MUSO SOUP ÁLBUNS #22: Beelzedub, The Things, Elina Filice, Madjesty, Lost Chimes, Kia e mais lançamentos de estilos como o experimental, eletrônico, folk, rock e R&B



01 - BEELZEDUB 
Ontem a banda Beelzedub lançou "Interplanetary Degradation", álbum com 12 músicas extensas, que duram quase 1h30 e trazem ambientes sonoros do cinemático, experimental, eletrônico industrial e, obviamente, o dub.

Toda música é criada como um instantâneo no tempo, e para isso todas as faixas são uma performance ao vivo que é gravada e capturada como um desses instantâneos, um momento que nunca será repetido e nunca poderá ser recriado exatamente; assim, tornando qualquer futura apresentação ao vivo dessa música uma experiência única e especial.

O resultado desse trabalho pode ser ouvido no Bandcamp da banda, abaixo:




02 - FROZEN FACTORY
No último dia 28, a banda finlandesa lançou "First Liquidation", um EP de oito músicas e que quase nem saiu, simplesmente por conta do plano anterior, que seria o lançamento de seu segundo álbum completo.

O processo de gravação para esse EP está tão divertido e produtivo, que as 5 músicas previstas anteriormente viraram oito, durando cerca de 30 minutos, em um projeto considerado pela banda como mais suave e melódico em comparação com o álbum de estreia da banda "Planted Feet", além de marcar o primeiro lançamento de várias faixas com a nova baterista Marianne Heikkinen e a primeira e talvez a última vez que o Frozen Factory lança metade de uma música em francês, caso de 'Au Contraire'.

O EP completo passa por estilos como o hard/prog/alt/soft rock, mostrando uma gama de vertentes dentro do gênero. Ouça abaixo:




03 - ALEX DEEMS
Outro lançamento da última Sexta-feira de Maio é "A Stranger To Trust", EP do artista com base na Filadélfia e que apresenta ao público 6 músicas voltadas principalmente para o Indie rock, como podemos ver seja pelo instrumental presente nas faixas, como também no vocal presente em 'fine', por exemplo.

Suas influências, não só para o Indie, como também para o rock, vem de nomes como Hippo Campus, 1975 e The Neighbourhood e Foo Fighters, banda esse que o artista assistiu em 2015 e o inspirou a ir de uma composição casual para sua atitude atual e plena em direção à produção musical.

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas, sua briga com seu pai biológico e suas lutas emocionais, a música sempre foi sua fuga e sobre isso, ele comenta em release oficial: "Tudo o que quero fazer é dar às pessoas a mesma fuga e apoio que a música sempre foi para mim. Eu confiei e continuo a confiar na música até hoje. É justo que eu contribua com o que posso para essa mesma fonte - a arte que ajuda as pessoas em sua vida diária."

Seu último EP, "A Stranger To Trust" enfatiza sua postura para capturar as profundezas emocionais do ser humano, como vocês podem ouvir abaixo:




04 - ELINA FILICE
Depois de aparecer em nossas listas com um single, a cantora e compositora apresentando uma voz suave, mas acelerada em "Flight Risk", EP lançado em 28 de maio e que apresenta 5 músicas, num mix de estilos como o R&B, Soul (seja contemporâneos ou mais alternativos),além de trazer elementos fortes do rap e hip-hop, seja por conta da variedade de entonações vocais ou por consegue mesclar sua velocidade de cantoria com maestria

Sobre o EP, a artista comenta: "Ele explora temas abrangentes de movimento, viagem, aventura e se perder para se encontrar. Sou eu em busca de significado, tentando entender o mundo ao meu redor e lidando com questões e lutas universais através de minhas lentes pessoais. Ser um nômade, ser queer, ter sido criado no jazz e no blues, mas com uma paixão por uma batida suja, tudo isso informa minha perspectiva e som."

Sonoramente, o projeto incorpora a evolução da jornada musical de Elina. Guitarra influenciada por jazz e blues encontra batidas contagiantes, ganchos enfiados na cabeça e uma narrativa cuidadosa. As canções desafiam e misturam gêneros e estilos de forma consistente.




05 - MADJESTY
Artista britânica de hip-hop/rap, une belíssimos instrumentais com elementos do R&B, urban, além de beats característicos do hip-hop a uma maestria lírica em "Lone Wolf", EP lançado na segunda quinzena de Maio que traz ao público ouvinte 4 músicas, incluindo a faixa-título.

