por conta de um genocida no poder) e permanecemos fortes.

Lançada no começo de Abril, Fires and Floods com certeza ficará preso em sua cabeça, os sintetizadores e as batidas de bateria tocando repetidamente por dias.




06 - EDGAR ALLAN POETS
Divulgada ao mundo há um pouco mais de um mês, 'Last Dance' se inicia com elementos instrumentais do emo/alternativo rock, unidos a um estilo e crescimento vocal clássico dos anos 90 em trechos específicos, como no refrão de uma música sobre aqueles momentos intermináveis ​​quando estamos presos no trânsito e estamos repletos de algo entre nervosismo e insanidade ou outros momentos em que podemos atingir um nível de estresse que chega a ser cômico.

Num geral, eles são um banda alternativa que promove um som dark e intenso chamado de rock noir. Musicalmente, eles mesclam com maestria guitarras grunge/emo (caso de 'Last Dance') e um elemento vocal sombrio, responsável por, juntamente com o instrumental da música, prender o ouvinte e o fazer navegar para dentro da música.

Ouça abaixo:




07 - MEMPHIS STONE & THE ELEVATORS
Com um grande histórico musical em sua vida, Memphis Stone já cantou em várias das primeiras faixas do estúdio Motown (onde um tio seu trabalhava), mas nunca foi creditado por ser muito jovem. Visto um talento, ele começou sua carreira nos anos 70, partiu para UK nos anos 80, mas depois de um tempo ele sumiu de cena. Em 2019, um encontro casual em um pub na Cornualha com Tom Weaver e Lenny Bonnetti encorajou Memphis de volta à música, reformando sua banda dos anos 90 (Memphis Stone e The Elevators), mas dando-lhe uma vibração totalmente nova. O resto, como dizem, é história.

Nesse retorno, alguns trabalhos já foram divulgados. Entre eles, 'Higher', o terceiro single da banda e que apresenta guitarras crescentes e órgão Hammond sobre uma bateria sólida e vocais emocionantes. A faixa é baseada na história que um velho amigo que contou sobre sua viagem no Nepal. É uma história de estar completamente fora de si em uma montanha assistindo o mundo ao seu redor e questionando sua parte em tudo isso, e tendo grandes revelações induzidas por drogas (daí o termo 'high').

Tendo um vasto conhecimento musical, suas influências são diversas, do new wave britânico ao rock dos anos 70. Uma amostra do seu trabalho pode ser ouvida abaixo:




08 - TASHA BLACKMORE
Diretamente de Nashville, Tasha tem um estilo de composição interessante, trazendo histórias para suas letras, unidas a elementos vocais e instrumentais que passam por estilos como o pop, folk e country. resultando em um estilo próprio da artista.

Como uma dessas junções, temos 'Last Goodbye', faixa lançada no final de Abril e que foi inspirada por uma situação em que muitos de nós provavelmente nos encontramos em algum momento de nossas vidas onde estamos presos... Seja um relacionamento sem saída, um trabalho sem saída, um beco sem saída e você tem lutado para encontrar a força para cortar todos os laços. Onde nós mesmos sabemos que não estamos sendo bem tratados, que merecemos algo melhor, mas ainda não tivemos coragem de acabar com isso. Last Goodbye fala sobre o momento em que você chega ao ponto sem volta e desta vez, é realmente o último adeus.




09 - PARLOUR SUNS
Também lançada final de Abril, a banda britânica 'Parlour Suns' divulgou a faixa 'Embers', definida por eles como um livro de memórias do primeiro amor de todos. A batalha entre permanecer em algo porque é tudo que você sabe ou colocá-lo para descansar porque não está mais funcionando. O apego constante às primeiras vezes com foco no fato de que muitas vezes esquecemos os maus e são os bons que prevalecem. 

Apresentando um instrumental pop rock com refrão antêmico, a música foi escrita quando o artista estava perto dos 17 anos de idade, em memória as festas de fim de semana na praia e dos momentos em que não tínhamos intenção de crescer.




10 - REY
Rey é um projeto de folk indie do multi-instrumentista e cineasta Alex Cherney. A faixa segue "The Thing About Everywhere", álbum de estreia lançado no verão de 2020, com composição e produção no modo DIY.

Com planos de lançar singles até o final do ano, 'Beauxette' é um dos mais recentes, sendo algo escrito e cantado como homenagem para seu cachorro e lançado pelo selo Sonder House de Nova York. Ao ouvir seus singles mais recentes, podemos conferir que o artista explora bastante os temas interconectados da natureza, relacionamentos pessoais e cura - oferecendo a todos os que ouvem uma fuga de muita necessidade e bem-estar.

Ouça 'Beauxette' abaixo:




11 - THE KOBRAS
Lançada final de Abril, 'The Sun Song' é o segundo single da banda britânica em 2021, como parte de divulgação do EP "The Mighty Kobras". Definida pela banda como a música perfeita para se sentar e relaxar enquanto se aquece sob os raios do sol, até pela razão de ter sido escrita dessa forma, ela apresenta elementos instrumentos do dream pop, principalmente pela guitarra calma eu seu início e um vocal melódico, executado em perfeita harmonia com os riffs doces e solos blueseiros de guitarra. 

Confira o videoclipe abaixo:




12 - THE MORNING TRIPS
Eles se lançaram como banda no final de 2017 e um dos seus trabalhos mais recentes é 'Assault', que traz vocais característicos do indie rock, unido a instrumental que, com seu crescimento, se transforma em punk/garage rock, além de trazerem para a faixa também suas influências de shoegaze.

