MUSO SOUP SINGLES #34: Ellsworth, Luna Kat, 1.0.8, Ooberfuse, Bonsai Mammal, Ivy Eye, Fhur, Blanks, Satre, The Kyd e mais artistas de estilos como o Indie, Country/Folk, Power/Synth/Darkpop, Eletro, Lo-fi e Hip-Hop

ROCK
01 - GOLDEN RICHARDS

De Chicago, eles lançaram  há cerca de um mês a faixa 'C'mon C'mon (The Makeout Song)' nas plataformas e por aqui iremos tentar falar um pouco mais sobre ela.

Com uma sonoridade que flerta entre o indie rock e elementos noventistas do gênero, a faixa traz toques instrumentais de bandas como Weezer, unida a um teor harmônico vocal do power pop do Beach Boys, com eles sabendo mesclar perfeitamente este estilo vocal com riffs e bateria pesadas ao longo de toda a extensão da faixa, que ainda apresenta em seu background sintetizadores e outros toques eletrônicos, mesmo que seja por poucos segundos.

Escrito por Gil Golden e Billy Richards 
Produzido por Billy Richards na Donna is Cool Studios
Billy Richards - vocais, guitarras, baixo,
Gil Golden - guitarras
Mary Ann Magic - vocais, keytar
Henry Western - Bateria



02 - LOZ RABONE
Com uma sonoridade voltada para o rock acústico, o artista britânico traz elementos de classic/pop/soft rock, unida a uma linha de violão e piano que se encaixaria até mesmo numa vertente mais country e podemos ouvir em 'Lazy', faixa revelada final de Junho nas plataformas de streaming.

Nos últimos anos, ele escreveu e produziu dois álbuns solo, além de atualmente estar trabalhando em um terceiro. Apesar dessa faixa não estar presente no próximo álbum, ela traz um pouco do que podemos esperar.

Podendo atingir público de diversos gêneros, ouça a música 'Lazy', abaixo:



COUNTRY/FOLK
03 - ELLSWORTH

Cantora e compositora de Denver, ela aparece pela primeira no site com 'Potholes', terceiro single do ano e foi lançado um pouco antes do seu primeiro álbum completo.

Revelado nas plataformas de streaming final de Julho, ela traz uma sonoridade que passa pelo country, bluegrass, folk e outras vertentes dedicadas a uma sonoridade acústica, com um vocal suave unida e guitarras e baterias doces, além do acréscimo de um orgão/piano/sintetizadores presentes em certos momentos da música. 

Harmonicamente, a música consegue trazer um estilo vocal do soul rock, unido a um estilo instrumental do country 60/70, além do teor lírico intimo e sábio por conta da compositora, em uma produção adepta de toques eletrônicos complementares e que também dão um teor mais moderno para a faixa.

Ouça:




04 - MARTIN REYNOLDS
Está de volta ao site com 'The Sky Ain't The Limit', faixa que faz parte do álbum "Where There's Hope", divulgado nas plataformas em Junho e que vocês podem ler mais sobre aqui.

Mesclando entre o folk e o rock acústico, unido a harmonia power pop sessentista, ele gravou este trabalho e produziu este trabalho que fala sobre as lutas que todos nós enfrentamos na vida e passamos por elas. "É sobre não esquecer quem você é e o que você vale, e sempre olhar para um futuro melhor", define ele em release oficial.

A faixa que encerra o álbum  tem a graciosidade da gaita sendo executada por praticamente toda sua extensão. Ouça aqui:




05 - ALLANA MATTY
Segue as novidades folk de hoje, vindo diretamente do Canadá com a faixa 'Little Dreamer', revelada nas plataformas de streaming há um pouco mais de um mês. 

Com vocais suaves presentes no soul, baixo destacado e uma linha de bateria calma, além apresenta para o público ouvinte todos os elementos clássicos do folk, numa música que liricamente revela um retrato íntimo de suas lutas pessoais e emocionais, algo que acontece em outras faixas de suas carreira, entregando vocais emocionantes, feitos com a alma e coração, unidos a uma linha instrumental que também entra no consciente e atinge emocionalmente o ouvinte. 

