MUSO SOUP SINGLES #25: Lucy Dreams, Tropic, Truckerbomb, Garvie, Helmie, Charade, The Freight, Scott Revell, Point Lobo e mais artistas com singles lançados no último trimestre

01 - LUCY DREAMS
No último dia 18, o trio austríaco lançou 'Dreamland', primeiro single e videoclipe do álbum de estreia, intitulado "Götterfunken". A faixa nasceu de uma composição entre David Reiterer, Philipp Prückl e elementos digitais e analógicos. 

Com vocais psicodélicos, a faixa é uma linda balada com muitos sintetizadores que desperta inspiração e alívio, em tons considerados espaciais. Esses tons espaciais também estão no videoclipe, que gira em torno de Mirandola, um homem caminhando por paisagens, sonhos e multiversos em busca de uma vida melhor mundo. Embora seja difícil dizer se a jornada o transformou em um homem cujo mundo interior é bom demais para quem ele está procurando.

Lucy Dreams sobre a música:

"Os impulsos de Lucy eram muito especiais aqui, o sintetizador brilhante no verso é baseado em uma velha melodia vienense tradicional com a qual Lucy se alimentava. Também, a melodia de 4 notas antes do refrão foi ideia de Lucy, assim como o som das guitarras que são muito semelhantes às do tema "Twin Peaks". Com base nessas informações, compomos o instrumental para Dreamland."



02 - EMILY PARISH
Lançada no final de Abril, 'Complacent' é uma música sobre se sentir um pouco perdida na pressão de estar sempre seguindo em frente e sentir que hoje é o seu 'melhor dia'. Trafegando por vertentes do pop, como o folk, alternativo e bedroom, além de trazer elementos lo-fi, a artista considera como o faixa íntima, principalmente por conta da facilidade de escrever sobre romance e relacionamentos.

Sendo uma faixa muito bem construída, o vocal suave da artista é encaixado em perfeita harmonia com todos os elementos instrumentais, seja ele as guitarras dreampop/lo-fi ou os beats que também acompanham a faixa que, de certa maneira, traz memórias, dúvidas, aspirações e desejos muito emocionais da artista, algo característico em seu trabalho.




03 - THE BUZZ KILLS
Outra faixa lançada em Abril é '21st Century Mayhem',  do duo australiano que, em um dos seus trabalhos mais recentes, falam sobre sua frustração pelo mundo, por governos e pela manipulação da mídia unilateral. 

Em uma faixa com refrão antêmico, o duo consegue fazer com maestria um mix entre o pop, com o piano que acompanha a faixa e o rock, com riffs pesados que acompanham as entonações vocais durante o coro. A faixa foi masterizada por por King Willy, que também dominou o sucesso de Gotye em ‘Somebody That I Used to Know’. 




04 - OLD MAN SOUL CLUB
Seguindo lançamentos divulgados em Abril 'Keeper Of Yesteday' é uma música da banda britânica, que apresenta uma variedade de estilos como o pop, blues e vertentes do rock (alternativo/acústico/indie) em um trabalho DIY, com toques caseiros em sua gravação que traz elementos instrumentais como guitarra slide, linha de baixo inspirada nos Beatles e backing vocals classic rock.

Com exceção da guitar slide, todos os instrumentos são tocados por Steve Hanshaw. Dee Slim enviou a tomada do Slide Guitar enquanto estávamos trabalhando remotamente durante a última frase de não poder tocar durante um período difícil para os músicos no ano novo.

O single tem um definitivo senso de diversão e espontaneidade e foi gravado com esse espírito em mente para levantar o ânimo durante tempos restritos.




05 - TROPIC
Em 'Be The One', o duo norte-americano faz mix perfeito de estilos como R&B, funk e vertentes do pop, definida por eles como um hino do amor-próprio que nos incentiva a abraçar nossas falhas e celebrar o que nos torna únicos.

Como são um duo quuer, aceitação a positividade são coisas que eles lutam diariamente e, com essa faixa, eles esperam que possa ser um lembrete a cada um dos ouvintes, de que todos somos dignos de amor, aceitação e que não estão sozinhos em suas lutas. 

Ouça abaixo:




06 - OF SHADOWS AND LIGHTS
Depois de apresentarmos a vocês o álbum "Almost Prophetic Visions and Thoughts", eles estão de volta ao site, agora com o lançamento de 'Under Control', single divulgado pela banda italiana no início de Maio, mas que tomamos conhecimento nos últimos dias. 

