Jägermeister lança documentário "State of Meister"; Assista aqui

O Jägermeister, oitavo destilado premium mais consumido no mundo, acaba de lançar o seu primeiro documentário no Brasil. O curta metragem “State of Meister”, dirigido e editado por GG. Di Martino, mostra um bate papo entre artistas que participaram da plataforma musical Jägermeister Grounds realizada durante o ano de 2017. O projeto teve como foco promover a cena independente do rock nacional, apoiando bandas em ascensão para a construção de sua trajetória no cenário musical, realizando shows e eventos em cinco estados brasileiros. O filme traz a interação entre os músicos, a troca de experiências, dificuldades, superações e, principalmente, a motivação de cada um para continuar seguindo por esse caminho. 


O grande start do Jägermeister Grounds foi em São Paulo nos estúdios Family Mob, Costella e Aurora. Na ocasião, quatro integrantes de bandas distintas formaram a banda “Jäger Grounds”. O grupo teve seus integrantes escolhidos a dedo: um influente (artista com carreira sólida), um participante de edições passadas do projeto e dois integrantes de novas bandas. O influente e o participante antigo atuavam como padrinhos e recebiam os dois artistas novos no cenário para embarcarem juntos nesta vivência musical. Para dar início à aventura, uma faixa da playlist do Jägermeister no Spotify (https://goo.gl/DSZGmb) - que reúne músicas de bandas que já participaram do projeto nos anos anteriores - era eleita pelo público. A partir daí surgia o desafio dos integrantes: criar e gravar uma versão da música, além de apresentá-la em uma festa onde também rolavam pocket shows das novas bandas do cenário. 

A primeira etapa do projeto ocorreu no Estúdio Family Mob, com o vocalista Badauí (CPM 22) como influente, o baterista Dieguito Reis (Vivendo do Ócio), como participante da edição de 2015; e Amanda Butler (Sky Down) no baixo e Rafael Pires (Color For Shane) na guitarra, representando as bandas novas. A música escolhida foi “De Braços Cruzados”, do Faca Preta. 

O Estúdio Costella recebeu a segunda fase, Chuck Hipolitho (Forgotten Boys e Vespas Mandarinas), como influente na guitarra, Caique Fermentão (Corona Kings), participante da edição de 2016 no vocal, além dos novos Éder Chapolla (Devilish) na bateria, e Tuti Camargo (Maguerbes), no baixo. A música selecionada foi “Marte”, da banda Terminal. 

A última ativação ocorreu no Estúdio Aurora, Jão (Ratos de Porão) como influente na guitarra, Capilé (Water Rats), participante de edição de 2015 no vocal e os novos nomes, Barata (Test) na bateria e Billy Comodoro (Combover) no baixo. A música eleita foi “A diferença entre Linces e Lobos”, da banda Cristo Bomba. 

Além de São Paulo, o apoio às bandas independentes ocorreu em outros estados brasileiros. Lava Divers (Minas Gerais), The Last Station (Santa Catarina) e Identidade (Rio Grande do Sul) gravam uma faixa inédita e se apresentam em suas respectivas capitais. O Beach Combers, do Rio de Janeiro, lançou sua música gravada em uma festa no estúdio Audio Rebel. 

O grande fechamento ocorreu durante o Festival Jägermeister Grounds 2017, onde a marca anunciou o line-up com bandas convidadas, dentre elas Dead Fish e o duo californiano Deap Vally e, principalmente, as bandas que participaram do projeto ao longo do ano.

Assista ao documentário abaixo:



Nenhum comentário