Sobre o seu modo de composições, ele comenta: "Fui inicialmente inspirado por uma abordagem quase ingênua de escrever música em um laptop, para ser honesto", lembra Lynch, citando as primeiras iterações criadas com um Macbook Pro e Ableton Live danificado. "Comecei a produzir demos para um som de banda 'tradicional' na esperança para encontrar membros para completar uma escalação."

Funcionou; logo ele foi acompanhado por Logan Clinkingbeard, James Amos e Noah Townsend. "Acontece que essas primeiras demos de laptop abriram caminho para se tornarem as primeiras músicas do Morning Trips", acrescenta Lynch.




13 - DROPS OF INDIGO
'Ten Steps Ahead' é o primeiro single dos suecos, desde a formação completa da banda. Na música, eles falam sobre não podermos mudar o passado e que se preocupar com o futuro é apenas uma ilusão que criamos em nossa mente.

Na faixa, eles apresentam vocais principais suaves e com uma harmonia perfeita entre o backing vocal e a voz principal (ambas ora masculina, ora feminino), além de trazerem elementos de suas raízes nórdicas e batidas do soft/alt rock, com um final enérgico por conta do belísimo solo de guitarra. 

Ouça abaixo:




14 - JACK BROZA
Inserida nas plataformas de streaming final de Abril, 'Walk A Day' foi composta pelo artista norte-americano na manhã seguinte à morte de John Prine, num dos muitos dias que a pandemia voltou com tudo, a caminhada de uma certa manhã virou poesia e o refrão da música. Enquanto a letra faz referência a Prine, a música gira em torno de detalhes da natureza: um cemitério de árvores derrubadas, um par de cadeiras cobertas de musgo, um barraco coberto de vegetação.

Durante um pouco mais de 3 minutos, 'Walk a Day' é o single principal do EP "Some Slant Rhyme I Wrote" e nela o artista apresenta vocais suaves, muito bem encaixados com a jogada acústica e dedilhada do violão, além de trazer elementos do folk e da guitarra lo-fi.

Ouça abaixo:




15 - LUXE
Mostrando uma gama de influências, o trabalho lançado pela banda no final de Abril apresenta vocais harmônicos e instrumentais que, unidos, trazem ao público ouvinte uma faixa pop-punk/emo com um 'quê' de Blink-182/Green Day, mas também com elementos mais voltados para a década atual. 

A variedade de gêneros e influências da banda também está presente no jogo de vozes, ora voltado mais para o rap rock e em riffs e solos característicos do rock alternativo.

Com todos esses elementos e influências citados acima, junto com o refrão antêmico, certamente 'toxic' é uma música que irã embalar o público de pop-punk/emo/rap rock. Ouça abaixo:




16 - SLEEP WALKING ANIMALS
Lançada no último dia 21, 'Dance Laura Dance' é considerada pela banda britânica como um hino de esperança edificante para quem não tem medo de dançar face ao medo e crescer à sombra da dor.

A faixa voltada para uma mescla entre folk e indie rock, apresenta algo musicalmente bem trabalhado, rico de detalhes instrumentais, com um som atmosférico, poderoso e vocais antêmicos, que fazem o ouvinte admirar o trabalho do início ao fim, mais de uma vez. 




17 - CPSD
De vertentes do rock como o garage/alternativo/hard,  além de até mesmo elementos instrumentais do eletrônico, 'Down Came A Spider' é o mais recente single do CPSD, um trio de rock alterantivo, que traz na faixa a onservação deles sobre assuntos atuais e do manejo deles por órgãos governamentais. Não coincidentemente, a faixa foi composta após todas as novidades referentes ao Brexit, conforme a pandemia no Reino Unido ia acontecendo, além de falar também da abordagem corajosa e de alta energia sobre os políticos e como eles manipulam os eleitores.

Com vocais rasgados, ora gritantes e guitarras 'sujas' pesadas, a banda traz um som enérgico e que com certeza em breve impulsionará o público durante os shows da banda. 




18 - SAMUELLIMATA
Composto durante um dos dias difíceis de sua vida, após perder um parceiro de 6 anos, ele usou a música como um fluxo de consciência, criando algo direto do coração, repleto de sentimentos, numa faixa sobre perder alguém que você ama, o fim de um relacionamento, chegar a um acordo com ele e saber que até embora não tenha funcionado neste mundo, talvez tenhamos uma chance nm outro lugar.

Lançada final de Abril, 'The Mountain' é um dos trabalhos mais recentes do artista, apresentando influencias e elementos que flertam com o dream pop e indie. Ouça abaixo:




19 - THE DEPATIE MELT
Diretamente de Los Angeles, EUA, The DePatie Melt é um grupo formado pelo próprio artista, afim de mostrar a variedade de seu material composto, trazendo referência não somente à diversidade da música, mas também ao grupo rotativo de pessoal na formação do grupo.

Em 'I'll Miss You', ele conta com a belíssima participação de Don Randi, um dos tecladistas mais gravados de Los Angeles. Estando presente nas faixas dos Beach Boys, Elvis Presley, Jackson 5, Nancy Sinatra e James Brown. A faixa começa sendo uma música clássica/instrumental e tendo uma pequena parte vocal de classic rock, entre todos esses elementos voltados para o clássico e guitarra característica do dream pop sessentista.




20 - BLAKE BAKER
Ele é um músico acústico, cantor e compositor britânico, que traz para suas composições e inspiração de estilos do folk e pop, tendo influencia de nomes como Passenger e Ben Howard.

Com vocais emocionantes, combinados a um lirismo interessante, ele apresentou para o público ouvinte a faixa 'Tea For Two', seu trabalho de estreia que fala sobre ter sido pego pelo amor, apresentando uma bela mistura entre vocal, instrumental e elementos que transformam a canção em uma trilha sonora romântica. 


Postar um comentário

0 Comentários