MUSO SOUP SINGLES #28.1: Marbl, Agne_B, Minas, Isla Croll (semi-finalista 'The Voice Kids UK), Rae Radick, Late TV, String Bone, Heavy Mama e mais artistas com single lançados recentemente; Conheça-os aqui!!


01 - MARBL
É uma artista de Tel Aviv (Israel) que, há cerca de um mês, lançou seu single intitulado 'Never Get Out', voltado para o folk e que também traz um belíssimo videoclipe como acompanhamento para maior entendimento da letra e apreciação por conta do ouvinte.

Composta pouco tempo depois de 'It's Always Our O'clock Somewhere', um dos seus últimos trabalhos, a cantora/compositora traz para a música algo que ela pensa muito atualmente: Em como o amor é a energia da vida, a resposta ao nosso questionamento constante, o ponto de fusão entre o aleatório e o sagrado e que apenas quando acaba, não pode de fato acabar, mas sim ir para algum lugar.

Unida a essa mensagem, a artista traz uma instrumentação suave, com uma guitarra que comanda a música por toda sua extensão, sendo unida com maestria aos vocais ricos, intimistas e calmos de uma artista que consegue manter uma energia leve, mesmo em momentos mais agudos da faixa. Desta maneira, ela consegue trazer uma produção minimalista, melódica e de uma identidade única. 




02 - AYANE YAMAZAKI
Conquistando o primeiro lugar nas paradas de música indie alemã duas vezes, Ayane é um artista de Tóquio e que recentemente lançou seu single, intitulado 'Melody'. 

Trazendo uma mescla de diversas vertentes, como o dream/alt/eletro/indie pop, ela apresenta um background instrumental suave e envolvente, unido a um vocal melódico e que certamente fará o ouvinte apreciar seu trabalho do início ao final.

Ouça abaixo:




03 - AGNE_B
Nascida na Lituânia e com residência britânica, a artista lançou no final de Maio seu single intitulado  'Pasilklausyk'. Apesar de ser definida pela plataforma como uma vertente pop, ela também apresenta elementos da música clássica, tais como o piano presente principalmente no começo da faixa e o conunto de cordas presente ao longo de uma faixa com vocais emocionantes e libertadores por parte da artista, ao longo de aproximadamente 4 minutos.

Em release oficial, ela conta que é uma daquelas músicas que saiu 5 minutos de sentar no piano e que conversa com amigos e familiares que estavam passando por momento difíceis em sua vida, ao trazer temas como saúde mental e sentimento suicida, enquanto encorajam a parar e pensar sobre o valor da vida. Ela esperar muito mais do que somente as pessoas que ela conhece e que o sentimento retratado na música os reconforte sem que a barreira do idioma seja um problema.

Certamente, por todos os elementos instrumentais presentes na música e a emoção passada pela artista, o idioma não será uma barreira para quem estiver conhecendo a artista por aqui. 




04 - RYE CATCHERS
Com uma mescla entre o pop comercial e o rock, o artista norte-americano lançou, há cerca de dois meses, o single 'Anything', estreando no selo Valiant Horizon. 

Nesta sofisticada faixa pop, ela mostra para o ouvinte e críticos a capacidade de produlão de Roberts, trazendo um backgroun instrumental que se encaixa perfeitamente com os cativantes e variados etilos vocais do artista. 

Em release oficial, o produtor comenta: "É uma música simples sobre uma emoção complexa e as letras brincam com esse tema. O resultado final é uma música pop / rock que tenta espelhar aquela sensação extática de estar loucamente apaixonado".

Para o seu som, Rye Catchers também conta com um leque de conhecimentos e influências musicais. Além dos estilos presentes na música, o artista curte gêneros, como EDM e lo-fi/chillhop e, unindo isso, a letras alegres e ritmos dançantes/envolventes, o artista busca seu próprio som e marca exclusivos.




05 - MINAS
É um artista britânico que no final de Maio lançou o single 'Payday', onde flerta entre o estilo vocal e beats do rap, além de elementos instrumentos do punk e da música eletrônica, ao falar sobre ressoar angústia e frustração, mas ainda com um sorriso torto.

Este é o primeiro single do álbum de estreia do artista, que chamará "All My Love Has Failed Me" e buscará trazer um olhar bem trabalhado sobre a vida como a conhecemos na era moderna - enfrentando dilemas da sociedade, relacionamentos, vícios e perdas.

