MUSO SOUP SINGLES #23: Tess Daniel, Lucrezia, Avresa, Kthona, Lemon, Gabriel, Pariz, Volleyball e mais artistas com singles e videoclipes lançados no primeiro semestre

01 - CHRISSIE HUNTLEY
Uma das novas artistas mais promissoras de Bristol, Chrissie lançou recentemente o single 'Supposed to Be', um ano depois que cantora entrou num hiato responsável por sua repaginação, trazendo uma nova vida em seu som a arte. Passando por estilos como o R&B, Soul e Pop (contemporâneos também) 'Supposed to Be' apresenta um dos melhores vocais dos últimos tempos, conseguindo trazer tons suaves, mas também marcantes (nos elaborando muito a hits da Beyoncé com esse estilo) e muito bem encaixado com eventuais backing vocals, numa faixa que leva o ouvinte um relaxamento mental, fazendo sua cabeça entrar dentro da música, ao longo dela toda.

"'Supposed to Be' é uma das primeiras canções que escrevi quando era adolescente e acabei de ser abandonada por um cara que pensei que deveria ser" o escolhido. "Acho que todos nós já estivemos naquela posição em que você sabe que acabou, mas você só quer aguentar e fingir um pouco mais..."

"... É uma faixa muito vulnerável, suponho. Foi muito cru na hora de escrever e eu nunca tive qualquer intenção de lançá-lo - foi mais como uma terapia para mim do que qualquer outra coisa. Mas, sete anos depois e aqui estamos nós! Liberar isso como uma introdução ao meu novo som parecia o ajuste perfeito, pois contém a parte de mim que primeiro se voltou para a música em um momento em que eu estava lutando, o que acabou se tornando a premissa inteira de minha jornada musical ..."




02 - LUCREZIA
Lançado na segunda quinzena de Abril, 'My Way' é um dos singles mais recentes da artista, que consegue, numa única faixa, mesclar estilos como o R&B, Pop e Soul.

Trazendo vocais sensuais/suaves, com um refrão poderoso, cativante e que envolve o ouvinte, os beats ao longo da faixa permitem que a artista execute um vocal dinâmico, seja nos tons ou no vocal inglês/espanhol, permitindo uma imersão maior do ouvinte dentro do seu trabalho.




03 - TESS DANIEL
Ela é uma cantora e compositora holandesa que mora em Berlim, Alemanha. Guitarrista autodidata, lançou 'Restless Heart' no final de Abril, sendo um dos seus singles mais recentes, trazendo um belíssimo instrumental mesclado entre o folk e o psicodélico, com harmonias vocais ricas, que mesclam com maestria entre a voz principal e backing voltados para vertentes do folk, mas apresentando tambm elementos do dream pop.

Na música, ela fala da dificuldade de fazer a transição para a vida em um país diferente e encontrar a alegria da mudança. "Você e eu - viemos por cidades invadidas - como estou tentando - para acalmar minha inquietação, coração inquieto".

Em 'Restless Heart', a artista também  deu seus primeiros passos como produtora, em seu estúdio caseiro, ela transformou e canção feita no violão em uma bela música que consegue unir estilos, ao longo de quase 3min30.




04 - THE HOLLOW ROOTS
Mais de dois anos depois de "Ghost(s)", segundo álbum da banda do Tennessee, eles lançaram em Abril o single 'Blame', como o primeiro de um projeto que resultará no EP "Modern Medicine".

Trazendo guitarras que conduzem a faixa, apresentando um ótimo riff unido a vocais característicos do indie e até mesmo do grunge, com melodias que certamente prenderam o ouvinte durante toda a música.

A faixa é o próximo passo no crescimento da banda em direção a uma banda de rock atualizada com a qual todos possam se relacionar, abordando temas como auto-reflexão e crescimento, unindo seu crescimento lírico a melodias arrebatadoras de guitarra, mesclando o clássico Hollow Roots do blues ao indie rock atual.

