MUSO SOUP SINGLES #35.2: Mary Ellen, Avresa, Rosellas, Farlanders, Killsy, 12 Limbs, Nicole Raviv, Metroluxe e mais novidades passando pelo Rock, Soul, R&B, Hip-hop e outros estilos





ROCK
01 - WILD GRAVITY

De Chicago, eles estão estreando no site com a faixa 'Comatose', divulgada nas plataformas de streaming no final de Junho e que abre a nossa lista de hoje.

Além da estreia no site, esse é o primeiro trabalho deles como banda, flertando entre vocal do metal melódico e uma instrumentação que passa tanto pelo metal, quanto pelo hard rock, além de destacar as habilidades dinâmicas de arranjo musical de Ken Ugel e os vocais crescentes de Phil O’Reilly.

Diante da pandemia, ambos começaram a conversar pelo zoom sobre shows, influências musicais e planos futuros, o resultado foi descobrirem ter muitas semelhanças em comum, inclusive de estarem no mesmo local ao longo dos anos. Ken mencionou ter alguns instrumentais compostos e Phil acrescentou letras a elas.

Com ambos já mostrando perfeita sintonia, esses instrumentais viraram seis músicas e uma banda, com 'Comatose' sendo o trabalho de estreia de "Wild Gravity". Sonoramente influenciada por nomes como Chevelle, Alter Bridge e Shinedown, Muse, Nothing But Thieves, Royal Blood, My Chemical Romance e Anberlin, eles mostram um vasto conhecimento musical e criativo para esta faixa que consegue passar por diversas vertentesao longo de aproximados 4min.

O resultado pode ser ouvido abaixo:




02 - MARY ELLEN

É uma artista e produtora irlandesa que no início de Agosto revelou nas plataformas de streaming a faixa 'He Got A Gun', juntamente a um videoclipe que poderá ser assistido logo abaixo. 

Com uma sonoridade que flerta entre rock alternativo, trap e indie, unida a uma linha de guitarra lo-fi, mas com guitar slides interessantes de se ouvir. Liricamente, a faixa é uma reação aos tiroteios em escolas depois que o lockdown foi suspenso, além de trazer uma narrativa entre as vitimas e o atirador, em seu refrão, com o versão contando o ponto de vista da vitima enquanto o resto nos traz o lado do atirador. 

A faixa e o videoclipe pode ser conferidos abaixo:




03 - IAM THE UNICORN HEAD
Do Reino Unido/EUA, eles lançaram no último dia 18 a faixa 'Eating Cornbread In Quarantine' nas plataformas de streaming, apresentando uma mescla entre indie rock e elementos do post-punk, com a gente definindo por vontade própria como indie punk. 

Sendo um projeto que, virtualmente, atravessa oceanos, eles trouxeram como estreia esta faixa que fala sobre os sentimentos de cada um relação a solidão por contado lockdown. 

Além dos estilos citados acima, a faixa deles passa pelo psicodélico e garage, mostrando um alto nível de criatividade e conhecimento musical por parte do duo.

O trabalho pode ser ouvido abaixo:




INDIE ROCK
04 - BLAKE ANTHONY ROBSON
Apresenta um indie rock repleto de elementos eletrônico e toques de sintetizadores na faixa 'Don't Run At Night', divulgada nas plataformas há dois meses.

Sendo um artista multi-facetado, ele vai desde o Folk ao indie eletrônico, gravando atualmente dois álbuns de estilos diferentes. 

Junto com a música, ele ainda divulgou um videoclipe que mescla entre o Horror e suspense de filmes oitentistas.




05 - AVRESA
É o codinome de Jeremy, com vivência na australia que está de volta ao site com a faixa 'Are You Happy', segunda divulgada em 2021 e um dos seus trabalhos mais recentes nas plataformas de streaming.

