MUSO SOUP ÁLBUNS #20: Pentral, Monrad, Nkos, Amphbns, The Innocent, Lowbelly, Levy, Gea, AO, Holy B e mais artistas com EP's/álbuns lançados recentemente



01 - PENTRAL
Brasileira, diretamente de Belém/PA, Pentral é a primeira banda da lista da semana.

No álbum de estreia, intitulado "What Lies Ahead Of Us" e que foi lançado no começo de Maio, eles apresentam um trabalho extenso, com 12 músicas que superam o total de 1h10 de duração e que mesclam vertentes do rock como o metal/hard, prog e traz também até momentos mais calmos e acústicos, como podemos ouvir em 'Letters From Nowhere', faixa que encerra o 1/3 de álbum ou em 'A Gift From God'.

Dentre os singles, temos 'Silent Trees', com clipe filmado na selva da Amazônia e que pode ser assistido abaixo (outros clipes estão disponíveis no canal da banda):



Em release oficial, a banda definiu a ideia do projeto: "Sendo um álbum conceitual, ele apresenta uma história que é fictícia, mas bastante comum no Brasil e em muitas partes do mundo. Um casal que vive na floresta dá à luz um filho sob a ameaça da besta - que é basicamente o humano sendo ele mesmo - interessado em destruir a floresta tropical e ganhar dinheiro com isso. A mulher tem premonições sobre o triste final. Eventualmente, eles têm que correr para sobreviver enquanto os invasores chegam.

SILENT TREES - é o primeiro single e o primeiro capítulo, e é uma canção que descreve as árvores que "conversam" com a mulher, dizendo-lhe para fugir, proteger seu filho e avisá-la sobre todos os
sofrimento e tristeza que estão por vir, causados ​​pela ganância e egoísmo. As árvores só podem testemunhar todo o drama e avisar humanos que vivem na floresta do perigo.

ALL MY WOUNDS - é o segundo single do nosso álbum de estreia. Esta música tenta expressar uma vibração edificante com suas letras, melodia, harmonias e ritmo groovy. É sobre a busca pela cura espiritual, lidando com com os altos e baixos da vida e pessoas tóxicas. Fala de como é difícil lidar com a dor e a perda e como é gratificante saltar para trás do fundo do poço. É uma parte da jornada descrita no álbum conceitual chamado "What Lies Ahead Of Us", que é sobre a saga de um casal humilde lutando por suas vidas e sanidade.

A GIFT FROM GOD - Este é o nosso álbum de estreia (What Lies Ahead Of Us) epílogo para resumir o poder do amor. Fala sobre a maternidade. Como o amor entre uma filha e sua mãe pode fazê-los superar suas perdas pessoais. É uma balada de rock acústico que vem do fundo do coração.

THE SHELL I'M LIVING IN - Um dos capítulos do nosso álbum de estreia "What Lies Ahead Of Us". A criança e sua mãe de luto após o morte de seu marido, vagam pela cidade. Isso é meditativo e emocional, mas também feroz e enérgico. Uma rocha inspiradora música para fazer você pensar e obter um pouco de força extra, pensando nos enormes desafios que muitas pessoas enfrentam em todo o mundo.

A pobreza e a fome não têm lugar ou país específico. Em todo o mundo, você vê pessoas que são socialmente desprovidas por falta de alimentação, saúde, liberdade, educação e muitas outras necessidades. No Brasil não é diferente e nunca estivemos piores do que agora.

Em nossa “história” que descreve a realidade diária - a mãe e seu filho depois de fugir da floresta que está sendo queimada e tentar sobreviver na cidade, enfrentando a fome e todo tipo de assédio, com uma presença espiritual sempre ao seu redor.




02 - TEMPERATURE FALLS
Diretamente de Oslo, Noruega, eles são um duo que traz influências como Bjork, Portishead e Pearl Jam, para um indie rock composto de faixas originais, passando também por estilos como o trip-hop e o rock alternativo e trazendo elementos do pop, como sintetizadores e beats.

Lançado dia 14, "Nobody To Believe In Anymore" é o álbum mais recente da banda, falando de temas como vício e recuperação, pensamentos suicidas e ruptura de relacionamentos ruins.

Cada uma das 10 faixas podem ser ouvidas abaixo:




03 - MONRAD
Lançado no último dia 12, "Wired" é o álbum mais recente do artista belga, que traz ao público 11 músicas de temas como emoções cotidianas, lutas e observações, num instrumental com guitarras reverberadas, elementos oitentistas, belissimas linhas de baixo e bateria que conduzem cada uma das faixas. 

