Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Em dia de chuva, Paul McCartney fez primeiro show do Allianz Parque
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool Nesta Terça-feira (25/11) Paul McCartney fez seu primeiro show em São Paulo pela Out T...
Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool
Nesta Terça-feira (25/11) Paul McCartney fez seu primeiro show em São Paulo pela Out There, o show que é o primeiro dele em São Paulo após quatro anos teve cerca 45 mil fãs presentes no estádio.


(Foto: Marcelo Brandt / G1)
Durante a fila o povo sofria com o sol escaldante que obrigava o pessoal a usar o guarda-chuva para se proteger, porém, por volta das 17h30 o sol escaldante deu lugar uma tempestade e uma chuva muito forte, fazendo com que ainda fora do estádio os fãs trocassem seus guarda-chuva (que não pode entrar no estádio) pelas capas de chuva (sendo até mais que uma, pois apenas uma não aguentaria).


Paul McCartney saiu do Hyatt em direção ao estádio por volta das 16h, e quando era cerca de 17h, ele já estava entrando no estádio, pela Turiaçu. De todos os shows que fui, esse foi o único que vi ele chegando de tão pertinho, passando exatamente do meu lado, com a janela aberta, saudando os fãs.

O show estava previsto para iniciar às 21h, mas a forte chuva estragou o telão direito do show, e demorou 50 minutos para ser arrumado. Neste show ele manteve seu setlist tradicional, iniciando o show com Eight Days A Week (música tocada pela primeira vez em BH, 2013).

"Oi Sampa, boa noite. Esta noite vou falar um pouco de português, mas meu inglês é maior" disse Paul McCartney após encerrar a primeira música.
 
Foto: Elio Sant'Anna / Os Garotos de Liverpool
Seguindo  o show, foi tocada Save Us, faixa que abre o recém-lançado disco NEW e lembra muitos os anos 70 do Paul, sendo uma música que caberia em um dos discos da sua banda formada após o fim dos Beatles, os Wings. 


Após Save Us, ele perguntou se o público estava pronto para a festa, e seguiu tocando All My Loving, a música romântica feita para Jane Asher, presente no segundo disco da banda. Durante essa música, costuma aparecer no telão vídeos dos Beatles, no filme A Hard Days Night.
Foto: Elio Sant'Anna / Os Garotos de Liverpool
Após ela, Paul voltou com uma  sequência "Wings" com Listen to What The Man Said, do relançado Venus and Mars, e a arrebatadora Let Me Roll It, música presente no considerado melhor álbum da banda, Band On The Run. Nessa música ele comanda a sua guitarra psicodélica, sendo uma das músicas mais rockeiras do show, e emenda com o solo do Foxy Lady, do Jimi Hendrix, e lembrando dele após o fim da música. Trocando de instrumento mais uma vez, Paul encerra uma sequencia com instrumentos de corda tocando Paperback Writer, música lançada pelos Beatles em 1966, ele toca ela com a guitarra que foi usada na gravação.
Foto: Elio Sant'Anna / Os Garotos de Liverpool

Deixando de lado os instrumentos de corda, e indo para o piano, Paul McCartney manda mais uma sequencia arrebatadora, com My Valentine (música presente no Kisses On The Bottom, e dizendo "essa música é para minha esposa Nancy"), 1985 (a mais agitada dessa sequencia no piano), The Long and Winding Road e Maybe I'm Amazed (talvez a música mais clássica da carreira solo de Paul, antes de começar a tocar ele diz "essa é par a Linda"), a música exige  muito do vocal do Paul, que  mesmo não tendo  fôlego em algumas partes, seu perfeccionismo não permite mudar  o tom original da música, lançada há 44 anos.

Somente após a sequência que a chuva foi dar uma amenizada , e antes de começar We Can Work It Out Paul McCartney disse "aqui está bombando", levando o público ao delírio com suas falas em português.


Foto: Elio Sant'Anna / Os Garotos de Liverpool
Após algumas músicas, chegou um momento muito legal do show: Paul McCartney tocando em uma plataforma elevada, instalada na estreia da Out There, (em BH) com o intuito de fazer com o que o público da pista comum enxergue melhor ele. Após ele começar a tocar, o público entoou "We Love you, yeah yeah yeah" e ele respondeu com "We love you too, yeah yeah yeah" e começou NEW.

Com ela veio a primeira homenagem do dia: As pulseiras de neon levantas durante a música NEW. Dizem que pela transmissão da TV ficou linda!! Você pode assistir e tirar sua opinião aqui.  Outra música também tocada no piano colorido foi Queenie Eye (do novo disco) mas ela foi cortada da edição da Multishow.


Outras homenagens também foram feitas, como  as bexigas coloridas em Obladi Oblada, música presente no White Album.

Outro momento épico cortado da edição da multishow foi Live and Let Die e sua pirotecnia de fogos, A MÚSICA FOI EXIBIDA PARCIALMENTE. Encaminhando para o fim do show, ele começou o primeiro Bis com Day Tripper, seguindo o Bis teve Hi Hi Hi, música dos incluída incluída pela primeira vez no setlist (desde 1976) no show em BH.

O show seguiu com I Saw Her Stading There, reacendendo a beatlemania, essa música é a primeira faixa da banda, lançada no álbum de estreia "Please Please Me" (que foi gravado todo em 13h) e escrita por Paul McCartney quando ele tinha 17 anos.


Começando o segundos Bis, Paul McCartney pegou seu violão, para o momento sozinho do show, que ele dá vez para Yesterday, a música mais regravada da história, lançada pelos Beatles no álbum Help, foi a primeira faixa da banda que contou com apenas um membro na gravação, antes dele começar, soltou um típico "É nóis" bem paulista. Após ela foi a vez de Helter Skelter, a música mais rockeira é executada depois de mais de 35 músicas, e é incrível como ele ainda tem voz para ela, no final do show.

Acabando o show, foi a vez do medley mais épico que tem, a faixa Golden Slumbers/Carry That Weight/The End é tocada seguidamente, uma puxando a outra, com Paul McCartney no piano, e depois na guitarra, chegando ao fim da magia, chegando ao fim o show. 

Postar um comentário

 
Top