MUSO SOUP SINGLES #37: Love Ghost, Filiah, Moontwin, Sibuna, Jon Dacks e mais artistas que passam pelo Metal, Folk, vertentes do pop, Instrumental/Jazz/Soul



METAL/RAPROCK
01 - LOVE GHOST
De Los Angeles, eles mesclam rock alternativo e vertentes do metal (como o metal e industrial) e também se une a Rico Nasty para ampliar seu leque de gêneros em uma linha vocal que em diversos momentos se encaixa para o Rap Rock em um música produzida por Mike Summers [Kendrick Lamar, Lil Wayne, Tech N9ne], lançada em Julho mas que abre as nossas listas desta semana.

Liricamente, a faixa é sobre a liberação da besta interior, quando alguém tenta derrubar você. "É sobre ser você mesmo, e não dar a mínima para o que as pessoas dizem sobre você", comentam eles em release oficial. 

Essa junção de elementos consegue trazer para o ouvinte backing vocal envolventes, riffs pesados e batidas prontas para entrar na mente, vocais principais acelerados, mas em outros momentos harmônicos em um conjunto da obra que mostra ser uma banda com ótima variedade de influências e estilos de composição instrumental.




FOLK/DREAM/POP
02 - FILIAH
É uma artista de Viena, Áustria e que aparece hoje pela primeira vez em nosso site, com faixa 'In a Haunted House', lançada há um mês e que estará um presente em um projeto conceitual intitulado "For Someone", sendo também a responsável por encerrar o trabalho e ser liricamente a faixa onde a artista refleta sobre todas as coisas que ela processou nas faixas anteriores. 

Sobre esse lirismo, podemos falar que entre os temas temos abandonar velhos padrões, pessoas e fantasmas de uma vez por todas e se abrir para novas possibilidades

Em release oficial, eles definem este futuro álbum como uma exploração crua e honesta de amor, tristeza, nostalgia e todos os sentimentos intermediários. 

'In a Haunted House', assim como todo o álbum foram gravados e produzidos pela própria Filiah em sua sala de estar e vocês podem ouvir abaixo:


03 - MOONTWIN
É um duo que tem criado seus trabalhos de maneira virtual entre Cornwall (Reino Unido) e Plovdiv (Bulgária) nos últimos anos e revelaram no último dia 27 a faixa 'Around and Around'.

Repleta de influências da Motown, eles trazem uma música essencialmente dreampop, mas que também se une a vertentes como o surf e o psicodélico, ao longo de quase 4min de duração.

Liricamente, eles falam sobre como chegar a um acordo com as inevitáveis mudanças emocionais e físicas que vêm com a idade e o passar do tempo. As promessas ingênuas e os desejos narcisistas do hedonismo e da ambição juvenil são embotados. Como comentam em release oficial.

A faixa e o videoclipe podem ser conferidos abaixo:



04 - RED SKIES MOURNING
É um artista de Baltimore que flerta entre diversas vertentes do pop, rock e até mesmo dançante na faixa 'Reflection', divulgada mês passado nas plataformas de streaming.

Neste trabalho temos batidas envolventes, linhas vocais que podem fazer a faixa ser definida como um hino do artista e elementos de guitarra do indie de uma música composta inicialmente pelo refrão e que também nasceu do que seria a versão remix de 'Light Of Mine', outra música do artista. 

O resultado pode ser ouvido abaixo:




05 - SIBUNA
Divulgado no último dia 27, esta é a música de estreia de seu próximo trabalho, ainda a ser lançado durante o ano de 2021.

Nesta faixa, o artista suiço traz uma sonoridade de início acústico, mas que também passa pelo indie/dreampop, elementos lo-fi e uma linha vocal que flerta pelo rap de um lirismo que fala sobre como você pode lidar com a depressão de uma maneira diferente. Substituindo-se por drogas porque se apaixonam, mas ainda se sentem seguros em suas quatro paredes.

A música pode ser ouvida abaixo:


INSTRUMENTAL/JAZZ
06 - MILES GRINDEY

Britânico, ele aparece pela primeira vez no site com a junção entre jazz, funk e elementos do soft rock e oitentista, num trabalho completamente instrumental em uma banda formada por Adam Wolfe (bateria, Atlanta - GA), Cam Lynn (baixo, Southampton - UK), Nick Willsher (sax, Southampton - UK). Misturado e masterizado pelo produtor Nicholas Bowen. 