Ouça o álbum completo:




04 - NKOS
É um projeto é feito por 4 italianos espalhados pela Europa, lançado por um selo do Reino Unido, masterizado por Maurizio Baggio (Boy Harsher e The Soft Moon) e também com produção de Jagz Koozer, que já produziu artistas como Massive Attack, Primal Scream e Rammstein. Esse último, podemos ver também ser uma das influências da banda, algo muito destacado, seja pelas partes somente instrumental ou pelo estilo vocal da faixa de abertura 'Lonely Ghost-Self'. Já 'Little Miss Numb', um dos singles do disco, faz o ouvinte navegar por estilos como new-wave, post-punk e electro.

No bandcamp da banda, eles descrevem o próprio trabalho como: "multifacetado, que passa facilmente de algo dark para o claro, misturando o clima e a sensação de Cocteau Twins, Cure e Siouxsie dos anos 80 com o trip-hop dos anos 90 e o know-how do momento".

O álbum foi lançado hoje digitalmente e em uma fita cassete de edição limitada. Conheça mais trabalhos da banda no Bandcamp.




05 - NO DRINKS FOR JIMMY
Apesar de "Versus Chorus Rise" ser o primeiro álbum de autorais, eles tem em sua formação dois irmãos que tocam junto há mais de 20 anos e trouxeram toda sua experiência e influencias para esse trabalho, com a faixa de abertura tendo 'um quê' de motorhead, logo em seguida passar pelo grunge noventista e indo para uma influencia mais alternativa, mostrando não se prenderem somente há um gênero ou vertente do rock.

O trabalho, que está sendo lançado hoje, pode ser ouvido completo abaixo:



06 - STANLEY DUKE AND THE KINDRED SPIRITS
No último dia 5, eles lançaram "Isolation Tarot", EP de estreia da banda e que apresenta 5 músicas repletas de um som fuzz, com sintetizadores, baterias cadenciadas e linhas de baixo destacadas.

Num EP conceitual, cada faixa foi inicialmente influenciada por uma leitura psíquica relevante para as Cartas de Tarô escolhidas pelo destino, que se desdobraram em uma jornada através dos pensamentos e sentimentos da vida de Duke em confinamento.

Em definição própria do artista, "Isolation Tarot" é uma mistura hipnotizante de sons e letras que inexplicavelmente conseguem ser simultaneamente tangíveis e estranhos. Do groove febrilmente divertido de 'The Hanged Man' e o baixo estridente gótico-funk de 'Temperance', à violenta guitarra fuzz de 'King of Pentacles' e os versos tranquilos e oníricos de 'The Lovers', 'Isolation Tarot' finalmente chega à pompa desajeitada da 'Morte'. Duke enche esta ópera de 23 minutos com justaposições de celebração alegre e desespero romântico.




07 - THE INNOCENT
The Innocent é um grupo de indie-folk, que se inspirou em artistas como Counting Crows, Gregory Alan Isakov e The Lumineers para escrever e gravar o álbum de estreia da banda, durante o isolamento britânico, gravado de maneira remota e com a adição instrumental de uma belissima orquestra, que dá ainda mais vida a cada uma das 13 faixas do álbum "The Rupture", que pode ser ouvido, certamente enquanto se dança, abaixo:




08 - AMPHBNS
Mostrando, mais uma vez, nossa variedade de estilos dentro do site, apresentamos a vocês o álbum "Crush", lançado final de Abril com 11 músicas de estilos e influencias fortes do rap, hip-hop (com batidas lo-fi do gênero) e Soul (seja no vocal ou instrumentalmente de algumas faixas), com letras conscientes e trazendo temas mais fundamentados e íntimos em torno da vida.



09 - LYRICAL GENES
Se mantendo no hip-hop, agora é a vez de "Dana Burtin", lançado no começo do ano e que trafega por estilos como o rap e um hip-hop clássico, apresentando letras consientes ao público.

Vencedor na categoria de Rapper do Ano pela Tri-C, o artista sofreu diversas críticas por suas letras serem muito otimistas e "piegas", ele permaneceu motivado e, em toda sua carreira, já lançou 11 álbuns e 7 livros, trabalhando não só na música, como também na literatura. 

Este novo álbum, "Dana Burtin", é o favorito do artista, que aborda temas como raça, política e o sistema injusto de influenciar os outros de uma perspectiva negativa, tudo isso em um extenso trabalho de 15 músicas que podem ser ouvidas abaixo.




10 - LOWBELLY
Diretamente de Albuquerque, EUA, Lowbelly é uma banda que está na ativa há mais de 20 anos, com trabalhos lançados a partir de 1998 e que retornaram no final de Abril para seu trabalho mais recente desde 2008.

