Com baixa representatividade, indicados ao Oscar 2020 são anunciados


Na manhã desta segunda feira (13 de Janeiro), a Academia anunciou os filmes e artistas indicados para o Oscar 2020, que acontecerá dia 9 de Janeiro, em sua 92a edição. Com grandes filmes, diretores e atores, 2020 mostra, por um lado um grande desafio para os cinéfilos que gostam de fazer suas apostas. Entretanto, por outro lado, o anúncio também gerou polêmica na internet por conta da falta de representatividade de artistas. Tema que Hollywood vinha dando ênfase nos últimos anos. 

Para início de conversa, como era de se esperar, Coringa é o grande filme da temporada, tendo faturado 11 indicações, fora os prêmios que já levou em outras premiações até agora. Seguido por 1917, épico de guerra dirigido por Sam Mendes feito para parecer que não há cortes (estilo Birdman) recebeu 10 indicações. Outro favorito dessa edição, é o gigantesco O Irlandês. Ambos Al Pacino e Joe Pesci concorrem à Melhor Ator Coadjuvante e curiosamente a americana Scarlett Johansson concorre tanto a Melhor Atriz, como Melhor Atriz Coadjuvante, por História de um Casamento e Jojo Rabbit, respectivamente.

Leonardo DiCaprio recebeu sua sétima indicação por Era Uma Vez em...Hollywood, nono longa de Tarantino que também já arrecadou algumas estatuetas por aí, porém, concorre arduamente com o Coringa de Joaquin Phoenix. E ainda Saoirse Ronan, que com apenas 25 anos, fatura agora sua quinta indicação. Pois é. Em termos de talentos será uma premiação acirrada. 

Dois Papas também marca presença. Apesar da direção ser do mestre Fernando Meirelles isso não categoriza como representatividade brasileira, uma vez que é o idioma no qual o filme é falado que define sua nacionalidade. Ainda assim, o Brasil será representado pelo documentário Democracia em Vertigem, que mostra todo o processo de impeachment de Dilma Roussef. E isso tem causado significativas discussões ideológicas nas redes sociais por conta da falta de imparcialidade apresentada no longa.

Outro motivo de polêmica esse ano é a falta de diversidade entre os indicados. Nenhuma mulher foi indicada a Melhor Direção assim como nenhum ator ou atriz negros foram sequer cogitados. Muito falou-se da esnobação para com a atriz Lupita Nyong'o pelo filme Nós, de Jordan Peele. Da mesma forma, todos os atores indicados são essencialmente americanos brancos.

E mesmo com toda essa restrição, a surpresa do ano é Parasita. Filme asiático do já aclamado Bong Joon-ho. Como se já não fosse grande a aprovação universal do longa, Joon-ho faturou 6 indicações. Incluindo Melhor Diretor, Melhor Filme e Melhor Roteiro Original além do já esperado Melhor Filme em Língua Estrangeira. O que gerou um favoritismo ainda maior pelo sucesso do filme na cerimônia. E sem dúvidas, Parasita é um dos melhores filmes do ano.

Uma outra peculiaridade dessa temporada de premiações é o fato de que a Netflix é o estúdio com mais filmes indicados, chegando a 24 no total. Em 2o lugar Sony Pictures com 20 e Disney  com 16, entre outros. E isso diz muito sobre dois temas: Em primeiro lugar, como as pessoas mudaram a forma de consumir esse tipo de conteúdo em uma era em que todo o tipo de serviço está sendo digitalizado. E pelo visto os de Streaming vieram para ficar. E em segundo lugar e mais importante, o cinema está ficando cada vez mais acessível. Principalmente em tempos em que uma pipoca e um refrigerante custam mais caro do que o próprio ingresso, a Netflix e outros que vieram depois democratizaram a sétima arte. 

A baixo você confere a lista completa dos indicados ao Oscar 2020