MUSO SOUP ÁLBUNS #28: Saorsa, Reality Suite, Kodah, Glitched, Transistor e mais artistas de vertentes pop/folk, rock melódico, entre outros; Ouça aqui!!



01 - MEGAN MCDUFFEE
Cantora/compositora/produtora musical norte-americana, ela está no ramo há quase 10 anos e, depois desta longa jornada, trouxe para as plataformas de streaming o álbum "Inner Demons", primeiro full-lenght de sua carreira.

Em um trabalho extenso, a artista apresentar para o público ouvinte 10 músicas, que trafegam por vertentes como dark/eletro/synthpop, em um som com vocais harmônicos, elementos de batidas e toques oitentistas do gênero, além de trazer influencia de artistas como Depeche Mode e Grimes, em um álbum que destaca a a luta emocional da artista, num instrumental com ritmos pulsantes, sintetizadores e brilhantes melodias.

Feito de maneira DIY, ela é a responsável pela composição, produção, gravação e mixação do álbum. 




02 - SAORSA
É um cantora/compositora australiana que, após uma sequência de lançamentos, está de volta com "Call Me Out", EP de quatro faixas que trazem melodias e vocal angelical, unida a uma instrumentação envolvente e que faz cada uma das músicas navegarem dentro da mente do ouvinte. 

Em release oficial, a arista comenta: "O projeto realmente captura um período de transição na minha vida no auge dos meus 20 anos, mudando cidades e mudando de carreira. É um momento assustador, como mergulhar de cabeça em águas negras."

Prometendo artistas fãs de diversas vertentes dentro do pop, Saorsa une em seu trabalho influencias e elementos do pop contemporâneo, alternativo, indie e até mesmo dream.

Confira o EP completo abaixo:



 
03 - REALITY SUITE
É uma banda norte-americana, formada em 2009, mas com formação atual desde 2013. 

Com "Awaken" sendo o álbum de estúdio mais recente deles, logo no início já podemos ver a razão de estarem presente nessa lista da semana. Com o vocal feminino, eles fazem um belo mix entre o rock pesado e melódico, com vocal muito bem conduzido, unido a riffs acelerados, envolventes e um ritmo de bateria pesado, numa sonoridade que passa pelo rock moderno e clássico, trazendo um peso e maturidade musical que certamente cativaria público de estádios e fests internacionais. 

Neste trabalho, além das habilidades de produção do hard rock, eles trabalharam com o produtor/engenheiro Mike Ferretti (Sevendust, Saliva, Brand of Julez) e o produtor pop/R & B Earl Cohen (Lady Gaga, Jessica Simpson, Pink.), trazendo um toque da produção e até mesmo batidas do pop para um trabalho essencialmente hard/classic rock. Junto com isso, a banda oferece uma performance sólida e madura, colocando ótimas melodias, riffs, bateria a uma voz realmente maravilhosa




04 - MARK HOUSTON
Compositor e multi-instrumentista com vivencia nos EUA, Houston está de volta ao site com o álbum "The Coast", lançado na última semana.

Trazendo 11 músicas ao longo de aproximadamente 42min, ele busca trazer o estilo da narração de um pensamento em forma de música, conduzidas por guitarras e belíssimas paisagens sonoras de um trabalho mixado e masterizado por Jimmy Hill no Amplified Wax Recording Studio (Tech N9ne, Joe Bonamassa, etc.), além de trazer participações especiais como Luke Westermeyer (de Jacklando) na bateria/percussão e Sooyoun Park nos vocais/violino.

Entre os singles, tivemos 'All The Mornings', que trafega entre elementos do folk e a harmonia clássica do power pop, com  vozes em camadas, violão, piano, xilofone e bateria/percussão espaçosa, numa faixa que fala sobre o envelhecimento do amor, de estar todas as manhãs com quem ama e 'Whispers in the Dark", conto que captura a montanha-russa emocional de emoções complexas sentidas por uma mãe ou pai durante a transição de seu filho para a idade adulta. Em uma história onde doces memórias são confrontadas com feitiços frenéticos de raiva e gritos enigmáticos de desejo, Whispers in the Dark guia o ouvinte por uma jornada cativante e imprevisível.

Cada uma das músicas de um álbum harmônico, rico em instrumentos de diversos estilos e sonoridade voltada para o folk e vertentes acústicas, pode ser ouvido abaixo:




05 - KODAH
Lançou hoje (21/7), um álbum com 10 faixas, intitulada "The Apocalypse". Depois de anos compondo e gravando, o artista se viu na necessidade de transformar tudo isso em um álbum e este foi o resultado: Um projeto DIY, com composição, gravação e produção feita por Kodah, como uma forma de se expressar criativamente e falar sobre suas experiências. 

Neste trabalho, o artista traz uma entonação vocal leve, intimista e com instrumental que cada hora destaca um item especial, como o baixo de 'When I'm a Ghost' (este que segue o mesmo estilo da faixa anterior, antes voltada para a guitarra), guitarras e uma bateria groovada na faixa-título (em uma música voltada para o indie, mas com vocal característico até do mesmo do R&B/Soul), os elementos eletrônicos,  com bateria e teclado de 'Space Invaders (faixa com vocal que nos fazem até lembrar do estilo "devagar" de Billie Eilish), sendo algumas das músicas responsáveis por mostrar toda a variedade musical e artística de um trabalho que não podemos esquecer que foi feito no modo DIY.

