Header Ads

       
  • Breaking News

    ENTREVISTA: "Os tempos de hoje me soam mais sombrios do que nos anos 80", diz Jão (Ratos de Porão)

    Ratos de Porão e Surra - 02.08.2019 - Sesc Pompeia, São Paulo (Fotos: Daniel Rocha)

    João Esteves, o Jão, fundador da lendária banda Ratos de Porão, criada em 1981 em meio a explosão do movimento punk, deu uma entrevista exclusiva ao site Os Garotos de Liverpool e falou um pouco sobre o movimento punk, política e sobre estar pela primeira vez no line-up do Oxigênio Festival. Ratos de Porão irá participar do "Vans apresenta Oxigênio Festival" como um trio, com Jão nos vocais, enquanto João Gordo ficará de repouso até o fim do ano por motivos de saúde. A banda irá se apresenta no sábado, dia 14/09. 

    Ratos de Porão e Surra - 02.08.2019 - Sesc Pompeia, São Paulo (Fotos: Daniel Rocha)

    São quase 40 anos de carreira. Como manter a mesma pegada, atravessando gerações de fãs? E sobre todo este tempo quais foram os maiores aprendizados que você pode citar?


    Então, o Ratos vai completar 38 anos em novembro, a gente nunca parou, esteve sempre em atividade, lançando discos ou fazendo tour... Cara, a pegada acho que vem do lance de gostar do que faz. Então é assim, se a gente não conseguir se manter, não acho que seria interessante continuar sem ter a mesma pegada ou se fosse só pelo lance de fazer aquela coisa meio que de forma burocrática. Então, Ratos de Porão gosta do faz e a gente sempre espera manter aquilo que a gente acha o nível ideal dos nossos shows. É legal Atravessar gerações de fãs, hoje em dia,  no show do Ratos aparece pai que tem mais ou menos a minha idade ou um pouco mais jovem que eu, com filho de 18 ou 20 anos, juntos no show. Isso ai pra mim é sensacional. Sinal de que a nossa mensagem passou de geração pra geração. Aprendizado é todo dia, a gente acorda pra aprender, é logico que o Ratos me levou mundo afora, me fez conhecer outras culturas, outras formas de pensar, consequentemente isso tudo aliado ao punk, que é de onde eu venho. Eu acho que ajudou muito na formação de caráter, na formação do ponto de vista de muita coisa, é isso, a gente vive aprendendo.

    Pode falar um pouco sobre tocar no Oxigênio Festival? É a primeira vez de vocês no festival?
    É uma experiência que a gente não teve ainda, tocar no Oxigênio Festival. Acho que é um festival interessante, ele abrange bandas de estilos diferentes sem ser um negócio aberto a qualquer tipo de música. Pelo que eu vi das bandas que irão tocar, é bem eclético. Isso é bom, bom pro festival, bom pro publico. Primeira vez que vamos estar no festival, infelizmente não estaremos com o Gordo, que está em tratamento, então a gente vai tocar em trio. Que é o que viemos fazendo em alguns shows que já estavam marcados quando o Gordo ficou doente. E a gente espera fazer uma apresentação boa no Oxigênio Festival. 'É nóis'.

    Vocês lançaram clássicos como “Amazônia Nunca Mais”, “Farsa Nacionalista”, “Máquina Militar”, ”Crianças Sem Futuro”... Músicas que combinam perfeitamente com o Brasil atual. Qual sua opinião sobre o  atual cenário em relação as letra do Ratos de Porão?
    Sobre o lance dessas músicas do disco Brasil, as letras ainda serem atuais, sempre encaro isso de uma forma que eu acho lamentável. Poderíamos estar agora em 2019 ouvindo essas letras e pensando ‘putz, olha como era o país no anos 80, devia ser foda’, eu gostaria que estivesse nessa posição meio de lenda, de algo que não existe mais. Infelizmente tem letra que hoje em dia é até mais atual do que na época. Como teve a abertura democrática nos anos 80, ainda existia aquela esperança de se fazer uma pais mais justo e coisa e tal. Eu vejo hoje assim, um país completamente atabalhoado, com um monte de retardado no poder, é complicado, eu acho que os tempos de hoje, por incrível que pareça, me soa mais sombrios do que nos anos 80.

