Vanguart, Disaster Cities, Tagua Tagua e Índigos com lançamentos; Confira-os aqui!!

Fruto da nova safra de composições do Vanguart, o novo single, “O Amor é Assim”, marca a descoberta de uma veia autoral até então oculta do vocalista, violonista e trompetista Helio Flanders. “Depois de quatro álbuns eu tive vontade de escrever canções de um jeito que nunca tinha feito; no caso, contando histórias. Essa é a primeira delas e fala sobre o sentimento de paz dentro de uma relação, e de como às vezes procuramos o caos para acelerar o sangue dentro de nós, para viver coisas novas”, comentou, acrescentando que “para o romântico, a ausência de paz é a verdadeira paz, por isso o título e refrão 'O Amor é Assim’”.

A nova faixa, que já pode ser ouvida nos aplicativos de música, pela gravadora Deck, foi gravada um pouco depois da banda, formada por Helio Flanders (voz, piano e trompete), Reginaldo Lincoln (voz e baixo), Fernanda Kostchak (violino) e David Dafré (guitarra), lançar "Vanguart Sings Bob Dylan" (Deck), que presta tributo e relê parte da obra do lendário artista norte-americano. Essas sessões de gravação originaram também o single “Sente”, lançado em dezembro do ano passado.


Disaster Cities lança o single Automatic. Faixa presente em todas as plataformas digitais, chegou no Youtube, com videoclipe, na última segunda.

A faixa, bastante politizada, traz críticas ao modelo político-social vivido nos últimos tempos e traz uma letra com as angústias de quem dedica a vida à um sistema que visa o lucro acima de tudo em troca de sobrevivência. A música vem acompanhada de um clipe que retrata com profundidade vários espectros dessa realidade, focando na solidão e nas consequências que esses padrões podem provocar.

A música traz arranjos do teclado por Cris Botarelli, do Far From Alaska.


A música escolhida por Tagua Tagua para ser revelada ao público no último mês que antecede o lançamento do álbum Inteiro Metade, é Só Pra Ver. Segunda faixa do disco, é considerada pelo produtor Felipe Puperi, que assina o projeto, a mais pop das nove músicas que recheiam Inteiro Metade, que será lançado dia 16 de Outubro no Brasil, Estados Unidos e na Europa, em uma parceria com o selo espanhol Costa Futuro.


Dando sequência aos trabalhos “Miragem” (2014) e “Espelho” (2016), a Índigos acaba de lançar “SINAPSE”.

Composto por 8 faixas, projeto equilibra um clima introspectivo com o peso do rock. Para completar a base, Andret Oliveira, da Banda Eddie (PE), soma nos teclados e synths.

Com quase 40 minutos de puro som autoral que mescla o rock alternativo atual, progressivo e sonoridades dos anos 60 a 80, álbum reflete sobre os diferentes sentimentos e ideias que passam em nossas mentes dentro de um único dia. Mais que um disco, SINAPSE é uma conversa com o ouvinte. Uma troca.

"Esse trabalho tem como característica a pouca edição. Não é super editado, cheio de efeitos para mascarar erros e defeitos. Queremos mostrar o que somos no nosso cotidiano, no nosso estúdio, no nosso show. Grande parte dos vocais não tem autotune, assim como não temos 10 guitarras processadas e baterias milimetricamente editadas para estar no grid. É orgânico, totalmente verdadeiro e é um disco que quando escutamos nos leva a viajar e nos tira da rotina pesada. Queremos que nossa música seja um meio para trocarmos, como uma conversa, um abraço. Você não está sozinho”, ressaltam os integrantes Marcelo Escobar (voz e baixo elétrico), Beto Gebhard (voz, violão e guitarra) e Alberto Whyte (baterista).