Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Palco João Rock mescla Pop Rock, hardcore, Reggae e Rap
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Neste último Sábado (9), aconteceu mais uma edição do João Rock, festival criado em 2002 e que agora teve a oportunidade de apresentar par...

Neste último Sábado (9), aconteceu mais uma edição do João Rock, festival criado em 2002 e que agora teve a oportunidade de apresentar para nós nomes como Mutantes, Caetano Veloso (apresentando o projeto Ofertório), Gilberto Gil (apresentando o projeto Refavela 40) e Tom Zé, num palco dedicado a Tropicália. Uma mescla entre Pop Rock, Rock, Hardcore, Reggae e Rap trouxe Supercombo pela primeira vez ao palco principal do evento, mas também nomes já conhecidos do mesmo, como Raimundos, Pitty, Skank e Gabriel, o Pensador.

Primeira atração do palco João Rock, foi Cordel do Fogo Encantado que começou seu show por volta das 16h, enquanto grande parte do público ainda chegava ao evento, mas isso não diminuiu a energia da banda, que apresentou para um bom público (ao menos na pista Premium), faixas como Ai Se Sêsse, Chover, Na Veia, Foguete de Reis, A Matadeira e outras músicas, num repertório de 50 minutos. Confira setlist completo aqui.


Supercombo

Estreando no palco principal, Supercombo disputou seu horario com ninguém menos que Os Mutantes, mas ainda sim agitou o público que estava nas pistas do João Rock. Mesclando entre seus principais discos de estúdio, Jovem (faixa presente no último disco da banda) foi a responsável pela abertura do show, que seguiu com Fundo do Mar e Campo de Força (do disco Amianto, que tem grande responsabilidade pelo reconhecimento definitivo da banda). Sucessos como Magaiver, A Piscina E O Karma, Bonsai e Rogério, também estiveram no repertório. O destaque do show ficou para a faixa Amianto, que contou com a participação de Juliana Strassacapa, da banda “Francisco, el Hombre”. 

Supercombo

Todo a animação do público, que cantava em coro várias músicas do show, pode ser vista aqui, por um ângulo privilegiado de Piloto Automático, que trouxe Emmily Barreto (Far From Alaska) para participar da faixa, encerrando o show.



 Segue setlist completo aqui.



Deixando o projeto acústico de lado, Raimundos subiu no palco principal do festival trazendo as versões originais de músicas como Me Lambe, Be A Ba, O Pão da Minha Prima e Mais Pedida e Reggae do Maneiro. Quando Digão pegou o triângulo, quem conhece o repertório deles já sabia que a próxima seria Esporrei na Manivela, nesse momento, ele pediu para o público abrir a roda o maior possível, tendo seu pedido atendido também em Palhas do Coqueiro. Durante o show, ele falou um "Fora Temer", que também foi entoado pelo público e reclamou da equipe responsável pelo show do Skank, que fez passagem de som com falas e sons que interferiam no retorno no vocalista do Raimundos.

Raimundos

Além das faixas autorais, Raimundos fez um belíssimo cover de Love Of My Life (Queen) e fez o público se emocionar ao tocar Lugar ao Sol (Charlie Brown Jr.), dedicando ao Chorão, Champignon e todos os membros da banda santista. O setlist completo pode ser visto aqui.



Por volta das 19h, com um bom público presente, Skank começava a tocar na mesma hora que Gilberto Gil. Isso não foi problema algum, já que ambos palcos eram intransitáveis, mostrando o quão difícil era a escolhe entre um e outro. Quem decidiu ver a banda mineira, certamente não se decepcionou com a apresentação agitada e cheia de hits. Do Mesmo Jeito, música do último álbum lançado, foi a responsável pelo começo do show. É Uma Partida de FutebolÉ Proibido FumarSaideira garantiram muita participação e animação do público que cantava junto. A animação foi tanta que Samuel até deu um bronca no público após a segunda música, pois ficavam jogando aquelas bolas infláveis grandes no palco, atrapalhando o retorno e comunicação do músico com sua equipe. Bronca dada, Samuel prosseguiu sua fala parabenizando a organização do evento pela coragem em realizar um evento tão grande feito o João Rock, considerando o cenário político e financeiro do país.

Canção Noturna, Ainda Gosto Dela, Jackie Tequila - uma velha conhecida do público -, Vou Deixar, Garota Nacional e Vamos Fugir marcaram presença no show da banda. 

Sobre tocar em um festival como o João Rock, Samuel Rosa disse o seguinte: "A turnê está começando, passou só por duas capitais e o DVD seré lançado agora com duas músicas inéditas. O que eu gostei de hoje foi que a banda estava solta, desprendida, o que é normal para uma banda que já tem um tempo de carreira, chega para 60 mil pessoas e consegue e não preciso tocar de por presa, travada, mas sim solta, com improvisos e essa é a marca do Skank. Acho que hoje funcionou."



