Header Ads

  • Breaking News

    Em seu segundo tiro, Zumbilândia acerta bem no alvo

     Dir: Ruben Fleischer

    Essa semana Zumbilândia 2 chega aos cinemas. Para aqueles que são anti-continuações, é um prazer dizer que a sequencia do longa lançado exatos 10 ano antes é tão divertida quanto o primeiro. Claro. Se você gosta de filmes de zumbis misturado com comédias, alguns personagens caricatos e referências à cultura pop. O grande triunfe de Fleischer é não ter medo de ser ridículo, e de uma forma muito positiva. Zumbilândia 2 é assumidamente uma comédia zumbi tão escrachada e hilária que não tem como não se envolver. 

    Em sua sequencia o universo de Zumbilândia é mais incrementado e aproveitado daquilo se criou no primeiro filme. Alguns zumbis evoluíram a capacidade de caçar, novos personagens são apresentados e tudo é mais divertido. Ainda assim, o longa mantém algumas de suas assinaturas vistas em 2009. Excelentes cenas de ação com câmera lenta focando no que é importante que muito lembra a franquia de Kingsman. A sequencia de abertura também em slow com os créditos inicias sendo destruídos em meio à hordas de zumbis ao som de Master, do Metallica. O humor escrachado mas agora mais ousado e ácido.

    O atores originais voltam para seus papéis exatamente como lembrávamos. Jesse Eisenberg, Emma Stone, Woody Harrelso e Abigail Breslin relembram os fãs porque são tão bons juntos em um apocalipse zumbi. Dando ainda um ótimo espaço para o desenvolvimento de seus personagens, Fleischer consegue sem grande esforço não cair na pegadinha do "mais do mesmo". Apenas o mesmo clima de humor sarcástico e algumas técnicas de produção que se mantém em prol de manter a graça do filme anterior na medida mais que certa.

    Talvez seja válido apontar que é uma continuação direta, com muitas piadas e referências ao primeiro filme que tornam tudo muito mais engraçado, especialmente para aqueles que assistiram o longa de 2009. As piadas com cultura pop também são muito presentes e no timing certo. E a história consegue ser diferente do primeiro filme. Columbus e Wichita passam por momentos difíceis no relacionamento. Enquanto Little Rock está cansada de caçar zumbis o tempo todo e foge por uma paixonite passageira. E Tallahassee...continua sendo Tallahassee. Dramas mundanos em um apocalipse zumbi permeado por comédia. De fato não teria como um longa assim dar errado.

    Ruben Fleischer prova que continuações podem ser muito boa sem se levar tão a sério. Com Zumbilândia 2, ele assumidamente não tenta inventar nenhuma roda e é satisfeito consigo mesmo sem medo de ser bobo. Sendo assim o subtítulo do filme "Atire Duas Vezes" pode ser visto como dois grandes tiros certeiros na comédia, com o mais puro e singelo objetivo de divertir. Aguardando ansiosamente o terceiro tiro.