Gravada em meio ao lockdown, ela fala liricamente sobre viver indiretamente por meio das mídias sociais, os impactos em nossa saúde mental e as suposições rosadas que facilmente fazemos sobre a vida de outras pessoas. "É também sobre erros do passado e aquelas memórias distantes que ainda existem online em algum lugar", comenta o artista em release oficial.

Essa música é quarta faixa de um trabalho do artista, ainda a ser lançado e que se chamará "Perspective", trazendo novas visões sobre o que andamos passando diante de tudo que ocorre globalmente. 

A faixa pode ser ouvida abaixo:




INDIE ROCK
06 - ALTA FALLS

Pela primeira vez em nosso site, os australianos da Alta Falls lançaram no último dia 6 a faixa 'Sun In My Eyes' em todas as plataformas de streaming.

Instrumentalmente, eles se mantém dentro do indie rock, mas acrescentando elementos do synthrock numa faixa com riffs enérgicos e baterias aceleradas, onde no conunto da obra consegue mesclar perfeitamente uma sonoridade moderna do indie anos 2000 a uma vibe oitentista, ao longo de quase 3min20s.

Apesar do ritmo acelerado, a faixa traz um teor lirico triste e emocionante, com uma história em que o protagonista perdeu para outra pessoa alguém que amava e conta como isso foi doloroso. 

Gravada durante o início de COVID-19, a música começou a ter um sentimento mais “abrangente”. À medida que casais, amigos e famílias em todo o mundo se encontravam separados de seus entes queridos, 'Sun In My Eyes' assumiu um significado totalmente novo.




PSICODÉLICO/NEW WAVE/POWERPOP
07 - ROSELLAS

Uma sonoridade psicodélica domina os primeiros segundos de 'Before The Storm', faixa lançada no último dia 6 pela banda britânica que hoje ganha espaço em nosso site.

Além da psicodélia, temos um estilo vocal new wave que nos remete bastante a bandas como The Smiths e uma linha de guitarra com riffs característicos do indie rock britãnico, mostrando a capacidade da banda em que passar por diversas vertentes e ter um alto nível de criatividade num single extenso de +5min e um belissimo solo rocker.

Confira:




08 - POINT LOBO
Aparece novamente no site, agora em dose-dupla com trabalhos divulgados entre Junho e Agosto nas plataformas de Streaming.

O primeiro deles é 'Helen's Song', faixa com 4min de duração e que apresenta vocais principais e backing característicos da sonoridade power pop sessentista, além de trazer uam instrumentalidade de guitarras lo-fi e toques psicodélicos.

'Helen’s Song', com lançamento em 23 de junho, é o segundo single do novo EP Tacoma Narrows (EP completo lançamento em 21 de julho). Uma canção de saudade sobre reacender um relacionamento que se tornou frio, esta faixa traz também um videoclipe totalmente animado.




Dando sequências as novidades da banda, temos 'Tacoma Narrows', presente no EP de mesmo título e que traz uma sonoridade diferente da anterior, trocando o power pop pelo new wave, com elementos instrumentais sintéticos e solos psicodélicos ao longo de 4min30 na faixa que ainda tem participação de Nick DePinna e Hitomi Oba.

Ela é uma canção inspirada no infame colapso de uma ponte de mesmo nome. Ele mostra como um único evento pode virar sua vida de cabeça para baixo, como uma ponte que rola e desmorona descontroladamente. O final climático intenso apresenta os virtuosos trompas Hitomi Oba e Nick DePinna (no sax tenor e trombone, respectivamente). Seus enérgicos solos improvisados ​​foram gravados enquanto assistiam a imagens reais do colapso da ponte Tacoma Narrows. A música está junto com um videoclipe totalmente animado.




FOLK/ACÚSTICO
09- MOODY JR.
Vindo da icônica cidade de Woodstrock, ele lançou recentemente a faixa 'Breaking Into Cars', single do seu próximo álbum, já intitulado "Songs From Youth" e que serviu como se fosse uma terapia para o artista e compositor.

