Header Ads

       
  • Breaking News

    Resenha do filme "Shazam!"


                                                              Dir: David Sandberg


    Chega essa semana nas salas de cinema a mais nova aposta da DC. Shazam! O longa levou quase duas décadas para se materializar devido a diversos problemas legais e burocráticos envolvendo a DC e a Warner. A DC, que sempre teve carregou a fama de trazer filmes sombrios e sérios decidiu quebrar esse paradigma com seu recente lançamento entregando uma comédia viva e cheia de cores.


    E não é que deu certo? Mesmo os fãs mais fieis sabem que no mundo cinematográfico a Marvel vem quebrando recordes e mais recordes. No universo da DC os dois grandes longas de sucesso se resumem em Mulher Maravilha (2017) e o mais recente Aquaman. Entretanto, parece que temos um novo herói digno de sucesso.


    Shazam é um filme que quebra todas as expectativas, clichês e subverte o gênero. Billy Batson é um garoto de 14 anos que foi abandonado pela mãe aos 3 anos de idade e agora vive em função de reencontrá-la. Ele ganha super poderes através de um mago que precisa proteger o mundo dos demônios dos sete pecados capitais mas por estar velho, precisa passar o manto para alguém digno. A princípio pode parecer um filme bobo para crianças mas logo a obra se mostra divertida.


    Ao receber seus poderes, basta Billy dizer “Shazam” que ele se torna uma versão de si mesmo adulta com todo o seu potencial mas ainda com a mentalidade de 14 anos. Só isso seria o bastante para um bom filme de comédia. Um super herói adulto que age como uma criança. Salvar o mundo e combater o crime não são suas prioridades mais do que usar sua nova habilidade para comprar cerveja ou enfrentar os valentões do colégio.


    Billy vai para um lar adotivo onde redescobre o verdadeiro significado de família através de um roteiro que funciona muitíssimo bem e trás belíssimas lições sobre encontrar um lugar que o aceite. Evidentemente ainda há um super vilão para ser combatido e nesse ponto a história também não falha. Não que Shazam passe batido por alguns clichês e soluções fáceis. Mas nada que comprometa a qualidade do filme.


    Não obstante, é possível perceber que o filme levou quase duas décadas para ser concluído. Após a luz verde recebida para sua produção, a impressão que dá em algumas sequencias são de que havia uma ansiedade para finalizar a produção. Algumas sequencias são superficiais, e alguns efeitos especiais beiram o brega, mas reitero, nada disso compromete de fato o andamento ou a qualidade do longa. Apenas é perceptível.


    Zachary Levi, que interpreta a versão adulta de Billy trás toda a leveza e carisma de um herói com mentalidade de uma criança. Seu humor funciona indiscutivelmente e ao longo de todo o filme o que não falta são referências ao universo DC, tornando Shazam uma espécie de Deadpool da DC. O que significa que aqui temos de fato o que talvez seja o melhor filme da DC desde Mulher Maravilha.


    Isso porque Shazam não apenas carrega o tom divertido que pode ser aproveitado por toda a família, mas também por que o herói não é absolutamente perfeito. Apesar de seus novos poderes, Billy ainda é imaturo e quer descobrir seu lugar e seu papel no mundo, é um rapaz frágil e cheio de defeitos, o que torna tudo mais realista fazendo com que o espectador se identifique. Seus problemas continuam ali mesmo com seus novos dons.


    Shazam consegue equilibrar muito bem todos os temas que aborda. O conceito do que é ser um herói, lições sobre encontrar seu lugar no mundo, o que é ter uma família e mesmo encontrar a própria identidade. Nenhum desses elementos deixa a desejar e tudo flui com naturalidade no roteiro. Shazam atinge seu máximo potencial não somente como o herói que é, mas como um excelente filme da DC que garante diversão e risada para toda a família.