Um Lugar Silencioso: Parte II é a sequência que os fãs esperavam e mereciam

 

Depois de mais de um ano adiado, estreia hoje finalmente Um Lugar Silencioso Parte 2. Sequência do longa de 2018 dirigido e atuado por John Krasinski (o Jim Halpert de The Office) que foi sucesso absoluto. Tanto que o filme mal havia estreado e já foi anunciado a sequencia que estav
a prevista para março de 2020 e adiado por conta da pandemia.

E de fato o longa compensou pela espera dos fãs. Um Lugar Silencioso 2 começa do exato ponto em que o primeiro filme terminou. Agora acompanhamos Emily Blunt e seus filhos na jornada de um novo porto seguro. Mas não antes de uma excelente e a assustadora sequencia de abertura que mostra brevemente como tudo começou.

Tudo o que fez do primeiro filme um sucesso, agora foi elevado à milésima potência. O roteiro é mais ousado e recheado de momentos de tensão que se estendem até o clímax, com uma ajuda impecável do som, o grande forte do longa. Assim como Martin Scorsese, Jhon Krasinski não apenas entende a importância do silêncio, mas sabe o usar a seu favor com todo o potencial para criar alguns dos melhores momentos de tensão já visto no cinema nos últimos anos.

Além da atuação perfeita de Blunt, o espectador também é agraciado com a performance tocando do sempre talentoso Cillian Murphy (de Peaky Blinders) que assume a figura paterna deixada por Krasinski anteriormente. As dificuldades de sobreviver à esse mundo continuam as mesmas para todos, mas, tanto o espectador quanto os personagens já conhecem algumas das regras que regem esse universo e nos deixa mais atentos, mas não mais preparados, uma vez que tudo é imprevisível.

Mas quem se destaca mesmo, é a jovem Millicent Simmonds que interpreta Reagan, a filha surda e, de certa forma a responsável por descobrir o ponto fraco das terríveis criaturas que dominaram o planeta. Surda na vida real, Millicent mostra que não é preciso depender de diálogos para ser uma boa atriz. Tão talentosa quanto Blunt e Murphy, é ela quem carrega a maior parte do peso emocional e quem leva a história adiante.

Mais uma vez, Krasinski nos coloca para acompanhar uma jornada assustadora, mas, mais que isso, sensorial. Há uma dinâmica imersiva. Ora estamos em cenas barulhentas que nos colocam em meio ao caos para segundos depois, acompanharmos o que está acontecendo pela perspectiva de Reagan no mais absoluto silêncio de sua condição onde o pavor se torna ainda maior. Em tais momentos, seria possível ouvir um alfinete caindo na sala de cinema.

Um Lugar Silencioso Parte 2 é tudo e mais do que os fãs esperavam depois de tanto tempo. O que é gratificante considerando o quanto Hollywood é capaz de por tudo a perder com sequencias desnecessárias ou mal desenvolvidas. Mas não se empolguem tanto. Já foi confirmado que não haverá sequencia apesar de que uma série spin-off derivada desse universo está sendo discutida. Por ora, podemos apenas mergulhar e aproveitar a jornada sonora que Um Lugar Silencioso é.

Postar um comentário

0 Comentários