Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Cheio de surpresas, Cachorro Grande faz ótimo show e encerra edição 2015 do Jack Daniel's Saloon
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Neste Domingo (22/11) os gaúchos da Cachorro Grande encerraram a edição 2015 do festival Jack Daniel's Saloon, que começou em Outu...

Neste Domingo (22/11) os gaúchos da Cachorro Grande encerraram a edição 2015 do festival Jack Daniel's Saloon, que começou em Outubro com a Vanguart (saiba mais aqui).


Com show previsto para às 22h (de acordo com o instagram da banda) e a casa em sua lotação máxima, a banda se antecipou e tocou os primeiros acordes de (Os doces Exóticos de) Charlotte Grapewine, presente no primeiro disco da banda e tocada ao vivo em raros momentos, conhecida ou não, era essa a música em que estava sendo tocada no meu celular, mesmo de eu chegar no local do show.

 
Passando pelo segundo disco da banda, o show seguiu com o single Hey Amigo, Que Loucura e As Próximas Horas Serão Muito Boas, faixa-título e mais uma música que tocada ao vivo raramente.


Apenas duas músicas do belo disco Pista Livre foram escolhidas para estar no show feito neste Domingo: Você Não Sabe O Que Perdeu e Sinceramente, que talvez seja a única música calma dentro de um show digno de verdadeiro Rock 'n Roll. Uma curiosidade sobre este disco é que ele foi gravado no Abbey Road, clássico estúdio eternizado pelos garotos de Liverpool.


Uma das duas músicas do disco Todos os Tempos a estar no show, Deixa Fuder foi anunciada pelo vocalista Beto Bruno, que cedeu o microfone para o baixista Rodolfo Krieger, que cantou somente essa música como voz principal. Outra  escolhida para ser tocada foi Conflitos Existenciais, que se juntou a outras músicas pouco tocadas ao vivo, mas que deram as caras neste show.


Divulgando o disco Costa do Marfim (último banda, lançado em 2013), foi a vez de dar um ar mais psicodélico com as músicas Nuvens de Fumaça, Como Era Bom, Use O Assento para Flutuar e O Que Vai Ser (última música não instrumental do disco, que contou com a participação de Lia Paris, dividindo o vocal com Beto Bruno).


Retornando ao primeiro disco da banda, foi tocada uma sequência com simplesmente cinco músicas. Beto dizia "os Lunáticos que se fodam" e começou a cantar uma música que muitas vezes é escolhida para abrir o show, ou ser uma das primeiras.

Tecladista no baixo
A últimas das músicas pouco tocadas (junto com Charlotte... Próximas Horas... e Conflitos...) foi a vez de Lily, que contou com o momento mais cheio de surpresas do show.

Baterista no vocal
Depois de finalizar o vocal feito por Beto Bruno, o tecladista Pelotas e o baterista Boizinho cantaram (separadamente) a última fala da música.

Vocalista na bateria
Com a banda alternando instrumentos, Pelotas assumiu o baixo (enquanto o baixista Rodolfo assumiu o teclado) e Boizinho assumiu o vocal (enquanto Beto Bruno assumiu a bateria), fazendo se tornar magnifico o que já era uma surpresa, pela própria música em si.


Marcelo Gross, guitarrista da banda, ainda teve oportunidade também ter sua voz como a principal, durante Dia Perfeito, faixa do primeiro disco e anunciada como um "Blues de bêbado".


Uma das minha favoritas, foi a vez de tocar Vai T.Q.Dá, continuando com a sequência de músicas do primeiro disco da banda. Contando com grandes minutos dela sendo instrumental, a música é uma das diversas (e talvez a principal delas) a mostrar toda a qualidade e sintonia  vinda da bateria, teclado e baixo, em uma formação que está "casada" há anos, e nomes como Gross e Beto Bruno, desde o começo da banda, há 16 anos.


O setlist (mesmo que não seguido, como podem ver na foto no fim da matéria) foi finalizado com Sexperienced, segunda música do disco que leva o nome da banda.


Mesmo depois se despedirem, os instrumentos serem retirados e a banda sair do palco, eles voltaram com uma faixa "surpresa", mas que esteve presente em praticamente todos os shows que fui deles até o momento (não que isso seja ruim, afinal ela é da minha preferida e deixa o show melhor - se é que isso seja possível-), Helter Skelter, no aniversário do White Album (contando com mais uma guitarra e mais uma voz principal) finalizou aquele que, até o momento, foi o melhor show que vi da Cachorro Grande até o momento (o histórico mostra que o próximo sempre anda sendo o melhor, haha, e com certeza foi o show mais foda que eu vi neste anos de 2015, que está prestes a acabar.

Setlist (sem as alterações feitas durante o show)
 Fotos: Millena Kreutzfeld e Jack Daniel's Saloon

Postar um comentário

 
Top