Neste single, Angelo apresenta do público ouvinte uma faixa que contém todo o poder do rock, com um som enérgico, de riffs que embalam o ouvinte, unido a um estilo vocal antêmico e envolvente, em letras que falam sobre nossa condição atual, até mesmo em modo globo, diante do vivido hoje pela sociedade. 

Para o público que gosta de prestar mais atenção aos detalhes e elementos instrumentais, temos uma versão sem o vocal e ambas podem ser ouvidas abaixo:




07 - TRUCKERBOMB
Outro artista que reaparece no site é a banda norte-americana "Truckerbomb", que divulgou o single 'Light Of Jesus' na primeira semana do mês passado. 

Em seu trabalho mais recente, eles continuam fortes no country de músicas anteriores, mas agora com riffs e guitar slides mais rockers, com ares de shoegaze. Esses elementos presentes na música, unida a uma letra expressiva, mostra a versatilidade de cada um dos músicos da banda. 

Conhedico por não ser um compositor comum, em 'Light Of Jesus' Troy desafia cada um dos ouvintes a escolher o significado do título, de acordo com suas próprio interpretações, principalmente por conta sarcasmo e humor característico de suas composições. 

A gravação foi produzida e gravada com maestria por Fernando Perdomo no Reseda Ranch Studios. Gravações adicionais foram feitas no Only Child Studios em West Los Angeles.

A gravação apresenta o compositor Troy Richardson (baixo com Voodoo Dolls e David Minehan dos Replacements em Boston, Love Like Suicide, Tilli, o vencedor do Grammy Al Walser, Mauricio Herrera e Blind Pony em Los Angeles) nos vocais, baixo e guitarra com os membros da banda TruckerBomb Salty Rose na guitarra elétrica e Dave Rodway na bateria. Faixas adicionais são de Mike "Slo-Mo" Brenner no lap steel e Fernando Perdomo no órgão B3.




08 - THIRD LUNG
Lançado no final de Maio, 'Hold The Line' é o segundo trabalho da banda em 2021, que mostra uma versatilidade de vertentes do rock, trazendo influencias e elementos do indie/alternativo/hard rock ao longo de aproximadamente 4min30s. 

Em release oficial, a banda comenta sobre a música: "O objetivo é vencer ou compreender? Conquistar ou integrar? Por mais desafiador que seja, devemos aprender a ouvir uns aos outros em busca de um entendimento mais profundo. A luz e a escuridão que existem em todos nós se manifestam diante de nossos olhos. Os fatos assustadores que enfrentamos diariamente estimulam a apatia, promovem o autoatendimento. Apesar dessas sombras, ouvimos uma voz, vemos uma luz, nos comprometemos com um objetivo maior e nos recusamos a desistir. Juntos encontramos as respostas. Como um só, completamos os quebra-cabeças de nosso tempo, de nossa mente. ‘HOLD THE LINE’ fala sobre isso, superando o individualismo e celebrando o potencial do outro. Oferecendo uma mão estendida, puxando-nos para um terreno mais alto."

Se interessou pela mensagem que a música traz para o ouvinte? Ouça ela completa abaixo:




09 - CORAL PINK
Diretamente de Paris, apresenta um dream pop repleto de sintetizadores, num psicodélico que oferece diversos ambientes musicais e emoções ao ouvinte, que quando menos espera, já está envolvido pelos beats da faixa, com seu subconsciente curtindo cada detalhe da música, em um trabalho onde o quinteto buscar se afastar de suas primeiras influencias, afim de criar algo 100% próprio.




10 - GARVIE
Depois de passara muito tempo jogando videogame durante o lockdown, o artista britânico está preso em um na música 'Bad Person', lançada final de Maio nas plataformas de streaming.

Seu single de estreia reflete um novo mundo, com refrões baseados na guitarra, sintetizadores e efeitos sonoros clássicos de fases de videogame. Suas letras, honestas e literais, não deixam espaço para interpretações erroneas, silenciando seus críticas ao concordar com eles: "Eu sou uma pessoa má, já sei o pior", cantando durante o refrão. mas também dizendo: "Não estou particularmente preocupado com a noção de ser uma 'pessoa má' porque acho que a maioria das pessoas às vezes é", explica Garvie.

