MUSO SOUP SINGLES #31.1: Terratara, The Racket, Jim McHugh, Transistor, The Baltics, Nightingale, Kobenz, Dwowdo, Angelo, JV/ZUU e outros artistas passando pelo Country, Pop, Hip-Hop e mais

A partir dessa semana, estamos buscando separar as novidades por estilos. Dentre eles, temos Country, Indie, Pop e Hip-Hop. Conheçam 20 artistas, de diversos estilos, ao longo da matéria.

COUNTRY
01 - THE COUNTY AFFAIR 
Amigos de infância, os irlandeses se juntaram 30 anos depois para formar um duo responsável por divulgar a faixa 'Bourbon Breakfast' nas plataformas de streaming há aproximadamente um mês.

Nesta faixa, eles apresentam uma sonoridade country, principalmente por conta do estilo vocal e do guitar slide presente em uma música que ainda flerta pelo Blues e trazem elementos do clássico country norte-americano, certamente por conta dos diversos shows que já fizeram por lá durante 20 anos. 

Um amostra desse belíssimo trabalho voltado para amantes não somente do country, como também de Blues e vertentes do rock, pode ser ouvido abaixo.



FOLK/ACÚSTICO
02 - TERRATARA
Após um country, temos a artista canadense que está de volta ao site, com 'Waiting For The Rain', single revelado nas plataformas de streaming no último dia 9 e que mostra para o público o leque de influências e elementos musicais da artista.

Neste single, ela busca falar sobre um tema importante de ser falado, mesmo que seja triste: Os incêndios florestais na costa oeste queimando fora de controle no oeste do Canadá e nos EUA. É um pedido de socorro para que os incêndios e a fumaça acabem.

Em contraponto a uma situação climática global desconfortável e que parece não ter fim, ela consegue ecoar sobre o tema com harmonias e instrumentais muito confortáveis de se ouvir, mesclando estilos como o folk e o reggae. 




03 - THE LONELY TOGETHER
Estão de volta ao site, com a suave e harmônica 'Shots Fired', último single retirado álbum de estreia da banda, lançado na primeira quinzena de Julho em todas as plataformas de streaming.

Neste trabalho, a banda apresenta um som  voltado muito mais para um folk/rock acústico, do que para um som mais pesado e alternativo, trazendo um vocal e instrumentais calmos para um conto sombrio e romântico com profunda melancolia.

Caminhando por elementos instrumentais e toques cinematográficos, o compositor conta uma história devastadora de luto por um amor perdido, numa faixa que apresenta um crescimento instrumental pesado durante seu último minuto, se transformando em um rock alternativo para a conclusão da história. 



04 - KRISTIAN PHILLIP VALENTINO
Norte-americano, ele lançou há um pouco mais de um mês a faixa 'Blue Skies' nas principais plataformas de streaming e vocês podem conhecer mais sobre ela ao longo deste compilado.

Cantor acústico e compositor de Chicago, ele começou a escrever em 2010, como uma forma de começar a processo de cura diante da perda de seu pai, entre outras coisas. De maneira oficial, começou sua carreira em 2021, de acordo com registro do Spotify, plataforma onde ele lançou até o presente momento quatro faixas, entre elas 'Blue Skies', com uma sonoridade instrumental que passa pelo indie/soft/ pop rock e um estilo vocal que em alguns trechos nos remeteu a Morrisey. 

"Depois do ano passado, acho que todos precisam de muita positividade e incentivo, agora. Espero que essa música seja um hino para o verão de 2021. Desta vez, no ano passado, não tínhamos certeza do que iria acontecer e essa música é um lembrete de que apesar das tempestades que passamos, o céu está azul. o horizonte", comenta o artista sobre a música, em release oficial. 



05 - THE RACKET
Um dos últimos sons acústicos da lista de hoje, temos uma banda britânica que divulgou um dos seus lançamentos mais recentes no último dia 9 em todas as principais plataformas de streaming. 

'I Need More' é definido pela banda como algo diferente de tudo que já foi lançado anteriormente por eles, além de mostrar outro estilo de composição por parte de Callum, numa faixa que nasceu do fato dele estar preso em casa e não conseguir um estúdio adequado para o que gostaria, se vendo praticamente obrigado ao DIY caseiro. 

Neste som folk acústico, ele traz uma mensagem até mesmo de desabafo, diante de todas as circunstâncias acima e que certamente muitas pessoas irão se identificar, independente de qual setor trabalha, sempre buscando algo melhor. 