Para fãs de Lana Del Rey, Lorde, Vance Joy, Fiona Apple, Regina Spektor, Taylor Swift, Dodie, Ingrid Michaelson, Hozier, Paper Kites...




06 - SUG DANIELS
De uma cidade rural de Delaware, ela se lançou como artista neste ano com alguns singles lanlados, dentre deles a faixa 'Kintsugi', divulgada no início de Julho.

Liricamente, a faixa fala sobre a relação complicada entre a América e uma mulher negra que está se estabelecendo, olhando para um futuro esperançosa de que o preconceito óbvio e aparente e a unilateralidade pode permitir mudanças e reparações, resultando em uma nação que é um por todos e todos por um. Instrumentalmente, ela aborda um tema difícil, mas necessário de falar sobre, com uma sonoridade doce e suave, seja por conta de seu estilo vocal, de elementos sintéticos do lo-fi ou da linha de um instrumento parecido com o ukulele que a acompanha durante toda a extensão da faixa.

Ela cuidadosamente combina elementos de folk, R&B e alternativas lo-fi para criar música pessoal e terna entrelaçada com mensagens de verdade e mudança positiva.

Um pouco  do seu trabalho pode ser ouvido abaixo:




INDIE
07 - THE AMBER BUGS

Alguns meses depois, a banda britânica está de volta ao site com 'Could We Be Friends', revelada nas plataformas de streaming durante o mês de Julho.

Neste trabalho, eles trazem uma sonoridade que flerta por alguns estilos como o indie e o folk, sendo praticamente uma fusão de ambos os gêneros, seja por conta do estilo vocal ou por conta de elementos instrumentais como o conjunto de cordas ou teclados que deixam a faixa mais rica musicalmente. 

Esta faixa de instrumental e harmonia ricos, além de outras, podem ser ouvidas abaixo:



08 - LUNA KAT
Traz uma sonoridade simples e intimista para a faixa 'Be With You', divulgadas nas plataformas de streaming em Maio e que vocês irão conhecer um pouco mais sobre abaixo.

Com elementos do indie, produção do bedroom pop e elementos de batidas e instrumentos lo-fi, além busca falar liricamente sobre estar apaixonado e observar todas as outras coisas ao seu redor se tornarem menos importantes e se dissiparem. 

Vivendo em locais como Sydney, Xangai e NYC, ela coloca em seu som essa variedade global artística e musical, em uma sonoridade relaxante e estética do lo-fi, unida também a videoclipes feitos inteiramente pela artista.

Um deles pode ser assistido abaixo:



POWER POP
09 - 1.0.8

É o nome artístico por trás de Andrew Stewart, britânico que está de volta ao site e no último dia 20 revelou nas plataformas de streaming a faixa 'Dynamite & Alcohol'.

A faixa fará parte do seu primeiro álbum, intitulado "Devotion", com  previsão de ser lançado em Fevereiro. Este single é uma amostra do que podemos esperar por lá e apresenta ao ouvinte uma sonoridade voltada para o rock psicodélico, além de trazer também diversos elementos do power pop sessentista, ao longo de 3min30s.

'Dynamite & Alcohol' segue o EP revelado ano passado e fará parte de um álbum futuro, com novas faixas em constante evolução.

Confira:



POP/DANCE/ELETRO
10 - OOBERFUSE
Aparece pela primeira vez no site com a faixa 'Summer Skies', lançada nas plataformas de streaming durante a última sexta-feira e que consegue apresentar ao ouvinte elementos de diversas vertentes.

Musicalmente, o duo com sede em Londres traz uma sonoridade dançante do pop, dentro de uma faixa que traz elementos tanto de uma vertente mais contemporânea do gênero, como também que vimos em diversas bandas e artistas do folk.  

Ouça:



11 - FLYNN RINK
De Boston, ele está no site pela primeira vez no site, apresentando seu segundo trabalho como artista, intitulado 'Skyline'.

Neste single, ele traz um refrão poderoso onde liricamente fala sobre necessidade de escapar do que é familiar, trafegando por uma sonoridade dancepop, passando pelo EDM e apresentando diversos elementos que transformam a faixa em um hit essencialmente comercial.