Residir em Hertfordshire Madjesty é um pouco diferente da cena do rap em Londres, a cidade principal mais próxima de Hertfordshire. Encontrando-se frequentemente viajando para Londres para trabalhos e eventos relacionados à música, a distância incentiva a individualidade musical e uma perspectiva mais ampla.

Em release oficial, a artista comenta: "Na infância, fui para 6 escolas diferentes no total, conheci muitos tipos diferentes de pessoas e deixei tantas pessoas para trás, mas nunca realmente me senti como se realmente me encaixasse. A música é realmente uma maneira incrível de me conectar com as pessoas que sinto como algumas das músicas deste EP fale sério sobre isso. 

Este E.P. É uma coleção de músicas que eu sinto que realmente cobre uma série de tópicos, mas que todas se encaixam em um único colchete. Lone Wolf, o single realmente resume a mim e minha personalidade, enquanto as outras três músicas no E.P. cobrir questões sociais e tópicos que eu sinto que são importantes para serem falados."




06 - STAY AWAKE
Somos o Stay Awake, um quarteto internacional de punk rock com sede em Bangkok que fez turnês internacionais, pelas Filipinas e Japão antes de lançar o EP "PORTRAITS" em Março.

Esse trabalho abriu novos caminhos para a banda, os levando a um nível mais alto, num trabalho mais bem composto, com um conteúdo lírico sólido, apresentando faixas mais bem produzidas, também com a ajuda do amigo e mentor Yotam Ben Horin (Useless ID) como consultor durante o processo de produção.

O resultado são seis músicas que mesclam por pelo alternativo/hardcore/punk ao apresentar baterias muito bem executadas, cadenciadas, guitarras pesadas e aceleradas, mas dando destaque também para o baixo (como podemos ouvir na faixa de abertura). Instrumentalmente, vemos influências de punk, rock e metal, tendo Rise Against, Strike Anywhere e Bad Religion certamente como suas maiores inspirações.




07 - LOST CHIMES
O álbum homônimo da banda inglesa é o trabalho de estreia deste duo, dentro e fora da casa. Guitarras características do dream pop, violinos do folk, dedilhados muito bem executados, melodias e percussões elaboradas com maestria e vocais muito gostosos de se ouvir são destaque de um álbum que aborda temas como histórias de vida, morte e muito mais ao longo de 9 faixas, para públicos admiradores também do cinemático, do indie e do folk, em um trabalho criado com paixão e determinação durante uma pandemia global que nos levou ao desconhecido.

O álbum está disponível em todas as plataformas de streaming e como um lançamento limitado em vinil. Ouça abaixo:




08 - BELLA SARNE
A artista australiana lançou recentemente o EP "Motions" nas plataformas digitais, apresentando um trabalho voltado para vertentes do pop (eletro/alt/hyper) ao trazer tens melódicos, beats dançantes/envolventes e letras otimistas ao longo de 4 músicas que apresentam sentimentos de amor à solidão e tristeza, num trabalho retrata o que significa ser humano e como se permitir sentir suas emoções pode ser gratificante e libertador.

O resultado completo pode ser ouvido abaixo:




09 - KIA
Também lançado no último dia 28, diretamente de Los Angeles, a artista passa pelo R &B, Soul, vertentes do pop (como o pop comercial e contemporâneo) e até mesmo o rock, ao apresentar riffs e solos marcantes, como na faixa de abertura do álbum, que mescla todas as essas vertentes em um vocal mais voltado para o rap, mostrando toda sua variedade artística e de influências musicais.

"Tomorrow's Mind" é um projeto de nove músicas que falam sobre a perspectiva de vida, relacionamentos, trabalho árduo e nas oportunidades da cantora ao longo de sua música. 

Para fãs de R&B, Soul, Rock, rap, pop... O álbum pode ser ouvido abaixo:




10 - MAGNETIC VINES
"Magnetic Vines" é a estreia homônima de uma nova colaboração DIY entre Ross Garren (Bon Iver, Brad Mehldau, Ben Folds) e Erik Miron (Vignes Rooftop Revival). Com 21 músicas ao longo de 45min, o álbum mescla texturas eletrônicas com elementos lo-fi e diversas paisagens sonoras, numa experiência relaxante e ambiente, que com certeza faz o ouvinte viajar mentalmente enquanto pive as faixas que trafegam pelo experimental, chillwave e cinemático.