Uma amostra desse trabalho pode ser ouvida abaixo:




05 - AVRESA
Fora da Suécia, 'avresa' pode não ser uma palavra muito conhecida, mas em inglês ela pode ser traduzida como 'partida para o início de uma aventura'. Foi considerado um nome adequado para Jeremy Binger, compositor, guitarrista e pianista australiano, que se juntou com outros integrantes, para projeto musical desafiador, voltado para estilos como o indie, eletrônico, folk e pop rock, contando também com a participação de vocalistas e músicos locais.

'But Maybe (You're in Denial)' conta uma história fictícia sobre muitas histórias fictícias. É sobre uma criança crescendo em um ambiente saturado de mentiras e desinformação e levanta questões sobre como isso afetará seu desenvolvimento. 

O resultado desse trabalho multi-gênero pode ser ouvido abaixo:




06 - NIAMH FINAN
'Strawberry Light' é um dos trabalhos mais recentes da cantor e compositora britânica, que apresenta uma faixa com lírismo inspirado nas cores de um belissimo pôr do sol visto por ela durante uma viagem. No single, ela se baseia em experiências pessoais de amor e perda e o resultado é uma balada emotiva e reflexiva com uma qualidade de sonho e hipnotizante, seja por conta seus vocais destacados ao longo de toda a música por pelo piano em que a acompanha.

Como dito em release oficial, 'Strawberry Light' é seu trabalho mais realizado até agora e sua voz e sua música certamente resistirão ao teste do tempo.




07 - KTHONA
Voltada principalmente para o Nu Metal, mesclando rap rock, metal e comandado por um vocal feminino, Kthona é uma banda ucraniana, que seja por suas letras ou pelos vídeos, tenta mostrar para todo o resto do mundo não só como o país deles realmente se parece, mas também o que significa viver e tentar fazer música por lá.

O single de estreia deles é 'Cancel My Culture', com gravação, mixagem e filmagem feitos totalmente no modo DIY, algo essencial hoje em dia para sobrevivência das bandas independentes e que também me fez sentir saudades de quando músicas do gênero estavam sempre no TOP 10 das paradas e playlists do início do século.

A música é um hino de todas as rejeitadas pelas grandes gravadoras. O protesto contra músicos esgotados e artistas falsos, e a cultura governada pelo dinheiro e pelo hype. Nela, eles estão contando sua história, sobre a luta por sua liberdade e sua voz. Mesmo se você não tiver dinheiro, conexões, poder, o país deles não tem oportunidades para o desenvolvimento da música independente, mas graças ao mundo globalizado, eles podem tentar se expandiram e, por isso, estão em nossa lista de hoje.




08 - ATOMIC BRONCO
É o primeiro single do EP "Spectrum", já lançado no último dia 10. A faixa tem um groove descontraído,  com o vocal calmo sendo acompanhado pelo violão, mas mostra uma variedade não só vocal, como ao ouvirmos um instrumental mais rock, com riffs pegados de guitarra durante o refrão e ganhando momentos especiais para um solo enérgico,executado pela banda de um só, Kyle Nuss. 

No Spectrum EP, Atomic Bronco procurou explorar sonoramente os gêneros e acabou com uma gama de canções condizente com o nome. Cruel fornece uma ótima introdução e oferece uma visão intrigante do que esperar do Atomic Bronco.




09 - TEMPERATURE FALLS
Lançada em Abril, 'Nothing Really Matters' foi o último single a ser divulgado antes do álbum mais recente de inéditas da banda. A faixa traz ao público ouvinte uma grande batida de trip hop, unida a uma guitarra considerada indie e um vocal enigmático, comandado por Camilla. 

Essa faixa e o álbum completo podem ser ouvidos no Spotify oficial da banda, abaixo:




10 - LEMON
Em Shiiine On, o artista traz ao público ouvinte uma sensação mais psicodélica e meditativa, culminando em um solo de guitarra espacial no final. É o quarto single lançado após o lançamento do quinto álbum de Lemon em 2019, que recebeu críticas positivas ao redor do mundo.

Como influencia, ele fala de nomes como Happy Mondays, Primal Scream, The Charlatans, The Farm, The Stone Roses e nomes atuais como The Kooks, Kasabian, Cut Copy, Jagwar Ma, Chk Chk Chk e Hard-Fi. Criando um gênero intitulado por ele como NEDchester (referindo-se ao gênero MADchester: NED significa Holanda, em holandês: Nederland).