Nesse ar gamer, a música e o vídeo trazem um estilo perfeito de 8 bits, em um 2D que narra vida e as lutas de ser um músico independente.




11 - STAY FOR TOMORROW
No último dia 28, os escoceses de rock alternativo lançaram o single 'I Don't Need You To Save Me', com riffs envolventes e refrão antêmico, em uma faixa que mescla alternative/indie rock e ainda apresenta elementos instrumentais do hard rock.

Sobre a música, eles comentam: "'I Don't Need You To Save Me' é uma música de indie rock poderosa. As letras trazem uma história sobre como superar e se afastar de um relacionamento tóxico. Ele aborda as lutas que muitos enfrentam e o importância de reconstruir o seu valor próprio."

Ouça abaixo:




12 - PETER BARNARDO
Artista e produtor de rock alternativo, ele lançou há cerca de um mês a faixa 'I of the Storm', como parte de divulgação de seu EP, que será lançado amanhã.  

Trafegando por vertentes do rock, como o soft/alt/AOR, a faixa representa uma jornada crua e cheia de fé de sair e andar sobre as ondas.

A música foi escrita com a ajuda de Naveen Enoch, que semeou a ideia com algumas das letras. A história não é contada apenas liricamente, mas também na produção. A mistura de energia do rock e ritmos etnicamente influenciados criam um background tempestuoso para a variedade vocal do artista, que também mostra diversos sentimentos como  emoção, medo, empolgação e vitória.

Ouça a faixa e conheça o artista abaixo:




13 - HELMIE
Diretamente da Finlândia, Helmie divulgou em Abril seu primeiro lançado, intitulado 'Lies', sendo composto durante uma viagem na Inglaterra e finalizado em sua cidade natal.

Buscando ser a mais honesta possível em suas letras, ela fala sobre uma situação de separação. Quando escreveu a música, se sentiu traída após alguns meses de namoro, terminarem com ela por telefone, dias antes de uma viajada programada por ir ver o namorado.

Neste trabalho, a artista apresenta um vocal marcante e muito bem mesclado com beats pop dançantes, teclado e elementos de suas raízes nórdicas, em uma faixa com refrão que faz o ouvinte embalar e cantar junto com a artista.

Dance, enquanto acompanha a faixa 'Lies', abaixo:




14 - OLLIE WADE
Voltando para o folk, temos o cantor e compositor britânico que no começo de Maio lançou 'Obvious', terceiro single ao longo de 2021.

No som acústico, Wade apresenta um vocal agradável de se ouvir, unido a belos arranjos instrumentais em perfeita sintonia com sua variada entonação vocal, trazendo elementos até mesmo do Country, mas também de pop que se encaixa tanto no comercial, como no contemporâneo.

Mostrando que é um artista onde vale a pena vocês conhecerem, ele nos últimos anos fez fez uma turnê nacional, apoiou nomes como Tom Odell, Andy Burrows e KT Tunstall e até fez um show intimista para a Duquesa, Kate Middleton.




15 - CHARADE
Lançada há aproximadamente dois meses 'Anything I Want' é uma música escrito originalmente ano passado, onde a letra tenta passar por emoções e percepções do artista durante uma época pandemica, mostrando o contraste entre o sentimento no topo do mundo e incerteza/fragilidade humana. 

Com os protocolos do lockdown, o artista gravou os vocais diretamente de sua casa, enquanto instrumentos sintetizados foram gravados de maneira remota no SS2 Recording. 

Trafegando por estilos como o synth/indie rock e trazendo para seu som também elementos do rap rock, como podemos perceber em diversos momentos de sua entonação vocal e trechos instrumentais até mesmo psicodélicos, 'Anything I Want' é o segundo single divulgado por ele, sendo o primeiro de 2021.




16 - NOW THAT I AM
Divulgado no início de Abril, 'Dvil You Know' é o primeiro single e faixa de abertura do EP de estreia do artista de codinome Now That I Am, diretamente da Pensilvânia, a ser lançado em breve pela Home Roads Records.

Ao longo de aproximadamente 4min, a música reflete um período em que o artista esteve na reabilitação e suas realizações durante um período de recuperação turbulento. Apresentando entonações vocais emocionantes, Brian usa a faixa como um modo de libertação, de histórias e sentimentos, uma faixa que trafega pelo rock alternativo e indie.




