MUSO SOUP SINGLES #12.1: Shawn Skim, Echo Kings, Jesse, Thehythm Bullies, Jovanna e mais artistas com lançamentos pelo ska, eletrônico, psicodélico, post punk, entre outros

01 - SHAWN SKIM
Depois de seis anos criando coragem para lançar algo novo, seja pelo cansaço da indústria musical ou por outras coisas, Shawn está de volta com 'Change', uma música que trafega pelo Pop e flerta também com o R&B e fala sobre experiências passadas, seja em sua vida pessoal ou na indústria musical, que mudou bastante neste século. O artista define que a faixa é sobre "Inicialmente não querer aceitar a mudança, mas ficar em paz com ela".




02 - ECHO KINGS
Lançado começo de Fevereiro, 'Here in My Dreams' é o primeiro single da banda em 2021, quarto deles num intervalo de 5 meses.

Mesclando estilos como o synth/dream pop, psicodélico, faixas dance dos anos 80 (a julgar pelos beats) e até mesmo blues/classic rock, se ouvirmos com atenção a linha de guitarra. A faixa apresenta toda a variedade de estilos que a banda promete mostrar ao longo de 2021.

Sobre a música, eles comentaram: Em termos mais básicos, o título “Here In My Dreams” é literalmente o conceito da música, viajando entre o consciente (chato, mundo preto e branco - o verso) e o mundo dos sonhos (colorido, amplo, estéreo completo, luscious - o refrão). Esta música é uma carta de amor para a musa do escritor, admitindo arrependimento enquanto anseia e espera pelo mundo dos sonhos de amor e permanência.




03 - DEANMOORE
Em 'Three Steps', os holandeses da Deanmoore apresentam uma gama de estilo, passando pelo prog, alternative e indie rock, tudo isso nos primeiro minuto de música e, quando pensamos que esse será o estilo principal da música, ela apresenta um crescimento gradual vocal e instrumental, trazendo ao ouvinte também influências do anthemic e post rock.

De acordo com eles mesmos, são influenciados por artistas prog rock como Karnivool, Vennart, Leprous, Agent Fresco e Oceansize.




04 - JESSE
Lançado em Janeiro, 'Tired Of Me' é o quinto vídeo de "Tales Of A Tragic Journey". Trazendo riffs característicos do indie rock, mas numa batida voltada para o reggae e, posteriormente, com instrumental e vocal com sotaque marcante, voltados para o ska. A faixa tem esses gêneros como vertentes principais e, vai atrair a atenção de quem curte vídeos gravados em câmera lenta.




05 - THE RHYTHM BULLIES
Sebastian Mogan teve a ideia de lançar a banda no início da pandemia e um ano depois (ainda em pandemia) lançou o single de estreia da banda, intitulado 'Dysnomia', trazendo para seu som influencias de estilos como o post punk, goth rock e até mesmo hard rock, essas referências podem ser notadas de diversas formas, seja no estilo vocal, nos baixos destacados ou outros elementos do instrumental.




06 - TULLAMARINE
Formado por uma dupla de compositores e produtores, Adam Young e Joss Armitage, eles lançaram um Fevereiro o clipe/single-duplo 'Then Billy Said / What Billy Said Next'. As duas faixas são baseadas em Billy, um personagem fictício confuso (criado por Joss Armitage) que teve relacionamentos conflituosos com mulheres desde a morte de sua mãe quando ele era jovem, o videoclipe alude à importância da figura materna, da inexorável Morte e do ter que deixar ir.

O som do duo trafega por vertentes como o experimental, eletrônico e low-fi.




07 - SPORTS ALMANAC
Lançado em Fevereiro, o single duplo 'Breathe/City' mescla estilos como o lofi, mid west emo e anos 80, apresentando uma inovação e grande mudança na sonoridade da banda. 

Trazendo vozes harmonizadas, mas também com efeitos vocais, a primeira das faixas mescla entre o emo e o indie rock, enquanto a dançante está em torno de guitarras e delays que contrastam com a letra nítida, algo que não corre na primeira música por conta dos efeitos e também é a faixa onde mostra a variedade dos estilos citados no começo do texto, com um começo mais Lo-fi e junto a elementos dos anos 80 e um final de faixa com influencias do hip-hop.


08 - JOVANNA
Com apenas 20 anos, Jovanna escreveu essa música em seu quarto durante um período de tempo, lutando contra o TOC e a ansiedade, sendo que passar a letra para o papel foi parte fumdamental de um processo de cura. A artista acredita que as pessoas vão se identificar com a minha música porque, infelizmente, muitos jovens lidam com doenças mentais em algum momento de suas vidas.
"Eu quero que eles saibam que eles não precisam lutar contra a doença mental sozinhos e está definitivamente ok para falar sobre isso". 

'Brain On Fire' pode estar falando de vivências, razões, situações, pensamentos que nos fazem ficar com o cérebro pegando fogo, seja de pensar muito em algo ou pensar em situações que passamos ou que outras pessoas passaram, fazendo com que a música, apesar de ter um tema, posso ter diversas interpretações que encaixam com quem está ouvindo.




09 - WES KING
Wes King já trabalhou com banda, tocou em diversos festivais e ano passado resolveu se arriscar na carreira solo. O resultado vocês podem conferir agora, com 'Living Strange', um som que mescla perfeitamente com britpop e indie rock, sendo possível ver uma variedade de entonações vocais que vão de influencias como Oasis e Arctic Monkeys, mostrando também talento para alternar os níveis do instrumental, entre algo mais calmo ou enérgico, no momento em que preferir. 



10 - STEVE KROEGER & SKIE HOLLAND
Depois trazermos diversos singles de bandas ou artistas solo, apresentamos agora a vocês 'Home', lançado em Janeiro e que apresenta um som voltado para o eletrônico, mas trazendo também vocais característicos do pop e trazendo um duo muito bem harmonizado entre os artistas, numa faixa que também tem influencias instrumentais do indie folk.