11 - EVANGENITALS

Durante a pandemia, Evangenitals se concentraram em gravar sessões de garagem e fazer videoclipes estranhos e caseiros.

'I Want To Funk' é uma faixa experimental, que passa também pelo eletrônico, e rock progressivo como estilos principais, apresentando Joey Maramba e Rob Shaffer (Ninja Academy) na bateria e baixo, num vídeo que contém imagens de domínio público do Archive.org. O vídeo está disponível no YouTube e a música em todas as plataformas de streaming.




12 - ELECTRIC HIGH
Depois de lançar o EP "Go Easy On My  Heart", os noruegeses da Electric High já estão de volta, agora com 'Trembling Bones', rock que foi resultado de uma noite dificil de ressaca, numa faixa gravada no Solslottet Studios, em Bergen, Noruega, produzida por Iver Sandøy.

Mesclando hard rock, classic rock e trazendo também elementos do country e de suas raízes escandinavas, a introdução percussiva ilustra o estado instável em que os compositores estavam enquanto concebiam esta música. E a "situação crescendo em minha mente" nada mais é do que a escalada das dores de cabeça e a paranóia dos eventos embaçados da noite anterior. No refrão, temos batidas implacáveis de um som antemico, que certamente seria amplificado pela cantoria do público em grandes festivais, num futuro não tão distante da volta deles.




13 - FRAN LUSTY
Lançada final de Abril 'You Don't Know Me' é um dos singles mais recentes da artista britânica, que trafega pelo indie folk/pop/ dream pop.

Apresentando vocais suaves, numa faixa escrita em momento de sua frustação de sua vida, ela transforma em poesia algo comum para muitos de nós: Estarmos de fartos de pessoas que julgam saber mais de nós do que nós mesmos.

Mesmo com o teor triste da letra, o quesito instrumental da faixa é mais animado do que o normal de suas composições, ao trazer influencia de nomes como Julien Baker, Phoebe Bridgers, Damien Rice, Billie Marten e Fenne Lily.

No modo DIY, 'You Don't Know Me' foi gravada em seu quarto e produzida por um amigo. O resultado pode ser ouvido abaixo:




15 - GABRIEL
Lançado há um pouco mais de um mês 'Fall Apart' é o segundo single de Gabriel Metzger, que começou sua banda um pouco antes de toda essa loucura global vivda atualmente. Em vez de colocar as coisas em espera, ele decidiu seguir em frente e tirar o melhor proveito da situação e, como resultado, alguns singles foram lançados.

O mais recente deles 'Fall Apart' é uma música sobre como encontrar nossa força interior para superar as coisas na vida que poderiam facilmente nos destruir, se permitirmos. Com instrumentais pesados, logo no início já ficamos de cara uma guitarra estrondosa e que , ao longo da música, é amplificada por riffs e solos pesados, muito bem unidos com a bateria e que se encaixam perfeitamente com o vocal rasgado, desabafador e emocionante de Phil Walker.

Aos nove anos, Gabriel escreveu o riff de “Fall Apart” por meio de uma experiência visceral tocando sua guitarra PRS Tremonti pela primeira vez; mal sabia ele que essa música se tornaria o catalisador que o levou a buscar o rock em oposição ao blues, um estilo pelo qual ele era conhecido. Anos depois, GABRIEL escolheu esse riff de volta e o finalizou com a assistência lírica de seu ex-vocalista e a produção de Joe Kaltenbach da Red Amp Audio. Embora essa música tenha começado com o guitarrista e compositor Gabriel Metzger, "Fall Apart" foi projetada por Jody Boyd e Andrew Uvarov ao lado músicos Phil Walker (vocal principal), Keith Horne (baixo) e Jody Boyd (bateria); embora tenha demorado muito para ser feito, "Fall Apart" foi a primeira música que GABRIEL escreveu.

Eleito o Top 10 com menos de 20 anos no Festival Internacional de Guitarra de Dallas de 2018, Gabriel funde suas raízes inspiradas no blues com influências de rock pesado para um som que é dinâmico, contundente e liricamente sólido. 