Um pouco do que podemos esperar pode ser ouvido abaixo:




06 - FADED SHADES
É uma banda britânica que no final de Maio lançou seu single mais recente, intitulado 'Second Guessing'.

Trafegando pela influencia country presente nos primeiros cinco segundos de música, além de um estilo vocal do poppunk, unido a instrumentais característicos do rock alternativo e garage, eles trazem para seu lirismo um conto sobre um amor que azedou, de acordo com própria definição da banda em release oficial. 

Além da energizada versão com banda completa e solos de guitarra, também foi lançada uma versão acústica da música, que traz elementos instrumentais como o piano, mostrando a versatilidade da banda ao trazer estilos diferentes para uma mesma faixa. 



07 - ISLA CROLL
Divulgada há três semanas, 'Has to Be This Way' é um dos trabalhos mais recentes da artista britânica presente na edição local do "The Voice Kids 2020", com uma interpretação belíssima que surpreendeu rapidamente Will.I.Am e a rendeu a 4ª colocação no programa. 

Apesar da pouca idade (15 anos), a artista lançou diversos singles de composição própria ao longo de 2020, trazendo emoção vocal em faixas autênticas, cativantes e que entregam toda a personalidade da artista a estilos como o Jazz/Soul/R&B, com instrumentação feitas em perfeita harmonia com seu estilo de voz.




08 - FERTILITY HOUSE
Divulgado no final de Abril, 'Wishing' é o primeiro single da banda, como divulgação do próximo álbum, intitulado "Dust".

Em um trabalho essencialmente indie, a faixa ainda traz bateria acelerada, baixo destacado e um solo usado como ponte durante a história da composição,  que faz parte de um trabalho conceitual onde eles detalham a história de um relacionamento. Desde os primeiros dias e se apaixonando até as várias emoções que experimentamos dentro dele.

O single em si é a primeira faixa após a dissolução. Seus amigos e familiares se reúnem para apoiá-lo e mostrar que o amam e você está indo bem com tudo porque os tem. Mas eles voltam às suas vidas e você deseja ainda que tivesse aquela atenção e amor que você precisa.




09 - RAE RADICK
Depois de apresentarmos a artista aos leitores do site em Abril e Maio, ela está de volta.

'The Soldier and the Bombshell' é o single mais recente da artista, que lançou carreira neste ano e que traz uma sonoridade típica do country norte-americano, com um vocal muito bem encaixado ao estilo dedilhado do violão e guitar slides presentes ao longo de toda a extensão da música. 

Nesta faixa, a artista fala sobreo amor perseverante nas dificuldades da vida. Baseado na história verídica de um veterano dos Estados Unidos e sua bela esposa "bombástica".

Rae Radick muitas vezes se descreve como "O filho de amor de Kacey Musgraves e Keith Urban, com um toque da cidade de Nova York". Este artista Upand-Coming é um excelente exemplo de como encontrar o equilíbrio de a luta das mulheres hoje: ser feroz mas vulnerável, elegante mas autêntica, pensamento livre e encontrar o seu caminho em uma tecnologia baseada no mundo.

Rae Radick é cantora/compositora desde os dezesseis anos e que mistura suas raízes da Pensilvânia com o espírito de Nova York, seu som é um equilíbrio supremo de pop, country e rock.

Suas influências de Shania Twain, Fleetwood Mac, Keith Urban, Kacey
Musgraves e Kelly Clarkson são transcendentes em seu som e
narrativa. Lutas de relacionamento, crescimento, nostalgia e liberdade são temas contínuos que aparecem em sua escrita.



10 - ELLIOT JOE WHITEHEAD
É um artista de Greenwich (UK) e que no último dia 18 lançou 'Eyes Like Mine', produção ousada e repleta de elementos do Synth-pop oitentista, além de influências do disco, do pop comercial e estilo vocal do new wave, numa faixa que traz ainda um baixo repletos de groovy por toda a música que conta com instrumental dançante e que certamente não deixaria o público parado. Este é o seu segundo trabalho lançado em 2021, após quatro anos sem novidades.

Junto com a música, ainda temos um videoclipe de toque psicodélicos, que pode ser assistido abaixo:




11 - LATE TV
É um artista de Londres e que, há cerca de um mês, divulgou nas plataformas de streaming o single 'Night Tennis', onde solidão e política cultural dançam juntos em um conto de fadas urbano emocionante, trafegando por vertentes musicais como synth/indie rock e new wave, numa vibe oitentista e com o plus de elementos tanto do jazz, quanto do funk.

