Ed e Lorraine Warren estão de volta, e mais afiados do que nunca


Já tem alguns anos que o sobrenatural virou o tema queridinho dos filmes de terror. Tanto que de certa forma o gênero saturou em Hollywood trazendo cada vez mais mesmo. As fórmulas e clichês desse subgênero se estabeleceu rapidamente e os filmes não pouparam o seu uso excessivo. Além disso, tem as sequencias, que por si só são sempre um assunto delicado que faz a maioria das pessoas se perguntarem se é necessário fazer o 2, o 3 até o 6º filme. Prova disso é a franquia Jogos Mortais.

Essa semana estreia nos cinemas A Invocação do Mal 3. O terceiro longa relata mais uma história real protagonizada pelo casal Ed e Lorraine Warren, vividos por Patrick Wilson e Vera Farmiga. É inquestionável que o casal é o responsável pelo sucesso da franquia. Patrick e Vera tem uma química evidente que faz valer as duas horas de duração.

O longa não se livra de alguns clichês como sombras misteriosas em cenários exageradamente escuros, trilha sonora que mais parece objetos metálicos sendo arrastados e os inesgotáveis jumpscares. Não que tudo isso prejudique o longa, mas ele também não oferece nada de novo ou diferente do que foi visto nos dois primeiros filmes.

Seria muito fácil dizer que o filme cumpre o que propõe dentro de sua premissa e do gênero. O que não deixa de ser verdade. Além do casal carismático e fofo que lutam contra possessões demoníacas, o filme acerta ao arriscar um roteiro mais complexo e lapidado que os anteriores. Isso porque a narrativa vai e volta no tempo algumas vezes sem que fique confuso ou desgastante.

Talvez o maior ponto fraco da continuação seja uma redução significativa na inclusão de demônios. Isso porque a história envolve rituais e seitas mais ligadas à bruxaria do que satanismo ou mesmo um demônio que não quer sair de uma casa ou de um corpo. Claro, deve-se levar em consideração a história na qual o roteiro se baseia, mas ainda assim...

Apesar de andar de mãos dadas com todos os clichês citados, A Invocação do Mal 3 é um filme que cumpre sua tarefa. Não inventa nenhuma roda, mas assusta, envolve e consegue ter um resultado aceitável, especialmente para fãs do gênero. O longa se sai muito bem na fotografia, efeitos especiais e trilha sonora. Elementos esses que costumam ser os mais importantes nesse tipo de filme. E como cereja do bolo, ainda há referências de outros filmes em que o casal esteve envolvido, como a infame boneca Annabelle e a macabra freira Valac. 

Ainda não se sabe Farmiga e Wilson voltarão a interpretar o casal novamente, mas os dois já afirmaram que adoram seus personagens e estão abertos à possibilidade de reprisar novamente seus papéis. O que é um alívio para os fãs já que todo o sucesso da saga se deve à dupla de atores. Nessas condições, é possível afirmar que estaremos esperando A Invocação do Mal 4.

Postar um comentário

0 Comentários