Em release, eles comentam, que esta é a primeira vez que a banda saiu de sua ética usual de banda punk de 4 integrantes e reduziu seu som a apenas um violão, um órgão e percussão, em um trabalho definido pelo compositor como "uma das coisas favoritas que escreveu desde o lockdown". Sendo praticamente um diário aberto sobre sua vida e como lutar contra os pensamentos de dúvida e esperança.

A faixa é o segundo lançamento pela gravadora independente ALLO Records e vocês podem ouvir abaixo:



06 - STEPHEN JAMES ORR
Trazendo um leque amplo de conhecimentos musicais, o artista canadense consegue apresentar uma belíssima mescla entre Jazz, Soul e acústico em 'Within You', faixa lançado nas plataformas de streaming início de Junho.


Além desses elementos, a hipnótica flauta e os vocais harmônicos e envolventes por parte de Gisun também são elementos essenciais de uma faixa tão gostosa de se ouvir que (infelizmente) quando menos esperamos, já acabou. 

Liricamente, a música busca trazer uma mensagem sobre força interior e coragem, impulsionando nossas verdades mais profundas que se revelam como parte de nossas histórias de vida.

Esta faixa é de um álbum escrito ano passado, onde o artista gravou todos os instrumentais e encaixou diversos estilos vocais, para que se encaixassem na vibração das músicas, junto com alguns instrumentistas também. 

Uma amostra de seu trabalho pode ser ouvida abaixo:





INDIE
07 - MAD MAD MAD

Diretamente de LA, eles são um trio de indie rock que lançaram no final de Maio a faixa 'Dead End Friends' nas plataformas de streaming.

Além do indie rock, neste single eles também apresentam diversos elementos tanto do Dream Pop (principalmente por conta da harmonia vocal), quanto do instrumental característico de sons dos anos 80, repleto de sintetizadores e melodias cativantes presentes no segundo single da banda.

Em release oficial, John comenta: "Dead End Friends é uma faixa que escrevi sobre aquele equívoco que a maioria de nós temos de vez em quando, de que nossos amigos são o que estão nos segurando, quando na verdade eles são a única coisa que nos mantém juntos. Sem eles, há tantas alegrias que perderíamos. Mesmo quando você está sem dinheiro, você tem pessoas para se divertir. Mesmo quando está com o manobrista pegando as chaves, você ainda dirigindo em torno dos carros mais bonitos do restaurante. Dead End Friends é sobre estar no fundo e olhar para cima. Esta faixa é a primeira vez que parece que minhas habilidades alcançaram minhas ambições e eu fui capaz de gravar música da minha maneira."

A faixa apresenta um refrão vocal, unida a uma linha de baixo com grooves que certamente grudaram na cabeça do ouvinte, até mesmo por muitos momentos após apreciar a faixa abaixo.



08 - JIM MCHUGH
Pela primeira vez no site, ele divulgou na última sexta-feira o single 'Her Love' em todas as plataformas digitais.

Nela, podemos identificar sua raiz irlandesa em um som essencialmente indie rock com uma simples, mas envolvente, linha guitarra, além de um vocal intimista, executado praticamente de forma poética, ao narrar a história de um ente querido que faleceu e detalha a esperança de que o amor dela volte algum dia. No último minuto, ainda pudemos ouvir um crescente não somente instrumental, responsável por transformar a faixa em um rock mais alternativo, como também tivemos um mix entre voz secundária e principal, essa última mostrando toda a capacidade do artista conseguir trafegar entre sons mais leves e pesados.

Apesar de ter sido lançada agora como single, ele faz parte do álbum "Pretending To Wake Up", lançado em Maio. Gravado e produzido no Black Mountain Studio's, Jenkinstown e Wynne Wynne Studio, Dundalk por Alex Borwick e com Jim nos vocais/guitarras, Paul McCabe no baixo, James McNeill na bateria, Alex Borwick no sintetizador.




09 - TRANSISTOR
Estão com uma sequência de trabalhos divulgados pelo site esta semana. Parceiros também de divulgação em outras ocasiões, a de hoje é 'Shadowboxing', segundo single que foi revelado para o álbum da banda, intitulado "Maybe in The Summer" e lançado no último dia 16.

O compositor do Alabama escreveu essa música durante muito tempo de lockdown, morando sozinho, sem animais de estimação para ter como companhia e repleto de solidão.

Apresentando uma instrumentação indie/garage, com riffs acelerados, uma bateria cadenciada ao longo da faixa e um estilo vocal clássico do indie rock britânico, o artista tentou transformar em letra todo esse mix de sentimentos trazidos para o seu coração pela quarentena, além de uma esperança de que as coisas pudessem melhorar.