16 - PARIZ
Lançada no final de Abril, Pariz une vertentes do pop (indie, alternativo, dream) a batidas típicas do lo-fi e forças vocais com Everra em 'Taxi', música que conta a história de pessoas solitárias e emocionalmente perdidas que confundem emoções arriscadas com romance. O problema que eles causam os leva apenas a descobrir que o que começa com a luxúria, com o tempo, forma o amor.

Trazendo acordes suaves, uma atmosfera retro e vocais do dream pop, a faixa cria um som ambiente para uma tarde chuvosa - perfeita para fazer o dever de casa, beber café ou apenas relaxar.

Pariz, um talento emergente no mundo da música, pensando fora da caixa, constantemente expande os limites da experimentação e combina diferentes estilos, mantendo seus atributos únicos.

Everra, uma cantora e música residente em Oregon, costuma escrever pop, indie pop ou lofi. Ela é conhecida por sua abordagem calmante da música, que muitas vezes é descrita como calmante. A cantora é extremamente aberta com música e colaborações, assim como Pariz.




17 - STRANGE SOUVENIRS
Divulgada na primeira quinzena de Maio. 'Nothing2' é uma explosão emocional de cinco minutos e meio, numa viagem pop maravilhosamente estranha e agridoce, misturando influências no new wave 80/90, trip-hop, shoegaze, eletrônico, indie e até mesmo trilhas de ficção científica, mostrando uma variedade não só de gêneros que a banda ouve, mas como também executa, podendo atingir diversos públicos diferentes com seu trabalho.

A faixa foi gravada, produzida e mixada no The Famous Gold Watch Studio Berlin e apresenta apresentações de um punhado de músicos e artistas carismáticos e competentes de Berlim. Ouça abaixo:




18 - ARCCAPOLO
Belgo-brasileiro, ele lançou recentemente seu single 'On My Knees', segundo da carreira e que pelo synth/comercial pop e new wave, repleto de elementos oitentistas. Na faixa, o artista  retrata como uma pessoa pode entrar em colapso internamente, tornando-se prisioneira de sua própria mente. Paradoxalmente, essas emoções cruas acabam sendo o próprio catalisador de sua visão artística.

Fortemente influenciado pelo rock brasileiro, ArccaPolo redige textos e poemas antigos enquanto estudava na escola de música Villa-Lobos. Seus primeiros sussurros em composição foram proferidos.

Aparecendo em shows no local do carnaval mais famoso do mundo, ArccaPolo observa artistas cujo ato ele sonha em um dia imitar no palco. O fascínio por essa capacidade de gerar tal reação na multidão aprofunda seu interesse pelo canto. Nos anos 2000, ArccaPolo segue suas aventuras em novas praias, acabando por se estabelecer em Bruxelas. Ao longo de sua jornada, de um continente a outro, pedaços de melodias emocionantes foram se acumulando incessantemente em um canto de sua mente.

Um dos resultados mais recentes de todo esse conhecimento e vivência musical está dentro da faixa 'On My Knees', que pode ser ouvida abaixo:




19 - VOLLEYBALL
Lançado final de Abril, 'Nosediiv' é um dos trabalhos mais recentes da banda inglesa Volleyball, que decidiu experimentar algo diferente, trazendo ao público ouvinte um trabalho focado principalmente para o instrumental, apresentando mudanças sutis conforme a música se avança, numa letra que apresenta a ideia de que a morte de um relacionamento é algo positivo para os envolvidos.

Ouça e confira o videoclipe abaixo:




20 - BRITTA PEJIC
Lançamento fresquinho, divulgado nas plataformas de streaming há menos de um mês, 'Qrayinz' é um single instrumental, inspirado em elementos encontrados nos discos do SST ou I.R.S pela década de 80. Além disso, essa é a primeira faixa da banda desde o lançamento de "Latitude Bera", em Novembro. 

Trafegando pelo Dream pop, soft rock e psicodélico, certamente o ouvinte irá acompanhar a faixa do início ao fim, abaixo:


Postar um comentário

0 Comentários