Intitulado simplesmente de "II", o álbum é considerado um novo começo para a banda, que já foi extensa, mas hoje é um duo que apresenta um som voltado para o indie, mas sendo também algo instrumental repleto de experimentos.

No Bandcamp abaixo, vocês podem ouvir não só o álbum, como também todo o trabalho da banda, que está usando as vendas por lá para arrecadar fundos para vítimas de abuso, tráfico, perseguição, assalto etc.




11 - LEVY
Ela é uma cantora/compositora alemã, que recentemente lançou seu primeiro EP, intitulado "Small Scale Revolutions", que conta com dois singles e uma variedade de estilos, como o Soul, R&B, Pop e diversos elementos do Jazz.

Apresentando uma ideia conceitual, cada música neste álbum representa uma época diferente de sua vida, em um projeto feito com amor, como o ouvinte pode perceber em cada uma das faixas e que levou dois anos para ser concluído. Ouça abaixo:




12 - MICHAEL BRINKWORTH
O compositor australiano de country apresenta guitarra country rítmica, gaita arrebatadora e uma voz marcante, que se encaixa perfeitamente com o instrumental e transporta o ouvinte por cada uma das 11 músicas apresentadas em "Wasted Wonder", lançado hoje nas plataformas digitais.

Além da versão digital, pelo Bandcamp do artista podemos adqurir CD/LP incluem canções bônus das sessões de 'Wasted Wonder', lançadas separadamente como um EP do lado B, "The Road Years: No One Would Believe Us In 10 Years Time". Cópias do VINYL estarão disponíveis no final de 2021, após uma campanha de crowdfunding.

Confira o álbum:




13 - GOD HATES UNICORNS
Apesar o segundo álbum completo da banda, "No Gloryholes in Heaven" é o primeiro álbum de estúdio, onde eles apresentam uma paisagem sonora ainda mais completa, trazendo elementos do sinth, eletro, noise rock e até mesmo metal na faixa 'Puppeteer', responsável por abrir o álbum de 11 músicas e que ainda traz uma clara influencia sonora, vocal e até letrista (com metade do álbum sendo considerado explicito) do Rammstein.

Em definição própria da banda, este álbum leva você a uma jornada sonora que, ao passar por seus pensamentos, você pode ter medo de admitir que já teve a si mesmo. Onde a excitação e a raiva são encontradas com letras grosseiras e um sintetizador mal tocado. 




14 - JAMIE AND THE JETS
Jamie and the Jets é banda de folk rock/country formada por Jamie West (compositor, guitarrista e vocalista), Will (guitarra, baixo e vocal), Sarah (oboé e vocal) e Rosie (vocal), após Jamie tentar por muito tempo uma carreira solo, inclusive abrindo um show do Coldplay em 1998.

Depois de diversos acontecimentos, a banda foi formada em 2015, trazendo influencia de nomes como The Smiths, REM e Laura Marling, trazendo harmonias vocais muito bem executadas e que se encaixam perfeitamente com um background rico instrumentalmente e que certamente irão prender o público admirador dessas vertentes.

"Raisin Deckchair", álbum mais recente da banda, lançado inicio de Abril, apresenta músicas que falam desde histórias pessoais, à sátira política.

Incapaz de realizar shows devido à pandemia, os Jets expressam sua devastação por não serem capazes de mostrar o novo álbum pessoalmente para seus fãs, mas abraçou o desafio de aumentar sua base de fãs digitalmente, e até agora obtiveram grande sucesso com aumentando seus ouvintes do Spotify em mais de 12.000% no últimos meses desde o lançamento do álbum.




15 - CARLO ERRIN
Lançada final de Março, "Hollow" é o álbum completo mais recente do artista, que apresenta um mix de gêneros e sons ao trazer como tema principal sua luta por saúde mental e como me esforço para ganhar notoriedade na indústria.

Sobre o projeto, ele comenta que foi feito durante um período em que não se sentia triste ou feliz, mas sim vazio por dentro e transformou esses sentimetos para 10 músicas, de duração relativamente curta, ao longo de 25 minutos.

Artisticamente, ele traz inspiração de nomes como Kendrick Lamar, Kanye West, Andre 3000, Frank Ocean, além de nomes mais recentes como Amine, BROCKHAMPTON, The Weeknd, Dominic Fike e Denzel Curry, mesclando R&B com o Hip-hop de letras conscientes para o público.




16 - GEA
Lançado hoje, "Call For A Snake" é o álbum mais recente da artista GEA, que considera como uma jornada emocionante e relaxante que convida o ouvinte a uma aventura espiritual.

