Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Entrevista com Roger (Ultraje A Rigor)
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Idealizador, compositor, guitarrista e vocalista da banda Ultraje A Rigor, Roger não é apenas do ramo musical. Cursou três anos de Ar...


Idealizador, compositor, guitarrista e vocalista da banda Ultraje A Rigor, Roger não é apenas do ramo musical.
Cursou três anos de Arquitetura na Mackenzie, fez o Conservatório Dramático e Musical, o Conservatório Musical Brooklin Paulista, o Clam e a Fundação das Artes de São Caetano do Sul e é formado em Inglês pela Universidade de Michigan e também é conhecido pelo seu QI alto (172), atualmente trabalha no Talk Show "The Noite".


Ultraje A Rigor durante show no dia Mundial do Rock (Foto: A Rádio Rock)



Como surgiu a ideia de formar o Ultraje A Rigor?

ideia foi a de formar uma banda de cover. Mais tarde ela virou o Ultraje a rigor. Veio da vontade de levar a vida como músico, uma vocação desde criança.

Quais são/foram suas maiores influências, de artistas ou bandas?


Os Beatles, primeiramente. Fazíamos cover de Beatles principalmente. Mas tínhamos influência de toda a década de 60 e 70. Além do deboche.

O último disco de estúdio da banda é Os Invisíveis (2002), tem planos de lançar mais algum no futuro?

Talvez lançaremos outros, nada programado.

Tem algum artista atual que você vê que realmente tem um talento, ou um "algo a mais" como bandas dos anos 60-90, ou as atuais passaram a ser mais "bandas de singles"? 

Infelizmente, é só o que temos visto. Ninguém que me desperte a vontade de comprar um álbum. Muito glacê, pouco bolo.

Danilo Gentili também apareceu nesse show, em Santo André (Foto: A Rádio Rock)
 Como surgiu o convite para trabalhar com Danilo Gentili?


Ele me procurou, pelo Twitter. Como era uma coisa que eu já gostava (talk shows tipo o de Dave Letterman) e não iria me dar muito trabalho, além de me proporcionar muita diversão e estímulo como músico, topei. É o emprego perfeito para mim e a banda perfeita para o programa.


Músicas como Inútil, Vamos Virar Japonês e Nada a Declarar mesmo que foram compostas no máximo há 30 anos, ainda fazem efeito dentro do nosso cenário político brasileiro. Você acha que isso algum dia poderá mudar, ou parece ser algo que já veio de cultura desde o descobrimento do Brasil?


Na época, achava. Infelizmente, hoje em dia começo a perceber que é como mover uma montanha. Mas tenho esperança.

O que você acha do sistema brasileiro e o que pode ser feito para ser melhorado, e o Brasil passar de "O país do Futuro" (já dito desde o primeiro disco do Ultraje) para ser o país do momento?


Há que se investir em educação, mas não 10% do orçamento. 80%, sei lá. mudar o sistema de ensino. Moralizar o judiciário. Construir cadeias. O sistema, como está, exclui o povo de qualquer participação. Votamos em cartas marcadas.

Gostaria de mandar algum recado para os leitores do blog e fãs da banda? 

Queiram-me bem que não lhes custa nada! :)  


Eu e Roger, no Festival de Música Urbana, em 2014
Assista o "Acústico MTV: Ultraje A Rigor":


Leia todas as entrevistas feitas pelo site aqui.

Postar um comentário

 
Top