Header Ads

       
  • Breaking News

    Resenha de Vingadores: Ultimato [SEM SPOILERS]


    Dir: Joe e Anthony Russo

    É uma grande missão e responsabilidade falar de Vingadores: Ultimato. 22 filmes e 11 depois, a Marvel conclui a épica saga cinematográfica que dominou as salas de cinemas e o coração dos fãs. Guerra Infinita deixou um precioso gancho em 2018 que chega a ser comparável com Star Wars: O Império Contra-Ataca. Ir à pré estreia de Ultimato foi muito mais do que ir assistir a um grande filme, foi um evento, uma experiência. Todas as salas esgotadas após antes mesmo de sua estreia, recordes de bilheteria. Um público ávido pela conclusão da saga vestindo camisetas dos seus heróis favoritos discutindo teorias e teorias de como os irmãos Russo iriam lidar com o estalo de dedo de Thanos. A energia e expectativa eram inquestionáveis e ninguém via a hora de começar.


    Ultimato, além de quebrar recordes de bilheteria, também quebrou recorde de duração. É o mais longo filme de super heróis da história. E assim como Guerra Infinita, é tanta coisa importante acontecendo o tempo todo que o espectador sequer sente o tempo passar. Se Guerra Infinita é repleto de ação, Ultimato dá um tempo maior para o espectador respirar e se preparar para a grande batalha final.


    É prazeroso dizer que Joe e Anthony Russo fizeram jus às expectativas dos fãs e entregaram uma obra impecável em todos os sentidos. O filme conta com diversas surpresas e reviravoltas que fazem os fãs quererem pular da cadeira, aplaudir mas também chorar e se emocionar. Pouco tempo após Thanos estalar os dedos, os Vingadores restantes procuram qualquer forma de reverter a tragédia e o roteiro é tão direto e objetivo quanto o filme anterior. A princípio, tudo parece fácil e óbvio, mas logo vemos que há tantos detalhes envolvidos que há algo mais por trás de um plano que à primeira vista parecia simples.


    Ultimato carrega um ar de despedida e luto pela maior parte de sua história deixando os momentos cômicos um pouco mais pontuado e preciso. Além disso, há o clima de retrospectiva do UCM que alguns trailers geraram e que o filme também traz, incluindo viagem no tempo criando uma atmosfera de nostalgia dos últimos 10 anos. E mesmo com cenas do filme vazadas e inúmeras formas de se pesquisar na internet o que aconteceria, Ultimato ainda surpreende, é imprevisível e choca qualquer fã da saga.


    Assim como seu antecessor, Ultimato já começa com toda a força quase fazendo com que o espectador se pergunte, “mas o filme já começa assim?”. Pois é, já. Não há tempo a perder mesmo com 3 horas de duração e tudo o que acontece é absolutamente relevante e faz a história se desenvolver com um fluxo ainda maior que Guerra Infinita. Evidentemente a conclusão conta com diversas referências à cultura pop e easter-eggs de quase todos os outros filmes do UCM. E é claro, o último cameo de Stan Lee, que nos deixou em Novembro de 2018 com um legado indiscutível para a nossa amada cultura pop. O que significa que Ultimato também é uma despedida em muitos sentidos.


    A Marvel também foi meticulosa no processo. Com um marketing impecável e um cuidado meticuloso para evitar o vazamento da trama o filme ganhou proporções nunca antes vistas. Cenas falsas no trailer, atores que não receberam mais do que suas falas sem nem saber com quem contracenavam e uma campanha antispoilers uma semana antes de sua estreia. Tudo para preservar a boa experiência de fãs tão fieis que esgotaram os ingressos em pouco mais de 24 horas. A Marvel praticamente criou e instalou o seu lugar ao Sol na cultura pop e nos corações de seus fãs.


    Vingadores: Ultimato é tudo e mais um pouco do que nós esperávamos no último ano. Se juntarmos todos os vídeos de teorias que proliferaram na Internet o resultado é assustador. Muitas delas estavam certas, mas não com precisão. Como se os Russos pegassem um pouco de cada teoria e fizessem acontecer. Ou seja, mesmo com tanta especulação os eventos de Ultimato são de fato imprevisíveis. A Marvel com certeza não poderia ter acertado mais em como agradar os fãs de forma épica, coerente e emocionante concluindo com a mais pura maestria o legado e a história de tantos longas de sucesso. Ultimato consegue concluir o que cumpriu e ao mesmo tempo deixar portas abertas para um futuro ainda promissor.


    Se Guerra Civil foi um primeiro grande crossover ousado e bem-sucedido, Guerra Infinita elevou isso à milésima potência. Mas Ultimato leva isso ao último patamar que poderia existir. E nada pode preparar os olhos do público para o encerramento da saga que conclui a fase 3 da Marvel, ainda que os Russos tenham deixado claro que Ultimato não é o fim dessa fase. Com isso a Marvel e seus fãs deixam claro porque esses filmes dominam hoje as salas de cinema e a cultura pop e porque não temos indícios de que a era dos filmes de heróis acabará em breve. Mas não se deve ignorar o fato de que um grande ciclo se encerra nesse filme. Arcos de heróis que se encerram mesmo que sobrevivam à batalha, e como diria o próprio Tony Stark: parte da jornada é o fim.