Neste trabalho, ele passa por uma sonoridade indie folk, acústica e com elementos instrumentais cinemáticos, dentro de uma produção bedroom num processo de criação onde ele escrevia as músicas conforme elas estavam sendo gravadas, dando uma alterada no seu processo de criação. 

Já liricamente, a música é "sobre como examinar o comportamento destrutivo quando eu era mais jovem. É refletir sobre como me comportei e perceber que estava procurando formas de autoexpressão. Eu estava perdido e estava desesperada e lamentavelmente procurando por uma saída criativa antes de encontrar uma composição", comenta o artista em release oficial.

Uma amostra do que está por vir pode ser ouvida abaixo:




10 - FARLANDERS
Diretamente de Cambridge, eles apresentam uma sonoridade indie folk na faixa 'The Lighthouse Lies Dark', divulgada há cerca de um mês.

Além de passar pelo indie folk, elementos do acústico, cinemático e da world music estão presentes em uma faixa que liricamente foi feita como uma homenagem a quem nos oferece luz em meio a escuridão, sendo a primeira novidade da banda ao longo de mais de dois anos, muito em conta de desafios pessoas que temos que precisamos passar diante da pandemia. 

Musicalmente, a faixa nos traz uma lindíssima de violino, em sua maioria calmo, mas que também apresenta momentos mais agitados, principalmente quando unido ao piano e os vocais suaves,  envolventes e relaxantes por parte de Laura Ward, enquanto Tessa Gilles é a responsável pela incrível linha de violino. 




POP ROCK
11 - GEORGE KATSOS

Norte-americano, ele está de volta ao site, agora pela Muso Soup, com a faixa 'Better Half', lançada no início de Agosto. 

Em 'Better Half' ele apresenta uma sonoridade pop rock, mas que traz elementos da produção bedroom pop, sonoridade lo-fi e a harmônia clássica do power pop sessentista. Já liricamente, faixa fala sobre reconhecer seu amigo ou parceiro como a melhor metade de um relacionamento.

Em reverência à música dos Beatles, Sgt. Lonely Hearts Club Band do Pepper e se aproximando de um hiato musical de 20 anos, George prestou homenagem a Liverpool, na Inglaterra, durante a Beatlemania. Ao retornar para casa na Virgínia do Norte, ele desenvolveu seu primeiro álbum solo “George Katsos EP1” como um lançamento independente em 2021. 

'Better Half' pode ser ouvida abaixo:




REGGAE
12 - VANA LIYA FT PEPPER

Traz um reggae diferente para a nossa lista, com a faixa 'Round N Round', lançada em Junho.

Nesta música, ela consegue mesclar rock, dream pop, indie e até mesmo toques de folk ao longo de quse 5min na parceria feita com a icônica banda de reggae rock Pepper

Produzido pelo multi-instrumentista, compositor e membro do Stick Figure Johnny Cosmic, o single  traz uma ótima combinação entre vocais crus, doces e etéreos de Vana junto com o lirismo por parte do vocalista de Pepper.

A faixa pode ser ouvida abaixo:




POP 
13 - KILLSY
De Miami, ele aparece pela primeira vez no site com a faixa 'Bloom', divulgada no início de Agosto e que traz uma sonoridade essencialmente pop, passando por vertentes do gênero como o contemporâneo  e um estilo vocal que, pra mim, remeteu muito ao Michael Jackson.

Sonoramente criado para parecer um passeio no parque com o chilrear dos pássaros, violinos arejados e afirmações abafadas guiando seus passos ao longo das palavras de cura e melodias. Com letras como "todas as estações são designs em escala de cinza/e você é uma sombra que eles ainda não percebem",  definem a faixa em release oficial.

A faixa pode ser ouvida abaixo:




14 - 12 LIMBS

Diretamente da Rússia, eles estão de volta ao site com a faixa 'Embrace', lançada na última sexta-feira de Julho e que funde elementos do indie ao eletropop que nos remete ao dance e eletro dos anos 80.