Ouça 'Shadowboxing':




10 - THE BALTICS

Diretamente do Reino Unido, eles lançaram no início de Julho a faixa 'Homeless Kid/Character Arc' em todas as plataformas de streaming.

Neste que é um dos trabalhos mais rockeiros da lista de hoje, a banda apresenta um rock acelerado, com um estilo vocal característico do alternativo, além de acertar em cheio os fãs de baixo com uma linha muito bem destacada do instrumento durante o último minuto da música, onde também temos um crescimento maior da bateria. 

Sobre a música, o baixista e cantor Shay explica: "Ela é sobre uma pessoa assistindo alguém que já conhece se tornar rebelde e a maneira como essa pessoa rebelde sente a necessidade de mentir enquanto se opõe ao que as pessoas podem espera que sejam."

O single, "Homeless Kids / Character Arc", é a primeira música do próximo EP de estreia da banda intitulado "Pine Lane’s Poster Boy", que deve ser lançado na próxima Sexta-feira.



POP/DANCE/ELETRO
11 - THE TROPICANAS
Apesar do nome, eles são de um local nada tropical: Escócia, de uma área conhecida pelo seu cinzento e que quando aparece sol, até vira música (Como 'Here Comes The Sun', dos Beatles).

Np início de Junho eles lançaram a faixa 'Calypso Kool', onde apresentam uma sonoridade que flerta principalmente com o dream pop, surf e new wave unidos a elementos instrumentais do lo-fi que se transforma em uma identidade única da banda. 

Durante o lockdown, eles trabalharam no seu próximo EP, que deverá ser lançado no final de Agosto. Uma amostra de seu trabalho pode ser ouvida abaixo:




12 - THE GOLDEN HOUR
É um artista eletrônico da Itália e que na segunda quinzena de Julho revelou pelas plataformas de streaming em um dos seus trabalhos mais recentes, intitulado 'Lucid Dreams'.

Está segue uma sonoridade de elementos parecidos com a anterior de nossa lista de hoje, onde apresenta um background completamente instrumental, mas com uma atmosfera repleta de dream pop, synthwave/pop e elementos oitentistas, conduzindo o ouvinte para outros locais dentro de sua mente e e apresentando até uma sonoridade relaxante, em uma faixa mais voltada para dançar de maneira de entrar nossa mente na música, do que de extravasarmos com o som propagado.

Release: "Um músico multi-talentoso, The Golden Hour é orquestrado por Matteo Zandonella Bolco, trazendo a música Retrowave Synth-pop ao mundo por seu desejo de motivar, inspirar e confortar seu público enquanto espalha amor e alegria para todos que a ouvem.

Ao criar música diretamente a partir dos reflexos de suas experiências, The Golden Hour desenvolveu um estilo de composição que é transparente, ousado e cheio de esperança. Embora as músicas sejam divertidas, elas são multifacetadas, contendo muitos tons mais sérios do que à primeira vista. 

Exibindo a profundidade de seu lirismo com uma mistura de autenticidade, nostalgia e som absolutamente delicioso, há muitas histórias que ainda serão transformadas artesanalmente por The Golden Hour. Além do estilo brilhante que diferencia este trabalho dos contemporâneos, um caminho para o novo expressão está sendo pavimentada. Pode não ser a música que 'muda o mundo', mas certamente é a música que mudará as pessoas do mundo".




13 - PATRIK JEAN
O cantor e compositor sueco é o responsável pela faixa mais pop em nossa sequência pop eletro de hoje, ao apresentar uma voz comovente e unida a letras desafiadoras dentro da faixa 'Gravitate', uma das composta após de anos trabalhando somente escrevendo faixas para outros artistas interpretar. Já sobre a sonoridade, temos um baixo e elementos de sintetizadores que mostram um trabalho evoluído por parte do artista, que leva o ouvinte, de certa maneira, a uma jornada intergaláctica, começando pelo título.

Em release oficial, ele fala sobre a faixa: "Gravitate é uma homenagem àquela pessoa que você sempre orbitará. Com essa música eu fui muito conceitual e deixei minha mente correr livre com metáforas para descrever aquele amor do qual você não pode ficar longe".




14 - NIGHTINGALE
É um artista australiano que há um mês lançou a faixa 'Rewind' pelas plataformas de streaming.

Neste trabalho, temos uma mescla entre estilos como o eletro/synthpop, dance, cinemático e EDM, numa faixa onde liricamente ele escreve uma descoberta e mudança dentro de si mesmo, trazendo um lado de cru de composição e repleto de teor intimo, com o artista se abrindo em sua maneira de composição e unindo isso a melodias cativantes, que certamente farão o ouvinte dançar enquanto acompanhar a sonoridade e a letra. 

