MUSO SOUP ÁLBUNS #19: At The Grove, Stela, Wintermoon, Snakedoctors, Big Hed e mais artistas passando pelo black metal BR, shoegaze, psicodélico, R&B, lo-fi, entre outros

01 - GRIDS & DOTS
Em Março, o grupo australiano lançou"What Happens To Friendships", EP com sete faixas que capturam a energia de Grids & Dots lindamente, ao trazer influencias do indie e shoegaze, com músicas melódicas, impulsionados por um lirismo e narrativa marcantes, 

Nesse EP, a banda trabalhou com Wayne Connolly (Paul Dempsey, You Am I) no EP no Hercules St Studios de Sydney, trazendo um resultado que a banda se orgulha grandemente e com certeza tem seus motivo para isso, basta ouvirmos faixas harmônicas como 'The Great Divide' ou que se voltam mais para o clássico indie rock, como em 'City Skies'.




02 - ANTWON LA GREAT
"The Art Of Low End Vol. 1" é o 'começo do fim' de uma série lo-fi do artista estadunidense, em um EP com cinco músicas completamente instrumentais, que poderiam se encaixar perfeitamente em playlistas ambientes, trilhas de filmes/desenhos indies, num trabalho repleto de samples, padrões de bateria e belíssimas melodias complexas.





03 - THE FLASHPOT MOMENTS
The Flashpot Moments é o projeto de estúdio de longa data do cantor / compositor / guitarrista / baterista ocasional de Boston, Tim Cawley. Ele aborda como seu próprio acampamento de fantasia rock n 'roll pessoal, visualizando a América (fisicamente e no sentido digital), alcançando seus colaboradores dos sonhos e reunindo um coletivo em constante mudança para fazer música.

É principalmente um projeto de estúdio (embora Tim ocasionalmente toque em bares e pequenos clubes) financiado por licenças de sincronização apressadas. Ao longo dos dois primeiros álbuns, a música de The Flashpot Moments foi apresentada em mais de 100 programas de TV a cabo e de redes, incluindo ABC, CBS, E !, MTV, Bravo, TLC e muitos outros.

Divulgado no último dia 22, "Campfires for Cavepeople" é um dos trabalhos mais recentes da banda, que apresenta um indie rock/powerpop repleto de teclados, guitarras fluídas, como melodias e harmônicas muito bem elaboradas e encaixadas entre elas, ao longo de cinco faixas que podem ser ouvidas abaixo.




04 - MAGALI, A CULT
É uma artista italiana que há cerca de um mês lançou "V21", seu segundo álbum, apresentando sete músicas inspiradas na ficção científica.

"É uma jornada em uma nave espacial através da galáxia: primeiro tendo um momento inspirador, emocionante e alegre - então algo está errado e precisa lutar - então a música final é a resolução vitoriosa e melancólica". diz a artista sobre o álbum

Musicalmente falando, ela traz inspirações , do eletropop/dance oitentista em seu estilo vocal e os efeitos colocados na mesma, apresentando também elementos do synth/dreampop nos quesitos instrumentais. Com certeza, fãs desse gênero (e também de algo mais cinemático) irão gostar.




05 - STELLA
Lançado no último dia 7 "Let's Talk About the Weather" é o EP de estreia da artista, que transborda pela influência de gêneros como o R&B, Soul em faixas como 'I Love You So' e 'Take A Look', trazendo músicas animadas de dançar, se divertir, trazendo uma combinação perfeita entre o piano típico e metais típicos do jazz e a guitarra presente no dreampop.

No quesito lírico, a artista mostra letras espirituosas que são equilibradas com vocais sensíveis, cheios de alma num álbum que apresenta uma mescla de gêneros (como o rap em 'Warm & High') muito bem executados. 


06 - MICKEY GOLD
O EP "Thrillz" traz uma grande mescla de gêneros, como hip hop, rock psicodélico e indie pop, ao longo de cinco músicas que abrangem temas como dúvida e perseverança, em um trabalho que apresenta inspirações instrumentais de artistas como Pink Floyd e Pi'erre Bourne.

Feito no formato DIY, o artista gravou todos os instrumentos, além de ter feito o trabalho de mixagem e masterização. Ouça abaixo:




07 - AT THE GROVE
"At the Grove" é uma banda de pós-rock instrumental/rock progressivo, formada por um homem só. Dennis Abstiens escreve todas as canções, também é responsável por todos os instrumentos, produção, mixagem e masterização da música.

Sendo baterista de formação, Denis coloca o instrumento como item instrumental principal do álbum, apresentando ritmos complexos e batidas estranhas, além do habitual 4/4. Também encontramos nas músicas harmonias e melodias cativantes que garantam que a música permaneça em seu fluxo, com sons de estilo cinematográficos e que criam uma atmosfera musical muito gostosa de se estar

Apesar de ser exclusivamente instrumental, cada música conta uma história por meio da música. Pode ser um evento, uma memória, um lugar ou uma imagem. Pensamento cuidadoso foi colocado nos títulos das músicas.




08 - SNAKEDOCTORS
Diretamente da Polônia, a banda formada por quatro amigos estão em uma ótima fase de composição, com dois álbuns e sete singles lançados em um ano. O mais recente deles é "Joy Free Bowl", divulgado no último dia 7 e que apresenta doze músicas trafegando por gêneros como o post-punk, shoegaze, grunge e garage rock.

Com seus trabalhos sendo mixados e masterizados no Abbey Road Studios, Metropolis Studios em Londres e no The Lip Studio em LA, eles se concentraram no momento de produzir, agora que não podem fazer shows e o resultado é um terceiro álbum basicamente esperando seu lançamento e músicas já gravadas para o quarto álbum. A música nos dá alegria nesses tempos difíceis.

