Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Com surpresa, Arctic Monkeys e The Hives se apresentam em São Paulo
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Nesta noite de 14 de Novembro, Arctic Monkeys e The Hives se apresentaram na Arena Anhembi, em São Paulo, 30 mil pessoas estiveram prese...

Nesta noite de 14 de Novembro, Arctic Monkeys e The Hives se apresentaram na Arena Anhembi, em São Paulo, 30 mil pessoas estiveram presentes no show, que somado as duas bandas teve 2h30.

Os portões abriram por volta de 17h30 e para quem estava entre os 200 primeiros, conseguiu chegar na grade rapidamente e permanecer perto dela durante o show. Apesar de antecedência para a abertura do portão, o show de abertura (The Hives) começou seu show às 21h, quando o  mais lógico seria já ser o show do Arctic Monkeys.



Liderada por Pelle Almqvist, que mostrou ter uma enorme presença de palco, interagindo com o público, falando em português, pedindo palmas, fazendo e perguntas e não parando nenhum minuto durante 1 hora impressionou algumas pessoas que falavam que a banda não era boa, entre outros. Tocando músicas presentes nos 3 primeiros discos da banda, o público se empolgava de fato nas mais famosas Go Right Ahead, e Tick Tick Boom.  

Mesmo com isso, a incrível presença de palco do vocalista, que foi na prime, ia frequentemente na grade e interagia 100% do tempo com o público fez com que ninguém ficasse parado em seu show. que ainda teve I'm Alive e Two Kinds Of Trouble, músicas que estarão presentes no próximo disco da banda.

O setlist do show deles foi seguinte:

  1. Come On!
  2. Take Back the Toys
  3. Walk Idiot Walk
  4. Two Kinds of Trouble
  5. See Through Head
  6. Wait a Minute
  7. Main Offender
  8. Go Right Ahead
  9. Won't Be Long
  10. I'm Alive
  11. Tick Tick Boom
  12. My Time Is Coming
  13. Hate to Say I Told You So

Mesmo com esse belo show que foi digno de abertura, o público, que estava louco desde a entrada dos portões, e empurrava todos para a grade, mesmo antes do primeiro show começar, estavam esperando o show da banda principal, que entrou também pontualmente às 23h no palco.


A entrada da banda formada por Alex Turner, Matthew Helders, Jamie Cook, Nick O'Malley e Glyn Jones e   iniciou o show com a trinca Do I Wanna Know, Snap Out Of It e Arabella (todos do último disco, AM) mas após ela que o público realmente foi abaixo, com Brianstorm (presente no segundo disco da banda,  Favourite Worst Nightmare) a música foi uma das mais pesadas do show.


Após ela (principalmente) ninguém mais parou por um segundo, quem  estava querendo ir ao banheiro esqueceu, assim como quem estava passando mal ou com frio e voltou a lembrar desses fatos apenas 1h35 depois, quando o show foi finalizado.



O show foi prosseguindo, entre algumas músicas, com as clássicas Teddy Picker, Crying Lightning e  o retorno ao AM com mais duas músicas. Quando ultrapassou a metade do show, veio a maior surpresa (com mais uma vez o pessoal indo abaixo), os primeiros acordes de My Propeller, música que apesar de ter sido tocada no show dia 9, antes disso não era executada por 7 shows seguidos, desde o fim de Outubro. Ela foi incluída no lugar de She's Thunderstorms e Cornerstone  (tiradas do set desde 2 shows anteriores).


Não fui pela simpatia deles, nem pela interação com o público, fui pelas músicas, pelos sucessos, pela discografia, pelo instrumental e outras coisas. Nisso eles mandaram muito bem, mesmo com eu achando que show tem que ter pelo menos 2h. Apesar disso, a reação de grande parte do público com o show é definida em uma pessoa e duas palavras: Alex Turner.

Em meio a todos esses sucessos tocados, a emoção ver  o vocalista Alex Turner ao vivo, com a loucura dos fãs, que iam pra frente empurrando povo até a grade, na tentativa de chegar mais perto, inúmeras pessoas que estavam na pista comum não aguentaram nem até mesmo até o início do show, e mais uma vez foi provado que li ontem: O Alex Turner é o Justin Bieber do mundo Indie. Fãs histéricas que nem ouviam a voz deles e só gritavam, outras (diversas) que filmavam todo o show, parecendo estar fazendo live stream (mas pulando em quanto filmava.. Pra quê filma então se pula?) e outros diversos fatores comprovaram isso no show.



Antes de começar o Encore, mostrando que o fim do show se aproxima, mais sucessos das antigas foram tocados (Fluorescent Adolescent e 505) e novamente trouxe uma nostalgia ao público, com músicas dos seus primeiros álbuns. Infelizmente essas músicas se antecedia ao Encore, que teve One For The Road, I Wanna Be Yours (seguida de um trecho de Mardy Bum) e R U Mine? A trinca que fechou com chave de outro e mostrou o motivo da turnê se chama "AM Tour".


Ao contrário da banda sueca, que se esforçou para falar o português, interagiu com o público durante o show todo e mostrou ter uma presença de palco incrível, o vocalista Arctic Monkeys, com muita esforço disse um "Boa noite, São Paulo", além de agradecer várias vezes com um "Obrigado" e arriscar também falar sobre a música, como quando disse "Sobre uma menina chamada Arabella" antes de começar tal música. Mesmo sabendo que eles são famosos por essa "interação" com o público (e achar que fama subiu a cabeça deles, só ver vídeos do Lolapalooza 2012), após o show dos suecos a diferença era super notável. Vale lembrar que o Alex, Nick e toda a banda do The Hives passou a madrugada de 5a para 6a na Astronete (Rua Augusta - leia mais sobre) num evento com apenas 65 confirmados no facebook, e de quebra dançou Garotos Podres, Oasis, The Smiths e The Strokes... Iria falar que a diferença das duas bandas com o público foi isso, mas não foi, ambos saíram para a noitada um dia antes do show.


The Hives foi excepcional, baita presença de palco, português afiada, simpatia mil música inédita e um show que fez valer 100% do ingresso. Animação, carisma, falas em portguês e presença de palco mostram que o o show dos suecos foram o oposto do Arctic Monkeys.


Arctic Monkeys fez aquele arroz com feijão, e com cara visível de ressaca, acabou o show quando sua energia não aguentava, apesar disso, o setlist foi impecável,  mas é fato que mesmo sabendo que eles não são de interagir, falar muito com o público e em outros o show poderia ser longo e de fato não ter aquele mesmo estilo e quantidade de músicas de um festival. (principalmente para muitas das pessoas presentes, que foram esperando aquele show de verdade, com no mínimo 2h, como os melhores que foi - Paul McCartney e Black Sabbath-), a energia do público incrível, cantando sem parar do começo ao fim e com certeza deixou aberta as portas para outras vindas.

O setlist completo (assista vídeos ao passar mouse nos nomes) do show do Arctic Monkeys (que se apresentam hoje no RJ) foi o seguinte:
  1. Don't Sit Down 'Cause I've Moved Your Chair
  2. Dancing Shoes
  3. Knee Socks
  4. My Propeller
  5. All My Own Stunts
  6. I Bet You Look Good on the Dancefloor
  7. Library Pictures
  8. Why'd You Only Call Me When You're High?
  9. Fluorescent Adolescent
  10. 505
  11. One for the Road
  12. I Wanna Be Yours
  13. R U Mine?

    Confira fotos AQUI!! 

Postar um comentário

  1. queria saber o nome das musicas que tocaram antes de iniciar os shows

    ResponderExcluir

 
Top