Millena Kreutzfeld Millena Kreutzfeld Author
Title: Glenn Hughes faz apresentação memorável em São Paulo
Author: Millena Kreutzfeld
Rating 5 of 5 Des:
No último sábado (21), Glenn Hughes, ex-Deep Purple, ex-Trapeze e ex-Black Sabbath, fez uma noite extraordinária para todas as gerações do...

No último sábado (21), Glenn Hughes, ex-Deep Purple, ex-Trapeze e ex-Black Sabbath, fez uma noite extraordinária para todas as gerações do rock que estavam presentes no Tropical Butantã. Crianças, adolescentes e idosos estavam extasiados por presenciar "a voz do rock", e não é à toa que Glenn recebe esse título: sua voz, no auge de seus 66 anos, está incrível.

A turnê vem lotando todas as casas por onde passa e não foi diferente no último sábado. Apesar do pequeno atraso, Glenn e seus companheiros Jay Bo (tecladista), Fer Escobedo (baterista) e Soren Andersen (guitarrista), mostraram que são capazes de transportar o público para os anos 70 com extrema facilidade. 


Glenn Hughes. Foto: Licciardi Fotografia
A banda foi recebida entre gritos, muitos sorrisos e logo começaram o show com Stormbringer, uma pedrada que só ditava o ritmo que seria o resto da noite, com pontos mais surpreendentes ainda. Para quem nunca teve oportunidade de ver um show de rock, Glenn pode ser considerado uma referência máxima. Might Just Take Your Life foi a segunda escolhida da noite, que encontrou no refrão, um público sedento por cantar e tomou conta da casa. Apesar de um pouco tímido no começo, como quem não acreditava o amor que estava recebendo, ele só foi capaz de dizer "eu te amo" para os fãs, que responderam em uníssono que também amavam ele.


Jay Bo. Foto por: Licciardi Fotografia
Sail Away continuou o show, dando destaque para Glenn e seu baixo, e seu tecladista, Jay Bo, que parece que tem mais de dois braços ao vivo, pela sua técnica. Durante o show, Hughes conversou muito com o público, perguntando como estavam se sentindo, que amava todos eles, mas a casa foi à baixo quando ele disse que o público não veio vê-lo e que sim, ele veio ver o público. Mistreated chegou e com ela, os agudos impecáveis de Glenn, fazendo com que todos se arrepiassem e não acreditassem que aquele senhor ainda podia fazer como há 40 anos. 

É nítido que, quem acompanha "a voz do rock" em seus shows não pode ser qualquer um, mas o motivo para que cada um que compõe a banda estar no palco com ele, foi mostrado durante os solos que ocorreram durante o show. Em You Fool No One, Jay Bo teve seu momento de brilhar, com um solo que contou com a participação sua perna tocando também; o público acompanhou com palmas e ovacionou durante todo o solo. Glenn voltou ao palco, aplaudindo o colega e cantou um trecho da música para depois, deixar o palco novamente para outro solo, desta vez do guitarrista Soren Andersen, que brilhou sob um holofote roxo, mostrando porque está há 10 anos com Hughes. 

Soren Andersen. Foto por: Licciardi Fotografia
Por último, foi a vez de Fer Escobedo, baterista de 25 anos que impressionou a todos com sua maestria. Afinal, tocar num lugar de Ian Paice, que gravou as canções originais, não é para todos. Inclusive, Glenn voltou ao palco, após os solos e conversou com o público: "Uau. Eu tenho um novo baterista, ele é de Santiago e tem 25 anos. Procurei por uns 5 anos e achei esse menino. Todo mundo tem um sonho e pode realizá-lo. Esse moleque tinha um sonho e agora ele está ali atrás da bateria", que foi muito aplaudido assim como os outros integrantes da banda. Glenn ainda ressaltou que não falava muito em shows, mas precisava mencionar que os fãs de São Paulo são os mais loucos, o que levou o público ao delírio.

This Time Around e Holy Man foram as escolhidas para acalmar um pouco a noite, ambas são emotivas e a primeira, possui um significado especial para Glenn, já que ele escreveu junto a John Lord. Foi um dos poucos momentos que o público ficou quieto e deixou Glenn tocar com toda sua alma. Antes de Holy Man, ele ainda avisou que era hora de ser emocionar e perguntou ao público se eles gostariam de ser emotivos.  

Glenn Hughes. Foto por: Licciardi Fotografia
Antes de tocar Gettin' Tighter, Glenn lembrou que essa canção foi feita com Tommy Bolin enquanto conversava mais um pouco com os fãs e brincava com o roadie que arrumava seu pedal. A canção ganhou uma versão de quase 13 minutos para a alegria dos fãs. O baixo de Glenn já é um símbolo por si só, mas nessa música estava mais marcante, o que foi uma aula para quem gosta do instrumento acompanhar.

E um dos hinos do rock mais esperado da noite, Smoke On The Water, fez o Tropical Butantã inteiro cantar o refrão da música, que marcou e ainda marca gerações. Foi uma sensação única ver o famoso riff ao vivo e ainda, ouvir Hughes cantando o que fez sucesso na voz de Ian Gillan, sem deixar a desejar em nenhum momento. Ainda houve um trecho de Georgia On My Mind, com um acompanhamento belíssimo de Jay Bo nos teclados. A junção foi inusitada mas fez sucesso. Seguindo já para o final do show, You Keep On Moving foi selecionada, mas antes disso, Glenn resolveu declarar mais um pouco seu amor pelos fãs, já que acontecia uma troca de sentimentos entre banda e público: "Eu amo a humanidade, este planeta e toda e qualquer raça. Eu quero dar para vocês todo o amor que vocês têm dado. A minha voz é a sua voz.".

Glenn Hughes. Foto por: Licciardi Fotografia
Voltando para o bis, duas canções incríveis e tão marcantes quanto Smoke On The Water, Highway Star e Burn fecharam o show de uma maneira surpreendentemente enérgica e mágica, deixando os fãs satisfeitos com o show, mas com um gostinho de quero mais. Na primeira música do bis, o roadie tocou o baixo, para que Glenn brilhasse somente com sua voz e justificasse o título de a "voz do rock" mais uma vez. Em Burn, ele pegou seu baixo vermelho e deixou na memória de todos que ainda pode os agudos que dá, já que poucos de sua idade tem capacidade para fazê-lo, dar um verdadeiro show de rock, deixar seu nome como referência e mostrar que ainda tem muita estrada pela frente.

A banda ainda passará por Curitiba (24/04), Manaus (26/04), Porto Alegre (28/04), Rio de Janeiro (28/04) e Vila Velha (01/05). E para quem não conseguiu ver o show de São Paulo ou de Limeira, que aconteceu no domingo (22), e não poderá ver os próximos shows, Glenn prometeu que voltará no próximo ano e o que nos resta é esperar. 

O show contou com 12 músicas, que você pode conferir a seguir:
Stormbringer
Might Just Take Your Life
Sail Away
Mistreated
You Fool No One
This Time Around
Holy Man
Gettin' Tighter
Smoke on the Water / Georgia On My Mind
You Keep on Moving
Bis:
Highway Star
Burn

Postar um comentário

 
Top