Ouça abaixo:




06 - SUBCONSCIOUS CULTURE
É um projeto  que nasceu da mente de Erin Miller e busca abordar as questões por trás do que afeta nossa sociedade para melhor e para pior, com letras implacáveis e instrumentais trabalhados cuidadosamente.

Lançado em Maio, "What Separate Us" é um álbum oito músicas e que traz uma história contada em sete partes, levando o ouvinte para um lugar de êxtase boêmio ou um ambiente auditivo de raízes profundas do hip-hop, mas também navegando por elementos e influencias de outros estilos, como o jazz presente na faixa inicial ou o Soul presente no último minuto da música que vem logo em seguida.

Sendo um trabalho colaborativo, com artistas diferentes participando de cada uma das faixas, podemos conferir músicas repletas de harmonia melódica e metais sonoros, num projeto multi-gênero que passarpa não somente pelo hip-hop e rap, como também pelo groove, soul/jazz/R&B e ate mesmo o blues, como ouvimos em 'Concerning Karen'.  A jornada finalmente culmina com uma intensidade instigante que pode ser melhor descrita como autenticamente crua.




07 - GLITCHED
Lançado na última Sexta-feira (16), este EP de três faixas é resultado da inspiração musical e lírica diante de diversos acontecimentos que ocorreram durante o ano de 2020. Para transmitir a mensagem que gostariam, eles criam uma personagem influenciado pela forma de como tudo que ocorreu e ainda ocorre ao longo do mundo é interpretado e transmitido pelas redes sociais, num projeto conceitual onde traz para o público ouvinte uma combinação de estilos, influências e elementos que passam pelo prog/hard/alt rock, além de elementos noventistas do gênero, do metal e até mesmo do hip-hop.

Em release oficial, eles que comentam que este último EP é influenciado em particular pelo rock alternativo dos anos 90 (em particular Nine Inch Nails, Sunny Day Real Estate, Nirvana), ao metal progressivo recente (Periphery) ao pop / rock alternativo dos primeiros naughties (Kinch) e ao punk de garagem japonês (Thee Michelle Elefante de arma).




08 - TRANSISTOR
Outro trabalho lançado na última Sexta-feira (16) foi "Maybe in the Summer", álbum de estreia da banda norte-americana, que transborda de elementos e influências presentes no indie rock, mesclando ares novos e nostálgicos do gênero.

Neste álbum podemos ouvir e admirar a ótima percussão, bateria e guitarras enérgicas presentes em cada uma das músicas dançantes e que esperamos em breve ver embalar pistas de dança e públicos de festivais do estilo. Certamente, por serem do Alabama, eles usaram bastante o ar do local e o estilo musical da cidade como influências.

Um dos singles principais é 'Silver Lining', que conta a história da aventura de verão do cantor: ele desenvolve afeição por uma garota que não parece se interessar por ele ou qualquer outra pessoa. Ele canta sobre a mudança do clima de verão. À medida que os matizes da natureza se transformam durante a temporada, suas emoções o dominam e ele aguarda um sinal que o levará a se aproximar dela.

Além deste tema, podemos ver e ouvir liricamente, diversos humores captados ao longo das 10 faixas presentes em cerca de 38min de duração. 

Ouça o álbum completo abaixo:




09 - D I Z M A T I O N
Alguns meses depois, eles estão de volta ao site, com 'Shall I', single retirado do álbum "Xeo Proto" e que traz ao ouvinte um som que mescla entre o rock alternativo e indie, com o baixo sendo o instrumento de destaque por grande parte da música, unida a uma bateria acelerada e riffs envolventes que prendem o ouvinte a acompanhar a faixa do início ao fim.

Em release oficial, eles comentam que é uma canção descontraída sobre as práticas ocultistas e o segredo por trás delas, além de ser inspirada na arte de terror.

O álbum completo pode ser ouvido abaixo:




10 - DAN MCLACHLAN
É um compositor/musicista inglês que, no último dia 15, divulgou nas plataformas de streaming seu álbum com 11 músicas, intitulado "Twas the Devil Himself", onde apresenta para o público ouvinte uma mescla entre o folk e indie rock, além de trazer elementos do rock alternativo (principalmente por conta do peso da bateria) e do country (como alguns lap steel presente ao longo do álbum). 

Gravado e escrito durante o lockdown, "a little help from friends" como Nick Jonah Davis no lap steel, Matt Ball na bateria e Peter Fletcher no Black Bay Studio na produção, num som que traz a influência de nomes como Fleet Foxes e The War on Drugs, abordando temas como a morte de pessoas próximas, o amor e a perda, e o desejo de mudar para um modo de vida mais simples, mais próximo da natureza.

O álbum é dedicado a Colm Byrne, um amigo próximo que morreu no início deste ano. 




Postar um comentário

0 Comentários