Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Com cobertura do blog, Paul McCartney encerra a Out There 2014
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Foto: Marcos Hermes/ AG Lens/ Divulgação Nesta quarta-feira (26/11) Paul McCartney se apresentou pela segunda vez no Allianz Parque,  e...
Foto: Marcos Hermes/ AG Lens/ Divulgação
Nesta quarta-feira (26/11) Paul McCartney se apresentou pela segunda vez no Allianz Parque,  encerrando a turnê Out There de 2014.




Paul chegou ao estádio por volta das 18h (por conta do trânsito e da chuva), tendo muitos mais fãs e pessoas assediando o seu carro na chegada,  tornando difícil até ver ele com a janela aberta. Você pode ver um vídeo aqui.
 
Foto: Marcos Hermes/ AG Lens/ Divulgação
A chuva domina os shows do Paul McCartney, de 7 shows que já fui, 4 tiveram uma forte chuva (com direito a alagamento e etc), ontem mesmo brinquei que do jeito que está difícil em São Paulo, podia ser anunciado um show na Cantareira, e nossos problemas seriam resolvidos.

Esses shows foram os primeiros no estádio palmeirense desde a sua reforma, praticamente começado do zero, as arquibancadas ficaram mais altas e inclinadas do que o antigo Palestra Itália, e dá o ar de uma casa de shows. Já o som era ecoado em alguns setores, como as cadeiras superiores,em alguns momentos esse  eco que dava na arquibancada era possível ouvir da pista premium, mas  nada que atrapalhasse o evento.


Já  sobre o transporte, com o show sendo finalizado às 00h30, muitos  fãs tiveram que esperar por quase 5h para poder ir embora, no horário que era aberto a estação do metrô, durante eventos de grande porte  poderia ser feito  uma parceria com governo e prefeitura para ter ao menos trens e metrôs
 
Foto: Marcos Hermes/ AG Lens/ Divulgação
Assim como no primeiro dia, o show atrasou 45 minutos,  começando às  21h45. Nesta noite a música escolhida para abrir o show foi Magical Mystery Tour, que é tradicionalmente tocada quando tem dois shows numa cidade.
Cumprimentando o público com "Oi Sampa, boa noite paulistas. Esta noite vou falar um pouco de português, mas meu inglês é melhor" disse Paul McCartney após encerrar a primeira música.

Após ela, Paul deu continuação ao show tocando Save Us, provavelmente a música mais rock do disco NEW, com uma guitarra envolvente, ela caiu super bem no ao vivo, e no gosto de todos que foram aos shows da Out There.

Para divulgar o álbum Venus and Mars, que está sendo relançado neste ano, a quarta faixa do show foi Listen To What The Man Said, ainda tocada no baixo, essa música foi tocada pela primeira vez (desde 1976) em BH.
Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool
Tendo uma banda toda multi-instrumentista, Paul McCartney toca baixo, violão, guitarra e ukulele durante o show, alternando diversas vezes entre eles. A primeira vez dessa alternância começou com a arrebatadora Let Me Roll It, lançada no disco Band On The Run, ele domina a guitarra e ainda toca emenda ela com  o solo de Foxy Lady, do Jimi Hendrix, e após ser ovacionado, ele dedica para o Jimi. Dando sequencia, ele toca Paperback Writer, música lançada pelos Beatles em 1966, ele toca ela com a guitarra que foi usada na gravação.

Deixando de lado os instrumentos de corda, e indo para o piano, Paul McCartney manda mais uma sequencia arrebatadora, com My Valentine (dizendo "essa música é para minha esposa Nancy"), 1985 (a mais agitada dessa sequencia no piano), The Long and Winding Road e Maybe I'm Amazed (talvez a música mais clássica da carreira solo de Paul, antes de começar a tocar ele diz "essa é para a Linda"), a música exige  muito do vocal do Paul, mas ele nem liga para isso, e continua cantando ela no mesmo tom da época do lançamento, há 44 anos.

Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool
Mudando de instrumento mais uma vez, Paul McCartney começa agora uma sequencia no violão com I've Just Seen A Face, We Can Work It Out, Another Day, And I love Her e para muitos a surpresa do show, quando ele vai para frente do palco e começa a tocar Blackbird enquanto uma plataforma subia, usando ela em apenas duas músicas, a plataforma colocada para o público do fundo ver ele melhor, começa a descer enquanto ele toca Here Today, dedicada para "seu amigo John".

Desta vez sem homenagens, Paul McCartney mudou agora para o "Magic Piano" e anunciou New, dizendo "essa música é do novo CD" e com público entoando o coro, ele tocou ela e Queenie Eye, onde nos pontos mais altos da música, ele também deixa para o público cantar junto. Um pouco mais pra frente, teve outra música que o público cantou junto, mas agora All Together Now foi dedicada para a "molecada".

Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool
Ao pegar o ukulele, o público já sabia qual era a próxima música, dedicada para George e feita por George, Paul começa a tocar Something, música lançado no último disco gravado pelos Beatles, ela é único single da banda composto que não é Lennon/McCartney, e com imagens do George Harrison passando no telão, emocionou o público.
Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool
Paul McCartney agitou mais uma vez o público com Obladi Oblada, e o público deixou o palco lindo com luzes de câmeras e  celulares em algumas músicas como Let It Be e Hey Jude.

Em Let It Be, a produção do  Paul McCartney  fez uma homenagem para ele, agradecendo pela Out There, turnê que teve seu último show em São Paulo. O Lucas Jagger, filho brasileiro do Mick Jagger estava junto com a produção, o vídeo você confere aqui.


Foto: Elio Sant'Anna/ Os Garotos de Liverpool


Antes de Hey Jude, ainda teve o maior momento do show: Live and Let Die e sua pirotecnia, aqueceram todos que estavam  na pista premium, de ponta a ponta, e ainda deu um susto em quem não sabia que teria a explosão de fogos e estava vendo o Sir. pela primeira vez.



Já entrando bis, esta noite foi incluída a música Get Back, ainda teve I Saw Her Standing There (música que abre o primeiro disco dos Beatles), teve seu "momento solo" quando tocou a clássica Yesterday (música mais regravada da história), teve Helter Skelter (sendo a música mais rockeira do show, ela nem é exibida no telão, que passa apenas imagens confusas, mostrando a música abstratamente) e o espetáculo se encerrou com o medley do álbum Abbey Road, com Paul tocando piano passando para a guitarra, a banda toda alternando entre solos, e o show encerrando com The End e o Paul dizendo "Até a próxima".

Foto: Elio Sant'Anna/Os Garotos de Liverpool
Com apenas duas mudanças no setlist, ele é em si uma reprise do primeiro dia , tanto nas músicas tocadas (dedicando Foxy Lady  para Jimi Hendrix, avisando que a guitarra de Paperback Writer é a da gravação,  e dedicando músicas para Nancy, Linda, George e John) quanto nas falas (como dizer que o show "está bombando" - no mesmo momento que um dia antes  -  dedicar All Together Now para a  "molecada" e dizer "É nóis" diversas vezes no show).

O setlist é feito de uma maneira que se a pessoa está indo ao show pela primeira vez, ela assista as músicas que queria ou que conhece, e apesar de não haver muitas alterações do primeiro para o segundo dia, todos os efeitos do telão e as pirotecnias já é um show a parte e vale o preço do ingresso.



Este foi o último show da Out There em 2014, leia resenha sobre o show do dia 25 aqui.

Iniciada em 04 de Maio de  2013 (em Belo Horizonte), e finalizada também  no Brasil (26 de Dezembro de 2014 - São Paulo) a turnê Out There teve 64  shows, com grande parte deles em locais que nunca havia passado (Como Polônia, Verona, Ottawa, Regina, Costa Rica, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza, Cariacica e Brasília), shows em locais onde não se apresentava há muito anos (como no Japão e New Orleans - desde 2002 - Tennessee, Winnipeg e Florida - desde 1993 - ), festivais (como o Bonnaroo Festival) e os concertos históricos como o show no Dodgers Stadium, e o último show do Candlestick Park, local onde os Beatles fizeram seu último show.


Mantendo quase o mesmo setlist durante a turnê, ele teve mudanças esporádicas como: Cut Me Some Slack com ex-membros do Nirvana (durante o show em Seattle),  Midnight Special (Bonnaroo), Michelle e Mull Of Kintyre (Ottawa), San Francisco Bay Blues (San Francisco), On My Way To Work (Albany) e Yesterday com o Kronos Quartet, em Winnipeg. 

Mesmo com essas surpresas esporádicas, as maiores surpresas da turnê foram feitas na sua estreia, em Belo Horizonte, ele tocou diversas inéditas, ou músicas que não eram tocadas  há  mais de uma década. 
As músicas tocadas na estreia da turnê foram as seguintes: 

Eight Days A Week (Premier Mundial)

Listen to What The Man Said (Primeira vez desde 1976)
We Can Work It Out (Primeira vez no Brasil desde 1993)
Another Day (Primeira Vez no Brasil desde 1993)
Your Mother Should Know (Premier Mundial - Posteriormente ela foi trocada por Queenie Eye)
All Together Now (Premier Mundial)
Being for the Benefit of Mr. Kite! (Premier Mundial)
Hi Hi Hi (Primeira vez desde 1976)
Lovely Rita (Premier Mundial)

Fazendo turnê sem parar desde 2010 (quando voltou ao Brasil, pela Up and Coming), Paul McCartney sempre lotou os seus shows pelo Brasil, e nesta turnê teve o  público total  de  321.623 pessoas entre os  8 shows feitos em Maio de 2013 e Novembro de 2014. 


A turnê Out There teve 64 shows, tendo quase o total somado da turnê On The Run (37 shows) e a Up and Coming ( 42 shows). Talvez seja o momento exato dele dar uma relaxada, parar por uns meses, e também dar uma reformulada no setlist.

Postar um comentário

 
Top