Trazendo faixas muito bem texturizadas, ela consegue unir muitos estilos diferentes, como música ambiente, eletrônica, tribal, acústica e sinfônica, dark wave dos anos 1980 e indie-pop, num álbum conceitual, onde cada uma das quatro partes dele é dedicada a uma fase em nosso despertar espiritual, simbolizada por uma cobra, um cisne, um corvo e um pavio de neve.

O álbum foi produzido por Chris Birkett, vencedor do prêmio Grammy e Juno, que colaborou com ícones como Sinead O’Connor, Alison Moyet, Talking Heads, Quincy Jones, Buffy Sainte-Marie e Steve Earle. A gravação vocal foi feita pelo renomado engenheiro de gravação / produtor finlandês Oona Kapari. O álbum foi masterizado no Brooklyn por Fred Kevorkian.




17 - NOMOTION
Lançado na segunda quinzenda de Abril, ABIDE é um EP de 5 músicas que transbordam de gêneros como dark wave, gótico e post-punk em quase 20min de duração.

Originalmente formada no início de 2014 na Itália, a banda de cinco integrantes desenvolveu um som único e identificável. Originalmente misturando country alternativo com um som de garagem mais escuro; a música evoluiu para um som melhor descrito como Southern Gothic Rock.

Nomotion lançou vários EP's, incluindo um álbum completo em 2019 intitulado “Funeral Parade of Lovers” “, que foi bem recebido pela crítica. O álbum condensa o caminho de maturação em onze faixas compiladas nos últimos cinco anos. A característica mais evidente é certamente o abandono da veia country em favor de um rock mais marcado de sonoridade. Os temas apresentados no álbum incluem relacionamentos mórbidos não apenas com as pessoas, mas também vícios. As influências são inúmeras, tanto que já foi escrito: "Tente perguntar a dez pessoas o que o Nomotion está tocando, você provavelmente receberá tantas respostas."

Em 2020, a banda iniciou uma colaboração com a Mold Records, e desde então lançou vários singles e videoclipes com outro EP intitulado “Abide” sendo lançado em abril de 2021. Em 2021, eles também se uniram à Ego and Pessimism Records para promoção.

O EP completo pode ser ouvido aqui: 




18 - AO
AO é a musa, apelido e alter ego do músico Aria Pullman Ostrander, que no seu álbum de estreia, intitulado "LIFE OUT LOUD", se junta a Mondo Cozmo para criar um álbum indie de eletro-pop, onde transforma em música a sensação de estar livre e a alegria que vem sem limites para a autodescoberta.

O resultado é um trabalho que também passa por vertentes como o dream pop, unido a um vocal belissimo de se ouvir e que faz o ouvinte ficar preso no álbum, de ponta a ponta, passando por oito músicas que podem ser ouvidas abaixo:



19 - TV GENERATION
Este é o segundo lançamento do DCxPC Live, gravadora que lança vinis ao vivo de bandas de punk, hardcore, ska e metal. Este lançamento foi algo beneficente para o Uncle Lou's, os CBGBs, com toda a venda do EP indo para ele.

O som trafega pelas vertentes já citadas, com baixo hiper destacado, bateria intensa e um vocal típico do gênero. Ouça abaixo:




20 - HOLY B

HOLY B é um músico experimental, baixista elétrico progressivo e produtor, residente em Berlim, que se identifica fortemente com a mentalidade DIY.

“Adventures in Lo-Fi Vol.2” apresenta um mix de batidas complexas e ásperas, climas intensos e baixo elétrico, complementando o Vol.1 da coleção, ao incorporar ritmos carnáticos e uma pitada de dark ambient, numa viagem intensa e psicodélica ao longo de 4 faixas.

Os EPs de “Adventures in Lo-Fi” são publicados exclusivamente no bandcamp e também estão disponíveis em edições limitadas de fitas cassete. O HOLY B quer encorajar os novos artistas a não se deixarem influenciar pelas diretrizes da indústria da música (por exemplo, pensamento de gênero, serviços de streaming como o Spotify e outros), mas sim criar suas próprias cenas e estilos, bem como
representam um tratamento mais justo de streams de música e vendas; especialmente em tempos de Covid-19! O HOLY B quer mostrar que há muita magia a ser descoberta, uma vez que quebramos as regras e experimentamos, saindo da zona de conforto e permitindo-nos crescer ainda mais nossos limites.




Esta matéria foi criada via Musosoup, entenda mais aqui: #Sustainablecurator

Postar um comentário

0 Comentários