Repleta de grooves e ganchos que com certeza irão ficar presos na mente do ouvinte, 'Funk Right Off (Major C)' é definida pelo artista como sua melhor composição até hoje e sendo feita com grande entrega de emocional e de dedição, certamente este deverá ser um dos melhores trabalhos do artista por um longo tempo. 

'Funk Right Off (Major C)' pode ser ouvida abaixo:




07 - WALTER MMARI
Ainda dentro do instrumental, ele é um dos primeiros nomes residentes da África do Sul e segue uma
uma linha mas clássica, com piano/teclados e elementos de cordas que dão um ar cinemático e ambiente para uma música que também poderia caber em trilhas de filmes, numa sonoridade repleta de sentimentos e alma ao longo de toda sua extensão.

"Imagine o passado, o presente e o futuro como um só. Imagine juntar os vivos aos mortos e viver para sempre entre as estrelas. Seres imortais que somos, nossos antepassados ​​são compostos de muitos agoras. O mundo pode não querer que nos lembremos de onde viemos, mas existem aqueles que sabem a que lugar pertencemos. A morte é apenas uma doença e, embora seja terminal, nos recusamos a morrer. Somos imortais e imutáveis, somos seduções inquietas, somos tão permanentes quanto as estrelas". Define o artista como o conceito da banda, em release oficial.




JAZZ
08 - JOON'S SECOND LIFE

Depois de duas faixas instrumentais, damos sequência a um estilo parecido, mas que também traz um lirismo e belos vocais por trás de 'Polarized', single em parceria com Mágdala e lançado há aproximadamente um mês.

Se voltando para o jazz como estilo principal, liricamente a música explora o reino da mídia recém-surgida para consumir informações e seu impacto na divisão das sociedades atuais, trazendo um tema importante de se falar com instrumentais relaxantes e harmonias alegres muito bem construídas num mix de estilos como o jazz comteporâneo, Folk e Neo-Soul.

Neste trabalho, Joon liderou toda a produção, desde a composição até a masterização por si mesmo, enquanto desta vez Mágdala juntou letras atraentes e melodias elegantes, ambas lindamente executadas em harmonia, criando uma experiência agradável para os ouvidos e a mente.




SOUL
09 - JON DACKS

Diretamente de NYC, ele une estilo vocal do Soul a uma linha instrumental do pop, funk e groove, mostrando grande variedade de estilos dentro da faixa 'Beautiful Lady', que abre seu álbum "Feel Like We Do".

Trazendo uma mescla entre a sonoridade old school e moderno, ele consegue maestralmente apresentar um mix entre momentos mais calmos com o vocal tendo destaque e outros trechos onde o instrumental mais enérgico toma conta da música e certamente envolverá o ouvinte, o fazendo dançar momentos mais funk ou pop, mas sempre repleto de grooves.

Este trabalho destaca os talentos do baixista de sessão Robert Calder e a magia da mistura do produtor e multi-instrumentista Hanan Rubinstein. 

Ouça abaixo:




10 - ALBA ROSE
Compositora e produtora neozelandesa, ela trafega entre o Soul contemporâneo, Jazz e Lounge em seu trabalho de estreia, intitulado 'Eve' e lançado no último dia 27.

Iniciando sua carreira ano passado, desde então ela anda compondo faixas que passam tanto pelas vertentes já citadas, como o indie e pop certamente influênciados também pela experiência de se tocar ao vivo com uma banda completa que traz instrumentos tradicionais ao vivo como guitarra e outros elementos mais contemporâneos como o saxofone.

Apresentando um vocal forte e sensual unido a toques de sonoridade ambiente, relaxante, e até mesmo dream, a faixa é acompanhada por um videoclipe onde uma dançarina de balé se apresenta ao nascer do sol, conseguindo capturar o lirismo da música que basicamente é "se deixar ir, confiar em si mesmo, confiar no processo da vida e fazer o que te faz sentir bem".

Ele e a música podem ser conferidos abaixo:


Postar um comentário

0 Comentários