Tenha sua própria experiência, ouvindo o álbum abaixo:




11 - SORA X
Com lançamento físico previsto para o próximo dia 10, a artista trouxe para as plataformas de streaming o álbum "Tropical World", que contém 13 músicas em aproximadamente 1h, fazendo uma mescla muito boa de gêneros, como o R&B, Jazz, Hip-hop, indie e até mesmo elementos instrumentais latinos, como podemos ouvir na faixa de abertura do álbum.

O trabalho é um álbum conceitual que mergulha na realidade do alter ego da cantora, combinando aspectos visuais lançados anteriormente em videoclipes e fotos, por exemplo, trazendo um estilo instrumental e vocal inovador, executado de uma maneira em que prende o ouvinte a navegar por cada uma das faixas do álbum.

Confira o resultado completo abaixo:




12 - THE THINGS
Baixo destacado, bateria cadenciada e guitarra com tons psicodélicos abrem "Vicarius Catharsis", álbum da banda norte-americana que tem o Blues, AOR, rock clássico e psicodélico como estilos principais de 10 faixas em um pouco mais de 1h de duração. Em seu trabalho, podemos ver uma variedade de gêneros e influências, com eles trazendo para o público ouvinte o groovy, baladas, hard rock, sons psicodélicos, stoners, soft rock e, com toda essas vertentes, gerando um som único criado pela banda.

Não só tocarem, como também viverem do rock talvez seja a fórmula principal de um trabalho grandioso, com performances enérgicas e com certeza de tirar o folego, como foi no festival "Meeting of Magical Minds", citado em release oficial da banda. 

Se você é fá desses estilos, de faixas repletas de solos e riffs, de viajar sua mente enquanto ouve uma música ou simplesmente está aberto a conhecer outros sons, então ouça o álbum completo abaixo:





13 - PEAK FUTURES
Após introduzirmos eles ao site, com o single 'Orion', agora mostramos ao público o álbum "Colours Of The Sun", lançado na segunda quinzenda de Maio e que traz oito música e cerca de 30min de duração, mesclando estilos como o Soul/Alternative Rock, o Soul Retro, além de elementos do jazz (como o piano e o estilo vocal de Eva, na 3a faixa), psicodélico e até mesmo do rap.

O álbum mais amplo leva o ouvinte em uma jornada épica, traçando um caminho sônico e lírico que se cruza do estelar ao terrestre e vice-versa e, ao longo do álbum, estão sons espaciais reais retirados dos arquivos da NASA, unidos a ousados arranjos de coral, como um dos elementos principais do álbum.

'Orion (Reprise)' encerra o álbum e apresenta Pauli the PSM como artista e baterista, trazendo seu fluxo descontraído, porém percussivo, para a faixa e trazendo o álbum a uma conclusão inesperada.
“Como todas as músicas do álbum, ela se destaca por si só, mas realmente ganha vida quando ouvida em sequência; é o capítulo final. Quando você volta de uma grande jornada na vida, você nunca é o
mesmo, esse é o ponto que a música está fazendo - a reprise tem o mesmo apoio que o original, mas um impacto totalmente diferente ”, resume Chris Hills




14 - JON PATTIE
Agora, voltados para o pop, apresentamos a vocês o EP "Reflections: Vol II", um trabalho com 5 músicas de estilos como o indie/alt/comercial/dream/contemporâneo/hyper pop, seja por conta do estilo vocal/backing, dos beats presentes em cada uma das músicas ou outros elementos presentes nas faixas suaves, mas também em sons animados de um EP que aborda de temas como relacionamentos, ir atrás dos seus sonhos ('Dream On'), autoconfiança e ajudar outras pessoas com depressão.




15 - APOCRAPHE
No momento atual em que encontramos, o artista britânico encontrou e começou a ler um livro chamado "A Field Guide on How to Escape". Ele serviu para o ponto de partida do álbum "The Escapist Handbook", lançado dia 1 e que apresenta 15 faixas sobre o escape, de diversas maneiras, ao tocar em cada representação sonora do hiphop como uma forma de arte, passando pelo steampunk de 'City Of Lost Children', o jazz presente em 'The Song Of Tartarus'.

Uma das músicas é um trabalho inédito  de 2014, sendo remixado e remasterizado, com cada um dos 10 membros da equipe parisiense da L'Affaire presente na faixa. 

Se vocês curtem rap/hip-hop consciente, esse é um trabalho essencial de se ouvir em sua plataforma de streaming favorita, ou abaixo:


Postar um comentário

0 Comentários