17 - THE FREIGHT
'Fly On' é o terceiro single da banda norte-americana em 2021, que apresenta uma faixa onde se inicia como uma balada, mas após chegar na metade, ela traz ao ouvinte solo de blues e instrumentos de corda não tradicionais do rock, como o violino, mostrando um amadurecimento musical diante de trabalhos anteriores e uma versatilidade de gêneros.

Em release oficial, eles definem a música: "Fly On 'é uma jornada espaçosa e ambiente de arranjos de cordas, elementos de percussão e grandes harmonias. 

Ouça abaixo:




18 - TOUGH ON FRIDAYS
Apesar de ter sido lançada no início de Maio, 'Cabin Fever' é o último single composto e o primeiro lançamento da banda em 2021.

Na faixa, podemos ver um vocal feminino, que consegue facilmente variar seus tons, mesclando perfeitamente com uma bateria pesada, cadenciada, característica do grunge e responsável por ditar o ritmo dos riffs post-rock que reverberam durante a música. Certamente é um trio que trará para o público (conhecedor atual ou futuro) da banda, faixas que entraram nas melhores playlist e rádios ao redor do mundo.

Sobre a música, eles comentam: "Caleigh escreveu sobre os sentimentos encontrados à noite durante um ataque de pânico nas montanhas do Colorado no ano passado. É algo que pode acontecer a qualquer hora, em qualquer lugar."




19 - NOW OPEN SMOKES
O duo sueco lançou final de Maio 'Soft Lie', single de estreia da banda e que traz beats do dance e pop oitentista, unidos a um vocal dark e elementos instrumentistas como o clássico mellotron, em um trabalho que vem da influencia de artistas como The Impala e Future Sounds, além de outros gêneros como o Soul e artistas da Motown. 

Combinar, experimentar, flertar ou dissolver estilos musicais não é novidade para a banda e esse trabalho é resultado de vários anos de exploração da diáspora musical, onde cada um deles vieram de origens e gêneros diferentes, tocando e produzindo música para eles mesmos e para outros por mais de 10 anos. O resultado dessa diferença de origens e vivências está presente na música, que combina o melhor das influencias e elementos conhecidos por cada um deles, seja através do baixo motown, batidas arrastadas, vocais tristes ou da mescla instrumental entre a melancolia e a alegria.




20 - THE OLD YOUTHS
A dupla britânico-brasileira composta por Lucas Persin e Joshua Weaver estão compondo juntos há quase meia década, mas somente em 2021 resolveram divulgar para o mundo seu trabalho, com o single de estreia intitulado 'Midnight Takeaways'. Agora o trabalho mais recente é 'Yesterday Never Knows', que conta com uma guitarra por presente em toda a música, inclusive com belos solos e uma linha de baixo repleta de groovy e que irá agradar os admiradores do instrumento.

Sobre a faixa, o brasileiro Lucas disse: "Essa faixa parece mais pessoal para nós, tudo surgiu com bastante rapidez, o que às vezes é bem raro. Mesmo que tudo tenha acontecido com bastante rapidez, gastamos muito tempo nos pequenos detalhes".

Para fãs de vocais característicos do indie rock e guitarras comandando o instrumental.




21 - SCOTT REVELL
Diretamente de Londres, ele lançou no final de Abril o segundo single como artista solo. Sendo uma faixa que fala sobre a solidão e estender a mão para as pessoas próximas em sua vida quando você precisa delas, sendo inspirada pelo tema durante o lockdown australiano, quando estava escrevendo para um filme independente ainda não lançado.

De maneira independente, ele gravou ao lado de uma garagem e, por conta disso, há alguns ruídos em ambas gravações, algo não tão percebido após Alex Kittling mixagens as músicas e ampliar a qualidade sonora de uma música já ótima, com vocais harmônicos, muito bem executados e em perfeita sintonia com os instrumentais voltados para o folk, mas que em muitos momentos contam com elementos do cinemático.

