Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: ESPECIAL SÃO PAULO TRIP: Relembre passagens de Alice Cooper pelo Brasil
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Pouca gente sabe quem é Vincent Damon Furnier, um senhor nascido em Detroit em 1948. Mas quem gosta de rock certamente conhece seu pseudônim...
Pouca gente sabe quem é Vincent Damon Furnier, um senhor nascido em Detroit em 1948. Mas quem gosta de rock certamente conhece seu pseudônimo – Alice Cooper. Após dois álbuns sem chamar muita atenção, ‘Pretties for You’ (1969) e ‘Easy Action’ (1970), Alice Cooper se associou ao experiente produtor Bob Ezrin e lançou ‘Love it to Death’ (1971), que entrou direto nas paradas americanas graças ao sucesso da canção ‘I’m Eighteen’. Com o apoio do empresário Shep Gordon, que sugeriu o uso no palco de elementos cênicos como cadeiras elétricas, sangue falso e cobras de verdade, Alice Cooper ganhou notoriedade e lançou três álbuns clássicos na sequência, ‘Killer’ (1971), ‘School’s Out’ (1972) e ‘Billion Dollar Babies (1973). Após se separar da sua banda e adotar legalmente o nome ‘Alice Cooper’, veio um período de muita polêmica e pouco sucesso. O cantor seguiu lançando álbuns regularmente, mas retomou o sucesso mundial definitivamente em 1989, com ‘Trash’. 

Com o ‘personagem’ de volta à cena, Alice Cooper foi convidado a fazer participações em álbuns de outros artistas, como ‘Use Your Illusion I’, do Guns N’Roses, e filmes como ‘Hora do Pesadelo 6’ e ‘Quanto Mais Idiota Melhor’. Desde então, Alice Cooper continua levando seu ‘teatro do horror’ a turnês lotadas em todo o mundo, inclusive ao lado de celebridades como o ator Johnny Depp e o guitarrista do Aerosmith Joe Perry, que se uniram a ele no supergrupo Hollywood Vampires.


Shows no Brasil


Muitos pensam que Alice Cooper decidiu para o Brasil recentemente, com shows em 2011 e 2015, Alice Cooper na verdade quebrou um tabu, para os, agora, tão rotineiros shows internacionais. em 1974, Cooper veio no auge, para fazer o primeiro show internacional de rock em nosso país. O primeiro, no salão de Exposições do Anhembi, está na história por muitas razões, sendo uma delas o especulado público de 158 mil pessoas.

Com um misto de música pesada, teatro, performance e muito terror, ele enchia teatros e casas de shows por onde passava. Ele decapitou bonecas, foi eletrocutado e guilhotinado, tudo conforme o roteiro macabro de seu teatro de horror. O script trash ainda teve “Pra Frente Brasil” nos altos falantes, ao final do show. Com direito a coro do público que deixava o Anhembi. (trecho retirado do site oficial, leia mais sobre esse dia no Estadão). 


Para deixar ainda mais histórico, Rita Lee na ocasião comprou de Alice Cooper os canhões de luzes de palco para usar em seus shows com o recem formado Tutti Frutti, Andy Mills,técnico de som da equipe de Alice Cooper, ficou no Brasil por algum tempo para trabalhar com Rita Lee.




Um pouco mais de 20 anos depois, em 1995, a segunda edição do Monsters Of Rock em solo brasileiro fez a proeza de reunir Ozzy Osbourne, Megadeth, Faith No More e Alice Cooper. 
A banda de Alice Cooper contava com Jimmy DeGrasso na bateria, que estava no Monsters de 1994 com o Suicidal Tendencies e em 1998 com o Megadeth. Com um repertório extenso para shows da época, Cooper apresentou 21 músicas, incluindo Jumpin' Jack Flash, dos Rolling Stones.


No começo do século atual, Alice voltou para São Paulo e Rio de Janeiro, agora com a British Rock Symphony, grupo formado por Jon Anderson (ex-Yes), Alan Parsons (do Alan Parsons Project), Tony Hadley, 30 músicas e um coral de 10 vozes.

Em seu momento do show, Cooper disparou com “Another Brick In The Wall”, do Pink Floyd, seguida por “Start Me Up” (Rolling Stones) e “My Generation” (The Who). Também mandou a autoral “School’s Out”, deixando todo mundo com gosto de quero-mais. Quando esperavam mais dele, veio “With A Little Help From My Friends” (The Beatles) na versão Joe Cocker, onde cada verso era cantado por um dos vocalistas.

Apresentando praticamente uma peça teatral (como descreveu quem estava nas poltronas do Credicard Hall), o pai de rock horror usou 1h40 do dia 12/6 para mostrar o melhor se sua obra. Com música, teatro, coreografia, rituais e troca de jaqueta em algumas músicas.

O repertório teve músicas como "It's Hot Tonight", "Be My Lover", "No More Mr. Nice Guy", "Under My Wheels", "I'm Eighteen", "Is It My Body", "Woman of Mass Destruction", "Lost in America", "Public Animal", "Halo of Flies", "Welcome to My Nightmare", "Cold Ethyl", "Only Women Bleed" e "School's Out".


Na última edição do Rock in Rio, Alice Cooper repetiu a ideia da British Rock Symphony e trouxe para o palco principal do evento um projeto paralelo a sua extensa carreira. Hollywood Vampires era o nome de um seleto grupo que frequentava as noites agitadas de Los Angeles, como Alice Cooper, Joe Perry, Johnny Depp, Duff McKagan, Matt Sorum e Zak Starkey, todos esses presentes no Rock in Rio 2015, além de Paul McCartney, Dave Grohl e outros nomes presentes no disco. Além desse timaço, Lzzy Hale (Halestorm) e Andreas Kisser (Sepultura) participaram do show, que apesar ter apenas uma música autoral no seu show, esbanjaram no quesito talento, presença de palco e ainda teve um público aumentado com a presença de Johnny Depp.


Quer assistir pela primeira vez Alice Cooper ou reviver outras passagens? Confira serviço completo do show e adquira seu ingresso logo aqui.

São Paulo Trip: Guns N' Roses + Alice Cooper
Horários:     Portão: 16h
Alice Cooper: 19h15
Guns n´ Roses: 21h
 
Ingressos                                Inteira                        Meia

Pista Premium                     R$780,00                    R$390,00
Pista                                       R$390,00                    R$195,00
Cadeira Nível 1                    R$550,00                     R$275,00
Cadeira Nível 2                    R$300,00                    R$150,00


Postar um comentário

 
Top