MUSO SOUP ÁLBUNS #18: Vicent Liou, Ecota, Dom Malin, Asterous, Gentry Blue, Vagerud e mais artistas com álbuns e EPs lançados; Ouça aqui!!

01 - VICENT LIOU
O artista norte-americano lançou recentemente o EP "Big Surf", com quatro músicas que trafegam por vertentes do pop, como o indie/synth e até mesmo o dance oitentista, presentes em elementos instrumentais.

"Big Surf" é o 5o EP do artista e vocês podem ouvir abaixo:

 


02 - DARNEL PARKINSON
Lançado no final de Março, "We Le Tired" é um EP composto por três músicas, que trazem guitarras acústicas para um som mais voltado para o pop, trazendo vocais harmônicos unidos a instrumental leve, porém bem dançante. Com influência de artistas como JP Cooper, James Vincent McMorrow e The 1975.




03 - BLACKOUT TRANSMISSION
"Sparse Illumination" é um álbum de oito faixas, que trafegam pela psicodelia instrumental (como podemos ouvir - e viajar - na faixa de abertura, que traz um som de energia inter planetar, se encaixando também em gêneros como o shoegaze), pelo alternative rock/post-punk (caso de 'Since She Guided You Away') e pelo indie (como podemos ouvir em 'Tactile Responses'), num álbum que apresenta um vocal que faz a mente do ouvinte entrar na música. Creio que a voz poderia ser mais alta (ou sem tantos efeitos, nao sei se é isso exatamente), para ser possível focar mais na letra, apesar da bateria intensa e dos riffs/solos cativantes fazerem a gente ouvir o álbum de ponta a ponta.

Muito bom o som e um belíssimo vinil, certamente eu queria um haha.




04 - ECOTA
Nascida na Lituânia, Ecota é uma artista independente que lançou sua carreira ano passado e, no último mês, divulgou seu primeiro EP, intitulado "What We Gonna Do", com quatro músicas que se encaixam tanto no indie rock (com uma ponte instrumental muito boa na faixa-título), quanto no dream pop (pelo instrumental e estilo vocal presente em 'Sunset'). 

Ouça abaixo:




05 - MARK PETERS & AND THE DARK BAND
Diretamente de Londres (Mark) e Austria (a banda), eles divulgaram alguns EPs, antes de lançarem ontem (4/5), o álbum "Memorial", com 10 músicas que trazem um leque de vertentes do rock, como o folk/indie/soft e alternativo, trazendo um som eclético e para todos os gostos, seja para os ouvintes ou para a banda. 

Sobre o álbum, Mark Peters comentou: "Como compositor, é o trabalho do qual mais me orgulho até hoje. Muitas das músicas eram ideias que tive 15 ou mais anos atrás, mas não pude realizá-las até encontrar as pessoas certas com quem brincar. As músicas tratam de alguns temas pesados, mas no final quis passar uma mensagem de positividade e superação. Espero que isso apareça nas letras e que você goste de ouvir "Memorial" tanto quanto nós gostamos de fazê-lo".




06 - DOM MALIN
Lançado no último dia 29, "Something Never Said: Part I" é o EP de estreia do cantor, compositor e multi-instrumentista.

Trazendo um trabalho conceitual dividido em duas partes, essa primeira explora as consequências de um relacionamento próximo e segue a narrativa e a perspectiva de um único protagonista, falando sobre a paisagem sonora da paixão, perda e esperança de questões que nunca são respondidas, mas sentidas.

Para ouvintes e admiradores de estilos como o indie folk, acústico e para quem procura um som calmo e gostoso de se ouvir, com vocais muito bem encaixados com o instrumental.




07 - BLUE COFFEE
Blue Coffee é uma banda francesa, que na segunda quinzena de Janeiro lançou o álbum "In and Out", trazendo nova músicas de gêneros como o indie rock, mesclado com o rock noventista e o alternativo, como podemos ouvir na faixa de abertura e na faixa-título, ao trazer influências principais dos anos 80/90, como The Cure, Foo Fighters, Wilco e dos anos 00, como Arctic Monkeys. 

No álbum, podemos ouvir sons poderosos, dançantes, rítmicos, mas ao mesmo tempo pesados e intensos, mesclando bem faixas de extravasar e tirar toda sua energia ao dançar enquanto ouve, como também momentos de admirar a música e relaxar enquanto ouve algo mais calmo, como em 'Sense Of Drama'.

Ouça o álbum completo abaixo:




08 - INDOLORE
Lançado no último dia 30, "After the Rain" é um disco com oito músicas voltadas para o folk rock e com pitadas de reggae, executadas pelo artista francês Indolore. Trazendo um som gostoso, calmo e relaxante de se ouvir, o artista consegue harmonizar muito bem a voz principal e backings com o instrumental repleto de dedilhados muito bem executados, num álbum que, de acordo com ele, é uma mensagem de esperança após meses de alto estresse.




09 - ASTEROUS
Vocal melódico, sintetizadores e bateria pesada estão presentes em 'The Fall', faixa de abertura do EP homônimo da banda, lançado no último dia 23. As 5 músicas trafegam por vertentes do rock como o metal melódico, o rock alternativo e elementos instrumentais do cinemático, tentem imaginar somente o instrumental de algumas das faixas (até mesmo com o vocal junto em outras delas) e me diga se não caberia numa ponte de ação ou de conclusão da história de algum filme.

