Header Ads

  • Breaking News

    Rod Krieger experimenta a elasticidade do tempo em álbum de estreia; Ouça aqui!!

    Foto  Daryan Dornelles / arte: Marina Abadjieff 
    O tempo é elástico”, disse Lucinha, companheira de Arnaldo Baptista, a Rod Krieger. Neste momento foi como se uma nova percepção de mundo se abrisse, e assim surgiu o nome do álbum,
    A Elasticidade do Tempo, que, a partir desta sexta-feira (20 de Março), está em todas as plataformas streaming. O título do primeiro disco solo do ex-baixista da Cachorro Grande se remete ao poder que temos de esticar o tempo. E como isso nos leva a pensar que tudo é relativo dentro da expectativa que se cria. Uma forma de segurar a ansiedade, talvez. Enraizar, estar presente.

    Desde um encontro com o sitarista Fábio Kidesh, que foi professor de Krieger e gravou o sitar no álbum, até a temporada no estúdio O Canto da Coruja e o lançamento, o artista passou por muitas mudanças. Natural de Porto Alegre, no sul do Brasil, depois de 13 anos vivendo em São Paulo, foi morar no litoral paulista.
    Após dois anos, chegou em Portugal para lançar seu primeiro álbum solo. Além disso, ele está preparando um novo estúdio em Lisboa, que estava com inauguração prevista para Abril, no entanto, a recomendação é esperar o surto do Covid-19. Com o nome de Magic Beans, será um espaço para ensaios de bandas, aulas de música, pré-produção e projetos de curadoria, localizado em Beato. 

    No disco, as influências vão de David Bowie, George Harrison a Syd Barrett. Além de Beatles, Os Mutantes e The Who, bandas que resgatam o mood sixties/psicodélico que Krieger sempre teve, desde Os Efervescentes, sua primeira banda, na qual ele era o principal compositor.  A produção musical é assinada por Rod Krieger e Ricardo Prado, do estúdio Canto da Coruja, que fica em Piracaia, interior de São Paulo, onde o álbum foi gravado e mixado. Já a masterização é assinada
    pelo australiano Rob Grant, que já trabalhou com Tame Impala e Lenny Kravitz. 


    OUÇA O ÁLBUM AQUI.