Na sequência, voltando ao João Rock pelo segundo ano seguido, Pitty certamente era uma atração esperada por todo mundo, seja fã que aguardava nas pistas ou imprensa (apesar dela ter atendido somente a mídia televisiva). Trazendo aquele ar de nostalgia para o público, show que iniciou com Admirável Chip Novo (faixa-título do disco mais marcante da Pitty e que completou 15 anos em 2018), seguindo com Memória e I Wanna Be (também presente no Admirável Chip Novo) e trazendo também Sete Vidas, música presente no disco mais recente da artista. 

Após a trinca Me Adora, Equalize e Na Sua Estante, tivemos o momento mais aguardado do show (e de mais surpresa, para quem não sabia da novidade): A reunião de Pitty, Emmily Barreto (Far From Alaska) e Tássia Reis para a estreia ao vivo de Contramão, música que teve clipe lançado na última terça-feira. Mas as surpresas não pararam por aí, antes da maior novidade do dia, Pitty gravou o clipe de Te Conecta, música que deverá estar no próximo disco da banda e vocês poderão assistir ela separadamente logo abaixo.





Destacando o empoderamento feminino, as três ainda cantaram juntas um medley com Run The World (Beyoncé)/Agora só Falta Você (Rita Lee)/Maria da Vila Matilde (Elza Soares)Emmily ainda continuou no palco e participou da última faixa, que foi uma mistura entre Máscara-Bom Senso (Tim Maia)-Máscara.

Sobre a música e participação no show, Emmily falou o seguinte: "A parceria foi convite da Pitty pra eu e a Tássia participar do novo single que ela estava fazendo. Na verdade, ela começou a compor 15 anos atrás mas deixou na gaveta e agora sentiu que precisava de mais minas com ela nessa. Foi incrível todo o processo, a vibe sempre muito alegre e tudo fluiu melhor do que imaginávamos, além de virarmos grandes amigas, né. Se vai rolar outros, é surpresa".





Mesmo disputando o público com Caetano Veloso e filhos, Natiruts provou que o festival tem público para todos os gostos e tocou durante 55min, para uma pista Premium lotada, enquanto, simultaneamente quem não reservou seu lugar, via de longe Caetano com o projeto Ofertório. Faixas como Na Positiva, Quero Ser Feliz Também, Beija-Flor e Liberdade Pra Dentro da Cabeça estiveram presente no setlist do Natiruts.





Super aguardado pelo público do palco principal, Gabriel, o Pensador agitou todo mundo logo no começo, com Matei O Presidente (que completou 25 anos em 2017, ganhando uma reedição na letra, dedicado ao governo atual e citando nome de Temer, que possui referências claras ao Bolsonaro), e recados que seguem em Filha da Puta e Chega. 

Na música Linhas Tortas, um fã subiu no palco, se incorporou na presença de palco de Gabriel e dividiu o vocal da música inteira, até parecendo que ele era membro fixo da banda, ganhando elogios do Gabriel e palmas do público. Depois do Raimundos homenagearem Charlie Brown Jr, foi a vez de Gabriel, o Pensador, que junto com Mari Nolasco, cantou o hit Zóio de Lula e a parceria entre os dois seguiu em Fé Na Luta


Gabriel O Pensador

Encaminhando pro final, sucessos como Surfista Solitário, 2345meia78 e a revoltante, mas verdadeira, Até Quando, encerraram o show, que teve o seguinte setlist.

Sobre participar de um festival de diversidade musical como o João Rock, Gabriel, o Pensador falou: "essa semana teve um festival de inverno lá no Ceará, BH rola bastante, anda tendo um festivais, a gente curte muito. Aqui no João Rock fazia uns três anos  já que eu vim e é muito bom voltar, a gente já sabia da expectativa grande do público da região e de outros lugares, que é um festival aguardado, né. Eu mesmo comecei a divulgar, por ser um festival muito conhecido, pra quem ainda não conhece e o festival tende a crescer cada vez mais".




Começando às 00h25, Planet Hemp fechou o João Rock, tocando para um público inferior ao de outros shows, que provavelmente teriam público maior se fossem os últimos, como Skank e Pitty. Ainda assim D2, B Negão e companhia fizeram a cabeça do público final do festival, apresentando sucessos como Legalize Já, Dig Dig Dig, Queimando Tudo e trazendo rodas do público e muito hardcore em faixas como Mary Jane e Ex-Quadrilha da Fumaça, homenagearam também o Rio de Janeiro com Zero Vinte E Um.

Planet Hemp

Trouxeram também músicas como Crise Geral, Quem Tem Seda, A Culpa É De Quem e finalizaram o show com um bis de Dig Dig Dig, trazendo um instrumental diferente do original.



Postar um comentário

 
Top