O álbum também traz faixas pesadíssimas, como podemos conferir em 'Murder the Machine', que traz momentos perfeitos para um bate-cabeça (agora em nossas casas, enquanto se ouve no spotify, mas em breve em shows) e também traz um contraste suave em uma ponte instrumental na primeira metade da faixa e no último minuto, com um piano suave sendo executado enquanto a música se encaminha para um final

O EP foi gravado na casa de Rummy, em Vancouver, sendo mixado por Nino Laurenne de
Sonic Pump Studios na Finlândia e masterizado profissionalmente por Svante Forsback que dominou bandas como Rammstein.

Falando em Rammstein, podemos ver elementos e influências da banda em 'Heroes', considerada pela artista como faixa principal do EP.





10 - THE COURIER PIGEONS
Lançado há um mês, "Black Mountain Sessions" é um álbum com 10 músicas que trazem o espírito instrumental e vocal típicos do country americano, como podemos conferir na faixa de abertura 'Gypsy Train', mas também se voltando até mesmo para o blues, como em 'Tripwire'.

Em definição própria da banda, "The Black Mountain Sessions" gira como uma saga da vida real de conectar os pontos, cada música capaz de se sustentar como um indivíduo, mas intimamente ligada umas às outras da maneira que os discos de vinil antigos contavam ao ouvinte uma história maior como os sons flutuou pelos alto-falantes e as notas de capa lidas como um pequeno romance.




11 - POOR EDWARD
Pobre Edward é a dupla formada por Martin e Kristian Tungland Rinde; dois irmãos de Stavanger, Noruega e que fazem uma mescla de folk e rock, com elementos pop, tendo guitarra e voz como marcas registradas, sempre unidas com belas harmonias e letras.

O trabalho mais recente do duo é "No Record", lançado no final de Abril e que apresenta ao público um extenso álbum com 12 músicas de influências como o power pop, o indie, elementos característicos tradicionais da região escandinava, além dos estilos citados anteriormente no começo do texto.

Confira o álbum completo abaixo:




12 - GENTRY BLUE
Mesclando o Grunge noventista com o psicodélico 60/70, mas também trazendo elementos do gótico e unindo tudo isso a um vocal feminino poderoso, com riffs de guitarra proeminentes e violino elétrico, eles lançaram recentemente, "Pyrite and Steel" em todas as plataformas digitais na última quinzena de Abril, mesclando seu estilo próprio, com influências que vão de Janis Joplin a Rush e Kansas, em seu EP de cinco músicas.




13 - PATH FINDER
"Path Finder" é uma banda que lançou em Fevereiro o álbum "Where Dreams are Lost in Reality", apresentando 11 músicas extensas e que trafegam por estilos como o post-punk, eletrônico, cinemático e o instrumental. 

O resultado desse trabalho pode ser conferido abaixo:




14 - VAGERUD
No início de Abril, o artista Sueco lançou o EP "Sthlmsvägen", que traz seis músicas de gêneros como o indie rock/folk/pop. Entre elas, estão os singles 'Hemlighet' e 'Haller Andan', que também estarão em nosso compilados de single da semana que vem.

Sobre o EP, o artista comenta: "O álbum é o equivalente musical de uma série policial dark sueca. A música consiste em bateria, baixo, guitarra e voz com um som elegante e uma sensação de cidade moderna e cinematográfica. O álbum é inspirado em You and I Death e The National. O som junto com as histórias dá uma honestidade e autenticidade e uma proximidade que espero que gostem".

Confira abaixo:




15 - JIM CAPALDI
Para o deleite de Jim Capaldi e dos fãs do Traffic em todos os lugares, Short Cut Draw Blood - considerado por muitos como a obra-prima de Jim, está disponível pela primeira vez em todas as plataformas de streaming e download em todo o mundo desde o dia 26 de fevereiro.

Capaldi foi uma figura importante na cena do rock britânico da década de 1960 até o novo milênio; alcançando o estrelato tanto como membro fundador da Traffic - uma das bandas mais icônicas e influentes da Grã-Bretanha, quanto como artista solo de sucesso que colaborou com alguns dos artistas mais prestigiosos de sua época.

Embora Capaldi tenha sido mais reconhecido como baterista no Traffic, ele também foi um dos principais compositores do grupo ao lado de Steve Winwood, co-escrevendo sucessos como ‘Paper Sun’ e ‘Dear Mr. Fantasy’. Incluído no Hall da Fama do Rock and Roll em 2004, Capaldi também recebeu 5 prêmios ASCAP e BMI.

Gravado entre 1973-74 no ilustre Muscle Shoals Sound Studio, Sheffield, Alabama e Island Studios, Londres, o álbum incluiu um grande contingente de Traffic incluindo Steve Winwood e Chris Wood, Rebop e Rosko Gee com um elenco estelar de músicos convidados.

Após sua morte em 2005, vários tributos em celebração à vida e à música de Capaldi foram lançados sob o nome de ‘Dear Mr Fantasy’. O primeiro foi um concerto de homenagem; 'Dear Mr Fantasy: uma celebração para Jim Capaldi', no Roundhouse, Camden, no domingo, 21 de janeiro de 2007, com apresentações de Steve Winwood, Cat Stevens, Bill Wyman, Paul Weller, Joe Walsh, Jon Lord, Gary Moore, Simon Kirke e Pete Townshend.




Esta matéria foi criada via Musosoup, entenda mais aqui: #Sustainablecurator

Postar um comentário

0 Comentários