Ouça abaixo:




22 - BREE MIGNANO
No começo de Maio, a artista lançou 'Who Knows', faixa que fala sobre a indústria do entretenimento (principalmente norte-americano) onde, em sua experiência, viu muitas pessoas ficarem desesperadas e deprimidas com esse mundo, mas também viu muitos falarem sobre si mesmas e nunca realmente tomarem nenhuma atitude para progredir. "Atuar também pode ser uma atividade muito solitária às vezes. Tentei descrever minhas observações de uma forma pensativa e sem julgamentos por meio dessas letras", comenta em release oficial.

Em faixa que traz influencia de nomes como Lana Del Rey (algo citado pelo própria artista), ela trafega por estilos como o pop indie/dream, além de elementos do pop contemporâneo e inspirações cinemáticas, como transformar o estilo temático de recentes filmes do James Bond, para um instrumental riquíssimo de detalhes e o glamour de uma antiga hollywood, onde era ideal por fora, mas repleta de insatisfações por dentro, algo que pudemos tomar conhecimento recentemente em diversas investigações. 

Sobre a música, ela comenta: "Who Knows foi uma das minhas músicas favoritas porque eu colaborei com muitos artistas diferentes nela. A música apresenta um solo de violino executado por Nick Montopoli, guitarra de Branson Freed, produção de Martin Della Nina, Branson Freed e eu, e mixagem e masterização de Federico Giordano."




23 - SMOKE SPIDER
Algo que as parcerias com plataformas internacionais nos proporcionaram: Conhecer artistas de locais que normalmente, por playlists nacionais de spotify ou mailing, nunca ouviríamos. Um deles é a banda sueca 'Smoke Spider', que final de Abril lançou a faixa 'You're Wearing Me Out'.

Sendo o segundo single divulgado pela banda, nela eles apresentam um início enérgica de guitarras noventistas, em um vocal que mescla o alternativo do final do século, com o indie atual, em um refrão antêmico e que certamente será acompanhado pelo público, seja ouvindo em sua casa ou em futuros festivais. 

Ouça abaixo:




24 - MANUEL GARAY
Alemão, o artista Manuel Garay lançou no final de Maio uma faixa que flerta entre o R&B e o Pop, num background onde o instrumento boliviano Charango traz ares latinos a música e se encaixa perfeitamente o estilo e ritmo vocal do artista.

Em release oficial, ele conta:  "O objetivo de Manuel é escrever e produzir canções com cantores que mantenham um toque único à sua maneira. Muitos projetos interessantes estão em andamento para este próximo produtor e DJ."




25 - YOUNG FATIGUE
Riffs envolventes, unidos a uma belíssima linha de baixo, abre 'Am I Pretty Now?', segundo single da banda, trazendo para seu som elementos e influencias que vão do grunge noventista ao pop-punk anos 2000, além de serem de Londres, local cheio das melhores influencias de ambos os estilos. Numa faixa repleta de guitarras sujas, eles apresentam batidas e letras ferozes ao falar sobre o tormento mental e físico que suportamos em nossas tentativas de se adequar aos padrões corporais inatingíveis da sociedade.

Sobre a música, Ash comenta: "A jornada de escrever 'Am I Pretty Now?' senti muito desconforto, mas também alívio e libertação. Ao longo da minha adolescência e idade adulta, o peso do meu corpo desempenhou um papel dolorosamente fundamental na forma como me valorizo. Estar visivelmente abaixo do peso em uma paisagem repleta de imagens de homens fortes e musculosos inevitavelmente levou a uma autoestima no fundo do poço e a comportamentos incrivelmente tóxicos. E para a nossa geração, o problema só é agravado pelo constante bombardeio de corpos perfeitos com photoshop nas redes sociais. Acreditar genuinamente que ninguém vai te amar ou te achar atraente é uma coisa intensa para passar como um adolescente, e enquanto minha jornada de aceitação de mim mesmo ainda está em andamento, eu sinto o lançamento de 'Am I Pretty Now?' é um passo terapêutico na direção certa.

É sempre desconfortável destacar algo que você normalmente tenta tanto esconder, mas Charlie e Michael receberam a música de braços abertos que tornou a tarefa muito mais fácil. Vê-los abraçá-lo com tanto cuidado e orgulho foi um verdadeiro destaque para mim. Espero que esse mesmo amor e apoio sejam estendidos a todos que ouvem a música.
O título em si é algo que acho que todos nós nos perguntamos em um ponto. Embora a música seja de uma perspectiva masculina, as inseguranças corporais são uma luta universal pela qual todos nós passamos em algum grau. Espero que, compartilhando minhas próprias lutas, nossos fãs possam encontrar um pouco de solidariedade e conforto quando sua própria auto-estima for afetada. Afinal, embora os padrões corporais que impomos a nós mesmos sejam, muitas vezes
inatingíveis, os passos para o amor e a auto-aceitação são."




