Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Paul McCartney lamenta que morte tenha martirizado John Lennon
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Paul McCartney admitiu que se sente ‘frustrado’ pelo assassinato de John Lennon em 1980 tê-lo elevado ao status de ‘mártir’ – implican...
Paul McCartney admitiu que se sente ‘frustrado’ pelo assassinato de John Lennon em 1980 tê-lo elevado ao status de ‘mártir’ – implicando que o resto dos Beatles foi relegado a pano de fundo. E ele argumenta que a percepção de que Lennon liderava a banda é geralmente apoiada quando se compara os melhores trabalhos de John aos piores dele.


O músico de 73 anos disse à Esquire Magazine: “Os Beatles se separaram e éramos todos meio que iguais. George fez o disco dele, John fez o dele, eu fiz o meu, e Ringo o dele. Era como fora no tempo dos Beatles.

“Quando John foi baleado, além do puro horror da coisa toda, o incômodo foi o ‘agora John é um mártir, um JFK’. Eu comecei a ficar frustrado porque as pessoas começaram a dizer, ‘Bem, ele era os Beatles. ’
“Eu, George e Ringo dizíamos, ‘Espera aí – apenas um ano atrás éramos todos iguais. ”

McCartney enfatiza que ele não está tentando depreciar os êxitos de seu finado colega. “John era o sagaz. John fez grandes trabalhos e depois dos Beatles ele fez mais trabalhos excelentes. Mas ele também fez muita coisa não-excelente.

“O fato de ele agora ter sido martirizado o elevou a James Dean e além. Eu não me importo com isso – eu concordo. Eu entendi que haveria um revisionismo. Seria, ‘John era o cara’.
“Se você pegar os grandes trabalhos dele e daí emparelhar do lado dos meus não tão bons, fica fácil de argumentar. ”

 

Ele também lida com especulações de que nunca fora feliz com o trabalho dos dois ser publicado sob a marca ‘Lennon and McCartney’ – um acordo que ele diz ter sido alcançado depois de ele ter chegado atrasado a uma reunião com o empresário Brian Epstein.

“John e Brian tinham conversado, e disseram, ‘Estamos pensando que deveríamos chamar as músicas de Lennon and McCartney’, ele lembra. “Eu disse, ‘OK, mas e porque não McCartney e Lennon? Se eu a compor, que tal isso? ’.

“Eles disseram, ‘Okay, vamos alternar – Lennon e McCartney, McCartney e Lennon. ’ Isso não aconteceu, e eu não me importei. ”

Mas ele admite que isso ‘se tornou um problema’ em certos casos, como no clássico ‘Yesterday’. “Nenhum dos outros Beatles participou dela de modo algum – eu a compus sozinho, e a cantei sozinho”, ele declara.
“Eles não se importavam e eu não me importava. Ninguém se importava, mas isso é coisa minha. Então eu disse, ‘Podemos colocar ‘By Paul McCartney e John Lennon’ – não seria uma boa ideia? A capa original tinha impresso ‘Yesterday by John Lennon and Paul McCartney’ e uma foto de John em cima. Eu mandei, ‘Porra, qual é? ’ E mesmo assim, eles não cederam. ”

Respondendo à acusação de ‘falar de quem não pode se defender’, ele diz: “Não é questão de ego grande. Apenas de identificar quem compôs aquilo.

“John deu uma entrevista muito boa onde ele fez isso: ‘Isso [é meu, isso é do Paul’, e eu pensei, ‘Apenas leve isso em conta – foi John quem disse’. Eu achava que isso era perfeitamente razoável, e ainda acho, a propósito. Mas eu não acho que seja viável por algum motivo.”


Postar um comentário

 
Top