Em release oficial, eles comentam: "Queremos fazer músicas que tornem cada experiência inesquecível", explica Jack Keating. Para isso, eles fundiram influências dos anos 90 com sons eletrônicos de ponta para uma espécie de vibração de John Mayer com Coldplay e Gryffin, se tornando uma sonoridade que pode ser ouvida abaixo.




12 - PEYTON MARIE
Com somente 18 anos, ele trouxe para as plataformas de streaming seu primeiro lançamento desde um EP divulgado em Janeiro.

Tendo uma sonoridade pop, ela mescla seu estilo vocal do gênero com instrumentais e batidas típicas do eletrônico repleto de elementos que dão um toque oitentista para a música, principalmente por conta do background de instrumentos.

Sendo também uma produção independente, a artista gravou 'Miss Me Too' diretamente do seu quarto, enviando a faixa para o produtor e o resultado sendo este trabalho que vocês podem ouvir abaixo. 

Em release, ela comenta sobre a música: "A música é sobre estar em um relacionamento com alguém que se preocupa mais com sua reputação e festas do que você. E então eles querendo você de volta depois que você desistiu porque perceberam o quão bom você era para eles. É a sua típica música de fim de namoro "f YOU"".



13 - BONSAI MAMMAL
Artista de LA, ele lançou no último dia 30 a faixa 'Surrender' nas plataformas de streaming e apresenta para os ouvintes uma futurista às músicas feitas para clube dos anos 90 ou relaxando em casa.

Em parceria com Mark Johns, ela trouxe um desempenho vocal diferenciado e intensamente cativante, unida uma vibe tranquila por parte de Bonsai e sonoramente inspirada pelo house, eletropop e pop comercial.

Bonsai Mammal (também conhecido como Jimmy Harry) é um compositor e compositor vencedor do Globo de Ouro, vencido por ele como "Melhor Canção Original" com Madonna e Julie Frost pela canção "Masterpiece". Em 2010, sua produção de "Sober" de Pink foi indicada para um Grammy de Melhor Performance Vocal Feminina.

A descoberta de Harry como escritor / produtor foi a canção icônica de RuPaul, "Supermodel". Após o sucesso de "Supermodel", Harry começou a escrever e produzir canções para outros artistas.

Em 2017, Harry começou a fazer música com o nome de Bonsai Mammal e desde então lançou várias músicas, um EP e remixes. Bonsai Mammal recentemente assinou um contrato de várias canções com a Armada Records. O primeiro lançamento em janeiro de 2021 foi uma nova versão de 'Supermodel'.

Todos estes trabalhos podem ser conhecidos em seu Spotify, abaixo:




14 - SALT HOUSE LAVISH
Artista solo, ele lançou no último dia 20 a faixa 'Do Not Follow Them' em todas as plataformas de streaming.

Levando cerca de 2h para a composição, a faixa flerta por uma sonoridade ambiente, passando também pelo EDM e cinemático.

A faixa do álbum "Fraternise - Collaborate", ainda a ser lançado. Uma amostra dele pode ser ouvida abaixo.



15 - IVY EYE
O duo britânico de disco/funk estão de volta com seu segundo single, intitulado 'Make My Way Out (To The Sun)', que mantém a identidade deles. 

Esta faixa mostra a capacidade criativa deles em fazer uma faixa pop pronta para embalar as pistas e que consegue passar por diversas vertentes musicais além das já citadas, como o o retrô soul, house e o pop alternativo se unindo as raízes de composição de cada um deles. 

A dupla britânica Matthew Benham e Rory Sheppard - mais conhecida como Ivy Eye - recebeu grande reconhecimento internacional com seu single de estreia "Peace of Mind". Desde que emergiu na cena indie, Ivy Eye chegou a mais de 70 listas de reprodução do Spotify, incluindo a lista de reprodução internacional na loja do Hotel Chocolat, e também está em discussão com DOIS grandes programas de TV da realidade do Reino Unido para colocação em suas trilhas sonoras notoriamente incríveis. A dupla também está consistentemente posicionada entre os 3 primeiros nas paradas Hype Machine.






DARK-SYNTHPOP
16 - FHUR

Revelou nas plataformas de streaming a faixa 'Craving Flames', sendo uma colaboração com o produtor eletrônico / techno Ōkubi.

