Make it Stop lança Sobrevivência em EP de sete músicas e webzine


Artico Music lança Sobrevivência, o EP de sete músicas do quinteto hardcore paulista Make it Stop, cujo conceito está impresso também num webzine, disponível para leitura gratuita (clique aqui). É o terceiro, mais sólido e maduro registro da banda, que como sugere o nome, é uma reflexão sobre vivências do terceiro mundo brasileiro.

Ouça Sobrevivência aqui: https://album.link/t5kZ6q9QXPZhB.

“Trata-se de defender a vida, sobrevivência”, a frase inaugural do EP é uma constante ao longo das sete faixas. Implicam na luta constante de sobreviver, seja como vida ou ideal.

O conceito gráfico de Sobrevivência, em vermelho e preto, dialogam com as músicas. A capa vem com um vermelho forte contra a onda de criminalizar a cor; trabalha com tipografias manuscritas diretas, com elementos em branco e um design aplicado a foto de uma zapatista, que representa a luta. A arte foi desenvolvida pelo @oRubrica.

Sobrevivência conta com duas participações: de Chris Justtino, da Vermenoise, e July Salazar, da Tomar Control.


Sobre as músicas, comentada pelo Make it Stop:

Distorção:
É uma música que reflete sobre nosso papel enquanto “cena”. Enquanto alguns enxergam apenas como música, nós acreditamos que, mesmo com pouco, podemos fazer grandes mudanças no meio que vivemos com esses acordes.

Pela Base:
Reta e direta, temos que estar preparados tanto mentalmente quanto fisicamente para o que vier, porque são momentos complicados. Construir o progresso não é fácil, pela base é o caminho.

Transformando a Consciência em Força:
A rotina tenta nos desumanizar com uma vida que não gostamos, nos fazendo viciados em “drogas/antidepressivos” para conseguir viver. Até que ponto certas coisas valem a pena na sua vida?

Cegueira:
A cegueira faz os nossos não quererem enxergar o verdadeiro mundo, não podemos desistir das pessoas, temos que ajudar a tirar essa venda dos olhos e mostrar que devem olhar para o novo.

Narrativas Del Combate:
Ações que te deixam respirando esperança de dias melhores, essas são nossas ideias para adiar o fim do mundo e são nossas narrativas de combate.

Não Confio:
Com o que já sofremos, com o que vimos nas ruas, o que está nos jornais, nos dados da periferia, entre outras. Não confiamos na polícia!

Ataque Punitivo:
Estruturas que fortalecem um seleto grupo de poucas pessoas que tem aval para fazer diversas monstruosidades. Isso é justo para você?