Breaking News

Boogarins abre os shows da primeira edição do festival No Ar Coquetel Molotov, em São Paulo


É nesta sexta-feira, dia 30 de novembro, que São Paulo recebe a primeira edição do festival pernambucano No Ar Coquetel Molotov, que tem o apoio do Proac/ICMS, patrocínio
da Ballantines e a Budweiser como cerveja oficial. A partir das 17h, no bairro da Lapa, o público poderá conferir uma programação que traz nomes como Baco (Exu do Blues), Maria Beraldo e Boogarins. A produção do No Ar apresenta em São Paulo duas das características mais inerentes ao evento, que já é realizado há 15 anos no Recife e reuniu oito mil pessoas em 2018, no último dia 17: a diversidade e a aposta em novos nomes da música.


Com três discos no currículo, As Plantas Que Curam (2013), Manual (2015) e Lá Vem a Morte (2017), a banda Boogarins, abre o line up do palco Coquetel Molotov, às 19h. O grupo tem uma ligação com o festival há muito tempo, a primeira cidade que eles se apresentaram fora de Goiânia foi Recife, em uma prévia do festival, em 2014. Desde então, já tocaram duas vezes no No Ar em Recife, além de terem se apresentado também em diferentes edições do festival que rolaram em Belo Jardim, Salvador e Belo Horizonte.

Depois, às 21h, rola um show pra lá de especial, reunindo Karina Buhr, Alessandra Leão e Isaar. O repertório deste encontro será baseado na relação das cantoras e compositoras com ritmos tradicionais do Nordeste e é composto por músicas da carreira solo de cada uma e interpretações especiais de canções da Comadre Fulozinha, banda que tiveram nos anos 90. Ana Garcia, curadora do festival, conta que a ideia era levar essa apresentação para Recife: "assisti este encontro de Karina, Alessandra e Isaar no começo do ano, em Brasília e queria muito inserir no festival, mas acabou não rolando pra edição de Recife. E fico feliz que seja em São Paulo, porque tem uma comunidade muito grande de recifenses na cidade e esse será um show inédito. Acho que será emocionante, teremos um pouco de Comadre Fulôzinha no palco!".


Já o palco Monkeybuzz,
mídia parceira do festival, abre às 20h com o trio de folk futurista curitibano Tuyo, depois às 22h tem Maria Beraldo com as canções do ótimo CAVALA, show que apresentou na edição pernambucana do festival este ano, também. Às 00h, Baco (Exu do Blues) vai apresentar músicas do disco Esú (2017), e também faixas inéditas do álbum Bluesman (2018), lançado na última sexta, 23. "Este palco teve uma curadoria feita em conjunto e Tuyo foi um nome que a equipe da Monkeybuzz levantou desde o começo. Inclusive, foi até uma surpresa pra mim, que não conhecia bem a banda e fiquei de cara com o fato de já terem tantos seguidores. Acabaram de lançar um disco, será um show bonito. Já sobre Maria Beraldo, ficamos impressionados com o fato dela segurar a onda sozinha no palco, fez todo sentido participar do festival em Recife. Acreditamos que ela deva rodar mais festivais a partir de 2019. E Baco era uma vontade nossa desde o ano passado, mas não conseguimos colocá-lo no line up de Recife.
Esta é a primeira vez e estamos muito felizes com a possibilidade de ter músicas novas no show, apesar de ainda não ser o show do novo disco. Quem sabe teremos também o encontro com Tuyo, que participa de Bluesman. Seria lindo",
comenta Aninha.


No terceiro palco, Sonic, o rapper paulistano Edgar chega com tudo às 23h e apresenta o álbum de estreia Ultrassom, lançado em setembro deste ano e produzido por Pupilo. Conhecido por sua alma nômade e cidadão do mundo, Edgar insiste no princípio básico do rap: compromisso social e faz um show com intervenções visuais incríveis. Pra fechar a programação do festival, às 01h a Coletividade NÁMÍBIÀ se apresenta com DJ set de Dany Bany e Valentina Luz, além de performances de Ana Giselle, Paulet Lindacelva e Euvira. Através de referências que vem de Detroit e Chicago, sabe-se que as origens do Techno e House são de artistas negros incríveis, como Juan Atkins, Derrick May e Kevin Saunderson, o “Belleville Three”, e Frankie Knuckles e é através deste viés que transitam as performances das artistas que integram o movimento. "A
Coletividade NÁMÍBIÀ é uma galera nordestina reunida em São Paulo, que tem participado do Coquetel Molotov, de uma forma ou de outra, nos últimos dois anos. Euvira fez performance na apresentação da Mamba Negra, no Recife, ano passado e Ana Gizelle participou tanto da noite de Azealia Banks, dia 15 de novembro, que abriu as comemorações de 15 anos do festival, como também esteve no Caxangá, este ano. São djs e performers e elas tem feito muita curadoria em São Paulo também, acho que estão crescendo cada vez mais",
afirma Aninha.


Além disso, foram selecionados quatro poetas de SLAM, que farão intervenções poéticas durante o festival, são eles: Juliana de Jesus, Lucas Afonse, Kimani e Takane.



PROGRAMAÇÃO

Palco Coquetel Molotov
19h - Boogarins
21h - Ale+Karina+Isaar

Palco Monkeybuzz
20h - Tuyo
22h - Maria Beraldo
0h - Baco Exu do Blues

Palco Sonic
23h - Edgar
1h - Coletividade Namíbia

SERVIÇO

No Ar Coquetel Molotov em São Paulo

Local: Rua Guaicurus, 324 - Água Branca
Data: Sexta-feira, 30 de novembro
Horário: A partir das 17h
Ingressos LIMITADOS: 1º Lote Promocional: R$25,00 (Meia), R$ 50,00 (inteira) e R$25,00 (social - levar 1 kg de alimento não-perecível)
Link para compra online aqui
Forma de pagamento no local: Dinheiro e cartão
Permitido para maiores de 18 anos