A maioria das músicas do novo álbum (assim como no primeiro álbum) foram mixadas por Chris Bolster no Abbey Road Studios em Londres. Quase todos foram masterizados por Andy 'Hippy' Baldwin no Metropolis Studios em Londres, “My Friend (Convince Me)” e “Sweeter (A Version)” - versão única, foram mixados e masterizados por Thomas Queyja no The Lip Studio em LA ( que também trabalhou no primeiro lançamento de nossa banda americana de guitarrista / vocalista).




09 - JEFF SYMONDS
Apresentando ao mundo no último dia 9, "Riverrun" é considerado pelo artista como o disco de sua vida. Um álbum conceitual sobre a jornada da juventude à idade adulta, contendo 13 canções de estilos como alternative/classic/synth/indie rock e até mesmo country, seja pelo instrumental de faixas como 'I Never Lie...' ou pelo estilo vocal do artista, que tem trabalhos perfeitos para singles, mas também para baladas emocionantes. 

Ouça ele completo abaixo:




10 - BIG HED
Divulgado há um mês, "Shortcuts" é um EP com quatro músicas de vertentes como  slacker rock, indie rock e a ambientação lo-fi. Criando um estilo diverso para o som que apresenta, expressando ao público sobre problemas da vida, dificuldades e outros temas que podem ser ouvidos abaixo:




11 - WINTERMOON
Formada no ano de 2000, a banda brasileira Wintermoon toca um black metal bastante influenciado pelo metal tradicional, tendo inspirações dessa vertente como Iron Maiden, Judas Priest, Metallica, King Diamond e Mercyful Fate. Também inspirados pelo metal extremo, ao serem influenciados por nomes como Emperor, Sarcófago e Deicide. Mantendo suas raízes, eles trazem músicas escritas em português e que abordam temas com uma abordagem poética e filosófica.

Após lançarem duas demos (Noctívagos, 2001 e Eósforo Luciférico, 2003) eles entraram em hiato e voltaram agora, em 2021, com quase toda a formação original, para lançarem o primeiro álbum completo, com o nome provisório de "Odes de Ódio de uma Era Vulgar".

Nas plataformas de streaming é possível conhecer o segundo EP da banda, que pode ser ouvido abaixo:




12 - PENELOPE'S THRILL
Mal sabia Timothy Walsh, quando ele começou a trabalhar como consultor no Cazaquistão, que a experiência o faria decidir se aposentar e perseguir seu sonho de escrever canções e tocar em uma banda de rock.

Com a amizade de um grupo de músicos cazaques, Walsh eventualmente colaborou com o compositor e artista cazaque Akmaral Zykayeva ("Mergen") em seu álbum mais recente, Tales of Mergen. A experiência o fez decidir escrever e gravar seu próprio álbum. Assim, aos sessenta anos, Walsh se aposentou da universidade em favor de seu violão e fundou Penelope's Thrill, que lançou recentemente  "Twilight on Tunnel Road", um álbum conceitual que transborda da influência instrumental e vocal de gêneros como o surf rock, rockabilly e o pop rock sessentista, ao contar a história de Lonnie e Chloe, que cresceram em fazendas próximas à beira da Driftless Region, no sul de Wisconsin. um álbum extenso, com quase 20 músicas ao longo de mais de 1h. 




13 - SPRINGTIDE
Sediada em Tóquio, eles lançaram o primeiro álbum "Just Before April" em 2008, seguido de "This is the End" em 2015, onde apresentam um trabalho experimental que tocam com violões, mas soa como algo eletrônico.

Um tempo depois eles estão focados na música eletrônica mesclado com guitarra, em "Remixed and Reconstructed", álbum com oito músicas (sendo as duas últimas versões instrumentais das duas primeiras) originalmente incluídas no EP lançado anteriormente "Sounds Strange, Weird, But Unmistakably Romantic" Vol.1 e Vol.2.

"Assim como uma amostra da música de outro artista pode criar uma música inteiramente nova, sou inspirado pelas texturas, ritmos e progressões de acordes que existem em certas partes de minhas próprias músicas. Até o fim da música, exploro ideias ambiciosas que normalmente não tentaria e toco instrumentos que normalmente não usaria. E então, recebo novas músicas que nunca imaginei.", comentou o artista sobre o trabalho que pode ser ouvido abaixo:




14 - MOLOSSER
Ontem (11), o artista sueco Molloser lançou "Appear", álbum de estreia que traz nove faixas de gêneros como o folk acústico, alternative rock, americana e também de suas raízes escandinavas. 

Tess e Jahn, que são MOLOSSER, se conheceram em Gotemburgo, a segunda maior cidade da Suécia, onde lideram vários combos, a maioria do tipo mais barulhento, antes de se mudarem para a pequena fazenda onde vivem agora. Situado ao lado de um pequeno rio em meio a campos e bosques, o lugar lhes dá a chance de conviver com a mudança das estações e incorporar um pouco disso em sua música, preservando ao mesmo tempo um nervo elétrico sombrio. Os vídeos que acompanham quatro singles do Appear podem ser vistos em https://evilear.com/audiovideo, junto com alguns vídeos ao vivo que já foram lançados.

Conheça o álbum:





15 - GRIMM WINTER
Grimm Winter é um projeto de demo, onde apresenta um álbum produzido inteiramente remotamente por 3 artistas apaixonados, que apresentam temas de amor, autoestima e identidade, com um background instrumental que muitas vezes se contrapõe a mensagem dita nas letras, tendo instrumental voltado para o rock alternativo e o pop-punk, que pode ser ouvido abaixo: 




Esta matéria foi criada via Musosoup, entenda mais aqui: #Sustainablecurator

Postar um comentário

0 Comentários