Breaking News

Marky Ramone e John Lydon discutem durante coletiva de imprensa do documentário "Punk"


Na próxima segunda-feira, dia 11 de março, o canal premium da EPix estreia “Punk”, documentário focado no gênero musical e em toda a cultura que envolve este terremoto cultural que, em 1977, teve como epicentros Londres e Nova York.
Para promover o novo documentário dirigido por Jesse James Miller e produzido John Varvatos e Iggy Pop , a EPix realizou uma coletiva de imprensa com a participação de referências e emblemas do gênero. Entre eles estavam John Lydon , ex-vocalista dos Sex Pistols e atualmente membro da Public Image Ltd. , e Marky Ramone, o segundo baterista dos Ramones.
A discussão entre as lendas mencionadas começou quando ambos pronunciaram sua opinião sobre o significado do gênero.
Nesse contexto, John Lydon atacou Marky Ramone: “Para mim, a música punk foi uma prova positiva de que poderíamos mudar nossas vidas através da música, entender o que estávamos dizendo, atacar os sistemas políticos. Esse idiota não pode porque gosta de drogas “.
A resposta de Ramone foi imediata:”Para para. Você fala muito, mas não fez nada.Você não é como o MC5 “.
Foi então que Lydon parou e começou a dançar imitando seu colega enquanto dizia “Oi, Johnny Rotten (seu pseudônimo nos anos 70) você não fez nada …” .
 Não feliz com o que viu, Marky disse: “Você não estava nas ruas protestando como os MC5s fizeram.”
A situação continuou a esquentar quando Marky proferiu uma frase devastadora: “Se não fosse pelos malditos Ramones, você estaria vendendo comida na rua.”
Lydon, por sua vez, defendeu-se dizendo: “Ouça-me, eu amo os Ramones, mas eu amo mais o Status Quo”
“Eu acredito em você”, respondeu com tom sarcástico Marky Ramone, que ofereceu um valioso testemunho sobre o surto de punk em Nova York. “Eu só quero dizer que em 1975 ou 1974, no CBGB, e claro em Detroit, foi quando o punk começou”, disse ele. Se não fosse pelo primeiro álbum dos Ramones, o punk não teria se solidificado. E isso aconteceu no CBGB, junto com Blondie, The Heartbreakers, e antes disso as New York Dolls. “
“Depois que os Ramones chegaram e começaram sua cena punk, o resto é história, eu não vou discutir nem nada. Graças a Deus nós temos a música e isso é o mais importante. Não importa de onde vem: LA, Nova York, Inglaterra … Esta é a melhor música que já existiu. Ainda é”, completou o baterista.
Iggy Pop foi escalado como produtor executivo desta série documental  com produção do canal norte-americano EPIX que terá quatro partes e contará “a história essencial do punk”. O lendário vocalista do Stooges também está entre os nomes de peso que darão depoimentos exclusivos para o programa. Na lista, não poderiam faltar músicos como John Lydon, Dave Grohl, Debbie Harry e Chris Stein, Marky Ramone, Wayne Kramer, Jello Biafra, Duff McKagan e Flea.
A série vai exibir também fotos e vídeos raros e inéditos que ilustram da forma mais pura possível o movimento. Punk também vai explorar as composições, a moda, a arte e todo a atitude DIY (faça você mesmo) que fez parte dessa subcultura.
A produção chega ao canal EPIX em 11 de março de 2019.



.@LydonOfficial and @MarkyRamone threw some pretty serious shots at each other during our PUNK panel this week. 😳

PUNK Premieres Monday, March 11 at 10/9c, only on EPIX. https://bit.ly/2HeBBEa 

Veja outros Tweets de EPIX


Donita Sparks didn’t just tell us - she SHOWED us what Punk really is when she shut down @LydonOfficial's playful heckling. 💪😂

PUNK Premieres Monday, March 11 at 10/9c, only on EPIX. https://bit.ly/2HeBBEa 

Veja outros Tweets de EPIX