LCD Soundsystem, Liam Gallagher e Wiz Khalifa se apresentaram em dia fechado do Lollapalooza


Numa noite de evento-triplo para o site, estive no Onix Day, evento fechado do Lollapalooza, para donos de Onix e convidados, onde três dos principais artistas do evento que começa hoje se apresentaram para mais de 40 mil pessoas.

Foto: Celso Tavares/G1
Com os portões abrindo por volta das 17h, Wiz subiu no palco Onix, como primeira atração da noite, fazendo uma apresentação de 40 minutos, diante uma garoa fina e um público que aos palcos ia chegando no local. Conhecido por ter sua própria marca de maconha (a Khalifa Kush), Khalifa jogou um baseado gigante para o público, onde era estampado o nome Raw, outra marca na qual ele é garoto-propaganda. Logo em seguida, ele canta Bake sale, acompanhado de uma ótima banda.

Outras músicas como Something new, Best Life, Young Wild and Free, além dos hits Black and Yellow/See You Again, que deram uma fama maior ao artista, nos EUA e no mundo, respectivamente, também estiveram presentes no setlist.

Ele volta ao palco do Lollapalooza dia 25, às 21h, dividindo a atenção do público com The Killers.


Foto: Celso Tavares/G1
Segunda atração da noite, uma duvida pairava na mente do público, sobre como seria o show de Liam, que conta com um histórico de fugida dos shows, sendo assim no Lolla Chigaco do ano passado e do Chile na semana passada, além de um cancelamento por aqui. 

Tocando e cantando também por 40 minutos, mostrando que devia ser algo regra de produção para o evento fechado, Liam escolhe as músicas mais barulhentas e conhecidas do Oasis, além de quatro músicas do disco As You Were, primeiro dele e lançado no ano passado. 

Sendo uma apresentação considerada melhor do que a do seu irmão, na edição 2016 do LollaBR, ele dedicou Supersonic ao atacante Gabriel Jesus e trouxe para o repertório hits como Rock and Roll Star, Morning Glory, além de Wonderwall, que foi entoada por todo o autódromo, quando o show ia chegando ao seu final.

Liam se apresenta no Lollapalooza também dia 25, antes The Killers, no palco principal.

Celso Tavares/G1
Para um público menor do que Liam, já que muitas pessoas assistiram o Ex-Oasis e foram embora, LCD Soundsystem se apresentou por 1h, 20 minutos a mais que as outras duas atrações.

Sete anos depois de anunciar o fim e fazer tour de despedida por aqui, a banda está de volta com o disco American Dream, tendo duas músicas incluídas no repertório e o resto mesclado da carreira toda.

Misturando muito rock com eletrônica, o destaque é como elas são iniciadas de um modo calmo, até chega numa explosão, tanto instrumental quanto da própria da banda, que tenta espalhar essa energia para o público, mas só consegue de fato atingir quem está mais perto do palco. Com muitas pessoas provavelmente nem tendo ingresso para os outros dias, parte do público assistia aos shows e outras conheciam todo o espaço aberto para hoje, tendo redes, locais de descanso e até mesmo a roda-gigante aberta.

LCD volta aos palcos do Lollapalooza amanhã, encerrando o palco secundário e provavelmente para um público bem maior, mesmo sendo o único dia não esgotado.


Se o tempo ajudou, sem trazer chuva forte durante todos os shows da noite, a organização pecou em algo que deixou muita parte do público furiosa, inclusive com pessoas já mandando mensagem para advogados, afim de tomar uma atitude. 

Com caixas para carregar as pulseiras e poder consumir dentro do festival, não foi informado até que horas poderia por mais dinheiro nas pulseiras, algo que atrapalhou a todos, pois meia hora antes de acabar já estava fechado os caixas, impedindo a galera de consumir mais e, pior ainda, sem nem ter devolução para quantias pequenas, fazendo ou o festival ganhar um dinheiro que na verdade não era deles, ou fazendo as pessoas comprarem o que de fato não queriam, só para o prejuízo ser menor.

Nenhum comentário