No release oficial, um pouco sobre a faixa: "Na música, "Steve" um homem comum solitário está em busca de romance enquanto embarca em um encontro que gradualmente se desfaz revelando mais sobre as provações e tribulações de sua companheira, ao invés de uma caminhada ao luar de volta para ela por um bebida da noite. Considerando a convenção de que o amor pode ser um jogo, o mostra desejos lascivos do homem e a batalha contínua de uma mulher para negociar o campo cultural minado da vida na cidade grande

Confiram a faixa, disponível também no Bandcamp do artista, diretamente pelo videoclipe que pode ser assistido abaixo:




12 - SPECIFIC COAST
Duas semanas depois de introduzirmos ele ao site, o estudaniense de LA está de volta com 'Wasn't Love', single ainda mais recente e que sucede 'Home'. 

Com um toque 'A Horse With no Name' em seus primeiros segundos 'Wasn't Love', apresenta um som que mescla entre o contry e o folk, trazendo um vocal relaxante, calmo e intimista, unido a uma bela harmonia acompanhada pelo violão, em alguns momentos com distorção de cordas.

Em release oficial, ele comenta: "'Wasn't Love' pode ser minha música mais identificável que escrevi. Todo mundo já experimentou um relacionamento que termina muito cedo. Talvez seja um momento ruim. Talvez seja uma briga infantil ou uma falha de comunicação. De qualquer forma, alguém se machuca. A música em si parece antiga para mim. Eu o escrevi em 2016, quando estava lutando com relacionamentos, tanto românticos quanto platônicos."




13 - STRING BONE
Com uma sonoridade ainda mais country, com riffs pesados, gaita ao fundo e uma atmofera gótica, temos "String Bone", artista canadense que no final de Maio lançou a faixa 'Waitin' For My Dyin' Day'.

Nela, o artista traz o sombrio como referência, apresentando em seu lirismo um personagem misterioso à beira do ponto de ruptura, onde a misericórdia é o seu desejo na vida e na morte.  Como ajuda para sua composição, ele estava com Lúcifer, a série de TV Netflix em mente.

Esta música vai caber em qualquer Alt.Country, Southern Gothic ou Americana playlist e, mesmo que não curta talvez o estilo da letra, certamente o instrumental fará você ouvir a faixa do início ao fim.




14 - THE INSTITUTES
É uma banda britânica que, há cerca de um mês, lançou um hino rock n roll, intitulado 'I Just Can't Keep Myself From Loving You'.

A faixa que navega por vertentes como o garage/90s/alt rock é o segundo single gravado pelo em parceria com o selo 42's Records e fará parte de "Colosseums", álbum de estreia da banda, a ser lançado neste ano.

Em release oficial, o vocalista da banda comenta um pouco sobre a música: "É uma música sobre o amor incondicional e apaixonado por algo ou alguém, sem qualquer escolha, não importa o que eles façam você passar, não importa o que eles pensem de você ou o que eles dêem em troca. Relacionamentos de amor e ódio, vícios, qualquer coisa que possa ser um fardo de amor, um compromisso de paixão e dor".

Tudo isso é unido a uma guitarra enérgica ao longo da faixa, mas principalmente no início dela, mesclada com maestria a vocais que trazem emoção ao ouvinte e mostra ter servido também como uma libertação para o artista que a executa.

Ouça e conheça a banda abaixo:




15 - HEAVY MAMA 
Dois meses, eles tão de volta ao site, agora com o single 'Cosmic Acid Mother', lançado nas plataformas de streaming início de Junho.

Para quem não os conhece ainda, Heavy Mama é um power trio escocês que traz em sua sonoridade a influência de bandas não somente da psicodelia e do blues que surgiu no final dos anos 60, como também de bandas voltadas para o stoner rock.

Depois de apresentarem seu primeiro mais single voltado para o blues, com vocais arrastados de artistas como Eric Clapton em sua fase mais recente e diversos solos voltados para o gênero, eles escolheram trazer para o público um som que mostrasse outro lado da banda. Com certeza isso foi mostrado neste single completamente instrumental e que conta com diversos freakouts de guitarra psicodélicas, improvisos e um mix de bateria/baixo muito bem executados, unido a um instrumento principal (destaque para a repetição de acordes por volta de 2m35s e também por volta de 3m20s) que fará o ouvinte viajar sua mente para outro lugar enquanto ouve e certamente ouvirá em looping, tal como eu fiz enquanto escrevia este pequeno review. 


Postar um comentário

0 Comentários