Post Modern Connection, do Canadá, lança a cativante Folie A Deux

“Folie à Deux”, a nova música da banda canadense Post Modern Connection, é a primeira amostra do próximo EP e que descreve o quão complicada pode ser a experiência de autodescoberta. Às vezes, tentar refletir e questionar-se pode ser um diálogo confuso. Esta cativante música indie surf rock justapõe a complexidade da sua jornada lírica com uma apresentação aparentemente simples, criando uma experiência auditiva divertida, mas profunda.
O single chega às plataformas digitais com divulgação exclusiva no Brasil pela Brain Productions Booking: https://beacons.ai/pmcband.
Assista ao videoclipe: https://youtu.be/xeW-mAG7Q74.

Uma das falas favoritas da banda em "Folie à Deux" é “somos tão bons quanto nossos deuses” e é o fio condutor desta ensolarada e colorida canção. Em muitos textos religiosos e histórias mitológicas, os Deuses são retratados com imperfeições. Alguns até tiveram que superar desafios antes de atingir a divindade. Para aqueles que adoram essas figuras, a Post Modern Connection lembra que somos apenas humanos e somos tão bons quanto as crenças, padrões e ideais que subscrevemos e defendemos. "Folie à Deux" fica ainda mais completa e sensível por meio do videoclipe, que sai no mesmo dia 26 de agosto, dirigido e filmado por David Vassiliev.

Inspirando nos filmes de Wes Anderson, David ajudou a banda a entrar no personagem e escolher os locais ideais (aliás, que cenários, do urbano ao bucólico!), completo com vistas incríveis de um ponto de parapente. “Esperamos que esta faixa sirva como uma trilha sonora profunda, mas cativante, para sua própria autorreflexão. Obrigado por ouvir”, completa a Post Modern Connection. A conexão pós-moderna, diga-se, a banda Post Modern Connection é uma banda indie que desafia as normas.

Apresentando constantemente inspirações ecléticas. Sua paisagem sonora é variada, com canções pensativas e cuidadosamente elaboradas. Os vocais cheios de soulful R&B e riffs indie-pop cativantes - pares de sintetizadores eletrônicos com violino clássico - mostram que a capacidade do Post Modern Connection tocar com dinâmica é aparente. Eles descrevem o próprio som como quando o Indie-rock encontra o Neo-Soul & Jazz. The Strokes encontra Leon Bridges, por exemplo.

A inspiração vem de artistas como King Krule, The Strokes, Alabama Shakes, Early Eyes, Leon Bridges, Hiatus Kaiyote e Hippocampus. As inspirações do Post Modern Connections são tão diversas porque é isso que eles são como uma banda. O vocalista e guitarrista Tega vem da Nigéria; o guitarrista Georges do Líbano; o baixista Steven é de Taiwan, enquanto o baterista Cam e o cara do sintetizador e violinista, Mitch, chamam o Canadá de seu berço.

PMC baseia-se em suas origens e experiências únicas, histórias pessoais e educação para criar sua música carregada de emoção, cativando os ouvintes. Ao vivo não é diferente. Alta energia com um fluxo e refluxo de dinâmicas poderosas exibiu-os com apresentações esgotadas em todo o oeste do Canadá, abrindo para artistas de destaque, incluindo Desiigner, Wintersleep, Hollerado, Dear Rogue, Moontrick, Snotty Nose Rez Kids, The Zolas, Hotel Mira, Hailey Blaise e mais. 

Postar um comentário

0 Comentários