Como resultado esse parceria, temos uma melodia dançante unida a uma linha vocal sombria por parte de Fhur, numa faixa onde liricamente fala sobre quando você deseja tanto alguém que te deixou e você deseja que as chamas lavem os ressentimentos que ele deixou em você. O título 'Craving Flames' vem do fato de que ser abandonado gera raiva, você quer essa pessoa tanto, mas ao mesmo tempo quer colocar fogo em tudo por quão miserável você se sente. O refrão fala muito sobre como os sentimentos enganosos podem ser, enquanto o 8 do meio é uma afirmação de que o protagonista nunca teria deixado a outra pessoa no escuro.

Sonoramente, a faixa é uma entre o darkpop da cantora, o eletrotechno do produtor e elementos de outras vertentes, como o trip-hop.

Diante de tudo que vivemos, a faixa foi gravada via Zoom, durante sessões semanais pela plataforma de comunicação, com o produtor enviando uma melodia, ela cantando em cima dela, acrescendo outros itens como bateria e retornando para o produtor, que fez também a mixagem desta música. 

O resultado pode ser ouvido abaixo:




17 - BLANKS
Representando a Holanda em nossa lista, ele é um artista que está de volta, agora pela Muso Soupm com sonoridade de vertentes pop e que em Julho revelou nas plataformas de streaming a faixa 'Armstrong Classic'.

Nesta música, ele mescla seu estilo vocal pop a elementos instrumentais presentes no eletro e synth, além do indie, colocando na faixa o tipo de som e melodia que o leva para a memória afetiva de quando teve sua primeira paixão de fato, além de certamente ser uma sonoridade que fará o ouvinte querer pegar algum objeto como se fosse um microfone e terá o desejo de cantar e dançar enquanto ouve a faixa num volume alto.

Tendo uma grande fanbae, ele contou com a ajuda de seus seguidores no Instagram, ele escreveu bop's instantâneos como ‘Wave’, ‘Bittersweet’ e ‘Higher’. A nova série ‘Blanks Invites’ apresenta colaborações de estúdio com artistas como San Holo, Dayglow, Alfie Templeman e Sheppard.

Confira um dos seus trabalhos mais recentes:




LO-FI/HIP-HOP
18 - SATRE

Diretamente de Alanda, arquipélago isolado e localizado entre Estocolmo e Finlândia, o artista Satre está de volta ao site, com a faixa 'Alone', revelada nas plataformas de streaming em Junho.

Sendo seu terceiro trabalho por aqui, nesta faixa ele mescla entre o estilo vocal de vertentes R&B, a instrumentação indie e elementos dream-pop/lo-fi que transformam a faixa em uma sonoridade única por parte do artista.

Ouça:




19 - THE KYD

É um artista de London, cidade localizada no Canadá e que no último dia 30 trouxe para as plataformas de streaming a faixa 'Napsacks and Kickbacks'.

Neste trabalho, ele passa essencialmente pelo hip-hop e rap, trazendo uma sonoridade nostálgica do estilo mas que também se inspira em artistas como Mac Miller ou Joey Bada$$, fazendo uma união entre um lirismo encaixado perfeitamente com os beats dp hip-hop old school. 

A faixa pode ser ouvida abaixo:




INSTRUMENTAL
20 - JEM DOULTON
Ele está de volta ao site, com a parte 4/12 de um projeto que mergulha por uma extensa paisagem musical instrumental.

Na faixa 'Suddenly You're in The Sahara', ele se inspirou em Rachel Kenedy que, toca baixo na música que ainda traz Il maestro Alex Ward compõe o trio de clarinete e efeitos, Dead Days Beyond Help e Dem Castellanos, que produziu o mixou.

Instrumentalmente, ele mescla entre gêneros como o Americana, mesclando perfeitamente com elementos do darkwave e psicodélico, dentro uma sonoridade árabe. Este trabalho faz parte de um projeto chamado "Perfect Picture", que será lançado em sua forma daqui há aproximadamente oito meses. 

Uma amostra dele pode ser ouvida aqui:


Postar um comentário

0 Comentários