“A música foi inspirada por minhas próprias reflexões sobre seguir em frente e prosperar na mudança, apesar das lutas que vêm junto com isso. O conceito de adaptação à incerteza é algo em que estou crescendo e definitivamente mudei minha atitude, de fugir disso para abraçá-lo e saber que estarei melhor assim que passar por isso. ”- Nightingale




15 - KOBENZ
Depois de uma sequência de sons indie, temos uma trinca de faixas voltadas principalmente para o hip-hop e rap, além de elementos e influências de outros gêneros, como podemos ver em 'H8fxck', lançada há um mês por Kobenz (que já apareceu anteriormente no site).

Ela se inicia com elementos do Metal, EDM e dark pop, unindo a um estilo vocal de vertentes citadas anteriormente como principais, além do próprio metal, mostrando um leque de estilos musicais de conhecimento do artista.

Ouça abaixo:




16 - DWOWDO
É um artista britânico que, há cerca de um mês, lançou uma faixa praticamente instrumental, intitulada 'Put In The BAG'.

Nesta música, ele apresenta um trabalho DIY, com produção feita no estúdio montado em quarto, trazendo uma faixa de estilos como o Dance, EDM, House e industrial, misturando perfeitamente diversas vertentes do eletrônico, numa tentativa de ultrapassar os limites de cada gênero e música que faz.

O resultado deste trabalho pode ser ouvido abaixo:




HIP-HOP
17 - CAM THOMAS
Fisiculturista e rapper, o artista britânico revelou na última sexta-feira a faixa 'Entitlement', que apresenta uma mescla entre o hip-hop e o rap ao abordar um estilo lírico suave e espirituoso, nos fazendo lembrar um rap narrativo que se combina com um hip-hop melódico que surgiu principalmente entre a metade da primeira década do século e mais ainda após 2010.

Trazendo um teor político e consciente para sua música, o artista se propõe a preencher a lacuna entre o tema inspirado nas ruas do rap do Reino Unido e as realidades da classe trabalhadora, esculpindo arte que pode ser consumida não apenas por fãs experientes de hip-hop, mas mas sim atraindo fãs não tão hardcore ou públicos de outros gêneros, ao fundir esse estilo com vocais ora característicos também do pop. 




18 - ANGELO
É um um artista canadense que já abriu o show de grandes nomes como T-Pain, além de ter vencido uma premiação de melhor Hip-Hop no Richmond International Film & Music Festival.

Há quase dois meses, ele lançou um single intitulado 'Houston Texas', onde apresenta uma sonoridade que mescla entre o Rap, R&B e Hip-Hop, num vocal comandado por efeitos de auto-tune. A música é inspirada por suas dificuldades e traições na vida, assim como por meus sonhos.

Confira:




19 - CASPER MERCI
Nascido e criado em Indianapolis, EUA, ele divulgou há um mês e meio a faixa 'Love Hard' nas plataformas de streaming.

Neste trabalho, o artista mescla duas paixões: Música e carro, ao mostrar as semelhanças entre se apaixonar por alguém romanticamente e dirigir um carro esporte de alto desempenho em uma pista. Na maioria das vezes, as pessoas se machucam. É esse coração partido que é simbolizado pelo carro de corrida batendo em uma parede ou barreira, deixando nada além de uma concha de aço deformado e gasolina queimando que já foi o passeio de alegria de uma vida e é dessa dicotomia que vem o título da música. 

Tradicionalmente de estilos como o hip-hop, este single foi escrito, produzido, gravado e projetado completamente por Casper Merci em seu estúdio caseiro, onde tocou até violão. 

Buscando a versão perfeita desse som até ser finalmente lançado, ele fez três versões instrumentais e duas vocais, mostrando empenho e carinho com uma música voltada para a sonoridade que passa pelo R&B, Hip-Hop e Rap que com certeza o ouvinte irá curtir e terá vontade de ouvir cada vez mais e mais.




20 - JV/ZUU
Finalizando a lista de hoje, temos um grupo de hip-hop, que combina diversos elementos eletrônicos, unidos a um estilo vocal que também engloba um som comercial para o single e videoclipe 'Lemonade', lançado nas plataformas digitais no último dia 17 .

Não somente a faixa, como também o videoclipe do grupo formado em 2021 pode ser conferido abaixo. Certamente em breve teremos novidades sobre eles por aqui.


Postar um comentário

0 Comentários