Rider volta ao Rio de Janeiro com festival #DÁPRAFAZER, com Emicida


O fim de semana do dia 17 de março promete ser agitado no Rio de Janeiro graças à segunda edição do festival #DÁPRAFAZER, desta vez com o tema A RUA CRIA. O evento contará com um cronograma rico de atrações musicais gratuitas e uma feira de moda com marcas e estilistas independentes que estão colocando o streetwear brasileiro cada vez mais em evidência. Com a relação entre moda e música em seu centro, a ação cocriada por Rider e pelos fazedores parceiros pretende reunir e projetar em maior escala os artistas e os coletivos protagonistas dos novos movimentos de lifestyle que tomam o país inteiro atualmente, mas que tiveram como ponto de partida para sua criação a cultura de rua de cidades principais, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Salvador.

A primeira edição do #DÁPRAFAZER, realizado em março de 2017, jogou luz sobre o cenário independente do Rio de Janeiro ao ligar suas diferentes zonas criativas e os fazedores inseridos em cada uma delas. Seguido de um verão intenso marcado pelo projeto #RiderNaBeca, que investigou e mapeou as influências da nova moda de rua do Brasil, e pelo novo filme cocriado com Fióti e outros fazedores parceiros, Rider se une à NOIX novamente para celebrar suas conquistas e inaugurar o segundo capítulo dessa trajetória.

Agora, o festival volta à cidade carioca com um novo objetivo: o de transformá-la em um palco de intercâmbio cultural entre os movimentos de lifestyle mais intensos do Brasil no momento, sempre usando a própria cultura de rua como ponto de conexão entre eles, por ser o lugar de início que têm em comum. Com a força e a vida em ebulição das ruas é que tais movimentos passaram a habitar o inconsciente coletivo da nova geração da música e do streetwear, interligando fazedores, fundindo culturas de diferentes cidades do país e dando origem a novas linguagens estéticas e tendências de comportamento.

Nesse contexto, o centro do Rio de Janeiro será ocupado a partir das 14h por coletivos contemporâneos e representantes dessa nova geração, todos convidados por co-curadores da marca.

A Comuna, espaço carioca que faz as vezes de bar e galeria de arte, trará a DJ chilena Valesuchi, a força feminina e latente da Mamba Negra e, pela primeira vez na cidade, a banda techno cheia de brasilidade que nasceu a partir de jams da festa e do selo Mamba Rec, Teto Preto.
LAB Fantasma, selo independente que Emicida comanda ao lado do irmão, Evandro Fióti, convida três novas artistas mulheres emergentes no cenário do rap nacional: Áurea Semiséria, natural de Salvador e descoberta pela rapper amazonense Mirapotira, Dory de Oliveira, da periferia de Itaquera e autora de rimas empoderadoras e a carioca Yas Werneck, que também é professora de matemática e poetisa.

A Balaclava Records, produtora já conhecida por seu radar afiado para o que há de mais cool no momento, fará a curadoria de artistas que tocarão em jam sessions, dentre eles os grupos de rock alternativo Terno Rei e Raça. Para animar ainda mais a festa e fazer todo mundo quicar, o coletivo funkeiro Heavy Baile convida ÀTTØØXXÁ, grupo de produtores, MCs e músicos criativos que levou a música underground baiana a outro nível ao resistir a definições e levar a diversidade de ritmos para dentro de sua música.

Quanto à feira de moda de rua, Rider convida cerca de 40 marcas independentes que estão marcando forte presença nas streetmarkets para se conectarem com o público do festival. Dentre elas estão a curitibana Öus, a carioca Membrana, as baianas Orig e Billion Vibez e as paulistas Bolovo, Lab Fantasma, Ken-gá Bitchwear, Surreal Clothing e Felipe Fanaia. Também marcarão presença os brechós Rua e Vida, Limbó, Muambabes e Brexixe.

SERVIÇO
Local: Largo Alexandre Herculano, Centro, Rio de Janeiro
Lineup:
14h às 16:20 – Balaclava convida: Terno Rei (SP) + Raça (SP)
16h30 ás 18h20 – LAB e Emicida convidam Dory de Oliveira (SP), Yas Werneck (RJ) e Áurea Semiseria (BA)
18h30 ás 21h – Heavy Baile (RJ) convida ÀTTØØXXÁ (BA)
21H20 ás 24h – COMUNA convida: MambaNegra, Show com Teto Preto, LiveSets DJ Valesuchi (Chile) e Domina
 
Entenda o que é o #DÁPRAFAZER:

Os 30 anos são um divisor de águas na vida de qualquer um – e não foi diferente com Rider, que comemorou o aniversário especial em 2016. A partir de então, a marca de chinelos do grupo Grendene se revolucionou e adotou um novo lema para continuar guiando sua trajetória no mundo moderno, sempre conectada com o público jovem e insider: #DÁPRAFAZER. Voltando o olhar para o cenário independente em ebulição no Brasil, Rider passou a dar luz a pessoas e coletivos que estão à frente da execução de projetos e ideias incríveis, movimentando a economia criativa do país.

O lema ganhou força com projetos especiais: o Fazedores (fazedores.co), plataforma digital que funciona como catálogo de projetos independentes e mapa para se conectar com pessoas que realizam fazeres diversos. A primeira edição do Festival #DÁPRAFAZER, que durante os quatro finais de semana de março passado levou workshops, talks, exposições e shows a quatro diferentes zonas criativas do Rio de Janeiro, com o objetivo de conectar os fazedores de cada região e fazer pulsar o coração underground da arte independente da cidade.

O saldo do verão 2017/2018 também ferveu: Rider se envolveu com projetos em cocriação com fazedores, como foi o caso do NaBeca, feito em parceria com Noix, os fotógrafos paulistanos Gezão Ferreira e Amanda Adász e a Fort Magazine, e cuja meta foi investigar o streetwear brasileiro atual e a sua conexão com a cultura local nas cidades de Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, revelando novos movimentos de lifestyle, de comportamento e de tendências entre os jovens brasileiros. O resultado desse mapeamento cultural foi tão rico e o cenário das ruas tão presente nos movimentos detectados nas diferentes regiões do país que virou o novo tema da segunda edição do Festival #DÁPRAFAZER, nomeado como A RUA CRIA.

Nenhum comentário