26 - DAVID BARON & WILL BRYANT
'Moonlight' foi lançado pelo selo HereAndNowRec como um dos trabalhos mais recentes de David Baron, renomeado arranjador de produção do Woodstock e de nomes como The Lumineers, Lenny Kravitz e que traz em suas raízes a música, com seu pai gravando muitos álbuns ao vivo, incluindo The Allmans Brothers Band. 

Junto com Will Bryant, eles trazem um som reverberante com o EMT Plate 240, Roland Space Echo e um piano Steinway 1984 em uma faixa repleta de inspirações harmônicas vocais dos anos 70, como Bowie e Kansas, passando também pelo psicodelia eletrônica e por filmes asiáticos de artes marciais, como podem ver no videoclipe que acompanha a música, responsável por trazer a seguinte mensagem lírica: "O amor é inevitável. Você sempre protegerá e estará lá para aquele por quem você se apaixonar", como definido em release oficial.

Assista ao videoclipe abaixo:




27 - BROOKE HOWARD
Com um que flerta entre o R&B e Soul, a artista lançou no início de Maio a faixa 'Magic', que apareceu para artista como uma mágica, acordando com trechos da música na cabeça e não conseguindo dormir até tirá-la, trazendo para a música trechos de sua vida em momentos de quarentena, com temas pessoas simples, mas também esperançosos diante de tudo que vivemos. 

Essas histórias dentro da música, são acompanhadas por uma instrumentação suave e perfeitamente mesclada com o doce estilo vocal da artista, que apresenta muitos elementos criativos que certamente serão apreciados pelo ouvinte. Ouça abaixo!




28 - JANE'S AWAKE
Jane’s Awake é um projeto do compositor e produtor Nick Sheppard, formado online durante o lockdown e reunindo músicos de todo o mundo. 

Na segunda quinzena de Abril, eles revelaram 'Hold On', single de estreia deste projeto e que traz ao público ouvinte uma balada que apresenta uma perfeita harmonia entre o vocal e os elementos instrumentais presentes na faixa, como o piano e violino que dominam o background e mostram uma rica variedade de gêneros e influencias, passando pela música clássica e folk. A sintonia se torna maior ainda se lembrarmos que eles nunca trabalharam juntos pessoalmente. 

Em release oficial, eles revelam que a música já chamou a atenção. Julianne Regan, vocalista da banda aclamada pela crítica All About Eve dos anos 1980, disse sobre 'Hold On': "É um hino atenuado e empático para os oprimidos, os perdidos e para aqueles que se desesperam…. É uma canção que, em sua simplicidade e franqueza, pode ter o poder de acalmar e curar; e precisamos disso mais do que nunca agora."




29 - POINT LOBO
Point Lobo é baterista do longínquo grupo de hip hop The Pharcyde e, fora dele, resolveu trafegar por outros estilos músicas e influencias com a faixa 'Broken Parts' lançada final de Maio e que fala sobre a luta pela saúde mental durante os momentos particularmente desesperadores de sua vida. Se permitindo passar por outras vertentes em seu trabalho solo, ele se inspira de artistas lo-fi como Men I Trust, o synth pop de Gary Numan, além do dream/power pop e elementos instrumentais oitentistas. A música lançada é a principal de seu próximo EP "Tacoma Narrows", onde ele também será o responsável por vídeos animados e artes 3D da música. 

Assista ao videoclipe e acesse ao canal do Youtube para conferir também o lyric video!!




30 - MARK HOUSTON
O artista norte-americano está de volta ao site, com o single 'All The Mornings', lançado há cerca de um mês nas plataformas de streamings.

Apresentando uma música que trafega entre elementos do folk e a harmonia clássica do power pop, Mark conegue trazer uma faixa rica de instrumentos, com  vozes em camadas, violão, piano, xilofone e bateria/percussão espaçosa, numa faixa que fala sobre o envelhecimento do amor, de estar todas as manhãs com quem ama.


Postar um comentário

0 Comentários