Se inspirando em nomes como Pet Shop Boys numa faixa que liricamente retrata um conto de liberdade pessoal. Uma mensagem para todos nós de que uma vida em sociedade confina, sufoca nossa liberdade, esvaindo-se em nossas verdadeiras personalidades por dentro. 

Ouça ela abaixo:



SOUL/JAZZ
15 - FLUX PEOPLE
Solo relaxante um vocal harmônico e gostoso de se ouvir tomam conta da faixa 'Black and Blue'', trabalho de estreia deles e que merece destaque estando em nossa lista de hoje.

Com sonoridade passando por algumas vertentes como  o soul/soft/art unida e que ainda apresenta diversos elementos retro numa faixa que fala sobre lidar com a luta a saúde mental.

Nesta faixa, eles trazem Abi Flynn (Za / Zu, J-Felix) para ecoar seu estilo vocal emocionante, enquanto Gabriel Nacu Jnr. (Smokin ’Rope) é o responsável por nos relaxar com seus riffs e solos executados durante a música.




16 - NICOLE RAVIV

Com raízes canadenses/israelenses, além de sua vivência em NYC, ela traz uma sonoridade que passa pelo Soul, R&B e Jazz na faixa 'What You Started', com videoclipe revelado no último dia 20.

Este trabalho apresenta uma linha vocal impecável do soul, unida a diversos elementos do jazz e um saxofone executado por Richie Cannata (New York State of Mind de Billy Joel), mostrando uma diversidade cultural e de estilos por parte da artista.

Ouça a faixa e confira ao videoclipe, com participação de Richie Cannata, abaixo:




17 - METROLUXE
É um  coletivo de Jazz diretamente de Brighton e que recentemente revelou nas plataforams de streaming seu trabalho de estreia, intitulado 'Get Some'.

Formados em meio ao lockdown, eles apresentam uma belíssima sonoridade do jazz, unida ao Soul contemporâneo e instrumental repleto de groove em um time montado pelos melhores músicos de jazz da cidade, com vocais dominados por Sam Carelse e sax/flauta na conta de Charlotte Glasson, que já com nomes como 
Nick Cave and The Bad Seeds.

Com sintonia perfeita entre eles, o estilo da faixa se encaixaria perfeitamente em clubes de dança do gênero em uma faixa que poderíamos perfeitamente ver dentro de filmes do James Bond. 

O resultado deste jazz nostálgico e repleto de grooves pode ser conferido abaixo:




HIP-HOP
18 - CHRISTIAN POWERS

Mescla hip-hop, rap e R&B, na faixa '2000 Miles', revelada nas plataformas de streaming há quase um mês.

Nes trabalho, ele traz uma grande entrega emocional e narrativa em seu tom de voz em um lirismo que foi inspirado por um mulher do passado artista e fala sobre alguém que se mudou quando ele era jovem e apaixonado.

A música foi originalmente feita como uma batida experimental e o resultado completo pode ser ouvido abaixo:




19 - FLYGHT CLUB

É um artista que flerta entre o hip-hop, rap e elementos do trap na faixa 'Drugs On My Mind', revelada inico do mês passado nas plataformas de streaming e que apresenta um vocal repleto de autotune com doses dark, bateria destacada e alguns samples de instrumentos que se encaixam perfeitamente com a velocidade vocal de ambos os artistas presentes na música. 

Com duração superior a 4min, a faixa começou como um experimento na criação de uma música com a espontaneidade sendo o fator determinante. "Eu queria tentar uma abordagem de composição e produção que excluísse olhar para trás e ajustar as coisas. Depois de adicionar um instrumento ou uma melodia, avançava para a próxima etapa e continuava fazendo isso sem nunca voltar e mudar nada. O resultado foi que eu criei uma batida tão interessante". 

O resultado da faixa e do videoclipe podem ser conferidos aqui:

Postar um comentário

0 Comentários