Minas no Front traz bandas de rock com protagonismo feminino no Sesc Pompeia

Ema Stoned. Foto: Divulgação.
Com o intuito de promover a participação e a inclusão de mulheres nos palcos, acontece em São Paulo o projeto Minas no Front. São três dias de muito protagonismo feminino, reunindo grupos de rock n’roll em shows intensos.

A abertura acontece no dia 21/06 (quinta-feira), com as apresentações do hardcore feminista da Dominatrix e do rock alternativo de Cora. No dia 22/06 (sexta-feira), é a vez do som primordial da Miêta tomar conta da festa e do power trio Rakta exibir todo seu pós-punk. O evento termina em 23/06 (sábado) com os concertos de Ema Stoned e My Magical Glowing Lens.

Dominatrix sobe ao palco para comemorar os 20 anos do primeiro disco “Girl Gathering”. O currículo das meninas possui três álbuns de estúdio e músicas incluídas em coletâneas e demos, lançados sempre de forma independente, no Brasil e no exterior. A energia é uma das marcas registradas do grupo, tornando-se referência no cenário punk e hardcore. A banda paraense Cora presenta seu setlist composto de sucessos dos trabalhos de estúdio, incluindo o hit “ADA”. Em 2018, elas lançaram o álbum "El Rapto". Suas influências são permeadas por elementos do rock alternativo e do dream pop. A discotecagem da noite será por conta de Camila Mazzini.

De Minas Gerais, Miêta traz a onda shoegaze do álbum “Dive”. Repleta de guitarras explosivas e vocais extensos, a banda é um dos expoentes da cena belo horizontina de rock e já tocou em diversas cidades e festivais ao redor do país. Já Rakta, formada por três garotas de São Paulo, faz barulho com um som difícil de rotular: mistura de pós punk, psicodelia, experimentalismo e kraut rock. A discografia conta com 2 LPs, 4 compactos e várias fitas cassete que foram lançados no Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Espanha e Japão. Na abertura da casa e entre as bandas, Amanda Buttler fará a discotecagem.

A banda paulistana Ema Stoned é formada pelo trio de mulheres, que são influenciadas pelo experimental, jazz, noise e psicodelia. Esse mix pode ser visto no disco “Gema”. O show tem canções já conhecidas do público e a faixa “Proxima B”, prévia do próximo registro de inéditas. Já a My Magical Glowing Lens é o projeto da multi-instrumentista Gabriela Deptulski, que tem experimentado a música a partir de sons analógicos e eletrônicos, compondo arranjos de sintetizadores, guitarras, baixo, bateria orgânica, beats, programações e percussões. Os sons contrastam entre si, utilizando elementos que ora seguem para um rock progressivo, ora para um pop-lisérgico. O primeiro álbum “Cosmos” foi um dos mais elogiados do ano de 2017. Quem embala com sua discotecagem a última noite do projeto é Lu Riot.

Durante os três dias do festival, o selo independente PWR Records estará presente. Com o objetivo de distribuir, assessorar e agenciar bandas com mulheres na formação, o selo foca no cenário independente, levando essas artistas para festivais e palcos antes dominados pelo machismo.

SERVIÇO
Minas no Front
Dias 21, 22 e 23 de junho de 2018 - quinta, sexta e sábado, às 21h30
Dia 21: Dominatrix + Cora.
Dia 22: Miêta + Rakta.
Dia 23: Ema Stoned + My Magical Glowing Lens.

Local: Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.

Ingressos: R$6 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$10 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$20 (inteira).

Comedoria: a capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados: 150. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa com 90 minutos de antecedência ao início do show.

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos.

Nenhum comentário