    Ratos de Porão e Surra - 02.08.2019 - Sesc Pompeia, São Paulo (Fotos: Daniel Rocha)
    Punk Rock sempre foi um estilo e movimento revolucionário, e claro que o Ratos de Porão é um ícone do estilo com letras fortes. Você acha que o discurso punk ainda faz sentido? Sobre o acontecimento recente relacionado á banda Dead Kennedys, e serem chamados de “traidores do movimento”, o que você pensa sobre isso?
    Eu acho que talvez hoje, o discurso punk não seja tão contundente quanto foi na minha época de jovem, mas acho que o punk é um mal necessário, o punk precisa existir, ele tem que estar ai, ele tem que ser uma ameaça, porque foi disso que ele veio, de ser o contra ponto. Eu acho que enquanto tiver um punk revoltado ai falando ‘foda-se o sistema’, o punk rock estará vivo sim, a mensagem do punk vai estar ai. E sobro o punk, a tendência é, ele pode até passar por altos e baixos de gente envolvida, mas o punk esta ai pra ficar. Quanto ao lance com o Dead Kennedys eu acho ridículo chamar os cara de ‘traidores do movimento’, os caras tem uma banda icônica que começou nos final do anos 70, começo dos anos 80, não está mais com o Jello Biafra que sempre foi o grande letrista e compositor da banda, mas os caras estão ai na ativa. Acho que chamar de ‘traidores do movimento’ não faz o menor sentido, associaram os caras a uma arte que foi feita para a turnê no Brasil e que podia dar alguma merda, e os caras são uns velhos de quase 70 anos, os caras não tão afim de se meter em algo que nem é a realidade deles. Enfim, chamar os caras de traidores é uma puta besteira.

    Acha que as bandas do estilo perderam força ou “desanimaram” com a militância? 
    É difícil falar sobre militância... Eu acho que banda punk dos mais diversos estilos dentro do Punk Rock, tem bastante por ai. Talvez elas não tenham espaço necessário para poder falar. Eu acho que as bandas da minha geração, do começo do punk brasileiro, tinham uma mensagem, um estilo, a mensagem era contundente, mas isso era nossa realidade lá atras. O mundo mudou e a forma de ter força vai mudar também, a forma de militância muda. Na minha época, a gente não era uns punks militantes ou politicamente corretos e preocupados com a  salvação do mundo. A gente era punk louco, achava que o mundo ia acabar a qualquer momento, a gente tava cagando e andando pra tudo, a gente não era politicamente correto. O punk tem várias vertentes, né. Então, acho que se essas vertentes se reunirem ao invés de brigarem entre si ou ignorarem umas as outras, eu acho que o punk readquiriria a força que ele sempre teve.

    Sobre o estado de saúde do João Gordo, que fomos pegos de surpresa, vocês pensaram em cancelar o show no Oxigênio festival? Acha que tem possibilidade do João conseguir realizar a apresentação?
    Sobre o Gordo, é delicado depois que ele ficou internado, né? Mês passado ele já tinha ficado um tempo no hospital, então, teve uma recaída. Na ápoca que ele ficou no hospital, a gente tinha dado uma parada nos shows que já estavam marcados. Esperamos, o Gordo voltou, falou que tava bem e a gente voltou a tocar... O Gordo teve essa recaída, e assim, um cara que nem a gente, que já é coroa... Recaída exige sempre cuidados extras. O Gordo não vai se apresentar no Oxigênio Festival, ele não tem condições pra isso. A gente vai tocar lá, porque não queríamos cancelar, tinha o nome da banda envolvido, e nessas horas, temos que ter um comportamento profissional para não pisar na bola com ninguém, claro que a gente da banda e os fãs gostaríamos que o Gordo estivesse lá, obvio, mas acho que o cara tem que se cuidar e realmente sarar disso ai que ta atrapalhando ele.


    SERVIÇO

    Vans apresenta Oxigênio Festival 2019
     
    Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/340058723359517/ 
    DATA: 13, 14 e 15 de Setembro de 2019
    LOCAL: Via Matarazzo
    ENDEREÇO: Av. Francisco Matarazzo, 746 - São Paulo
    (Estação Barra Funda do metrô linha Vermelha)
    CLASSIFICAÇÃO: 14 anos
    HORÁRIOS:
    Sexta feira: 19h00 abertura / 19h30 início dos shows
    Sábado: 13h00 abertura / 13h30 início dos shows
    Domingo: 13h00 abertura / 13h30 início dos shows

    INGRESSOS
    1º Lote - R$70,00  (meia / promo) ou R$140,00 (inteira)
    2º Lote - R$80,00  (meia / promo) ou R$160,00 (inteira)

    PASSAPORTE - válido para os 3 dias de evento
    1º Lote - R$190,00  (meia / promo) ou R$380,00 (inteira)
    2º Lote - R$210,00  (meia / promo) ou R$420,00 (inteira)

    *ingressos meia e promo válidos somente mediante à apresentação da carteirinha de estudante ou doação de 1kg de alimento não perecível no dia do evento.

    **ingressos passaporte e blind ticket são pessoais e intransferíveis.

    PONTOS DE VENDA
    Locomotiva Discos - R. Barão de Itapetininga, 37 (sem taxa)
    Venda Online:https://pixelticket.com.br/eventos/3724/oxigenio-festival-2019