Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: ESPECIAL SÃO PAULO TRIP: Relembre shows do Guns N' Roses pelo Brasil
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Daqui praticamente 1 mês (26/9), Guns N' Roses será a banda principal da última noite da, já histórica, São Paulo Trip. Junto com Alice ...
Daqui praticamente 1 mês (26/9), Guns N' Roses será a banda principal da última noite da, já histórica, São Paulo Trip. Junto com Alice Cooper (que já fizemos matéria especial em nossa coluna) e Tyler Bryant & The Shakedown.

Com mais de 30 anos de carreira, o Guns N' Roses lançou seis álbuns de estúdio, três EPs e e dois álbuns ao vivo (sendo um deles em 3D). Além das + 100 milhões de cópias  vendidas em todo o mundo, sendo 33 milhões com o Appetite for Destruction, que foi certificado 18 vezes platina pela RIAA (Associação da Indústria de Gravação da América) e se tornou o álbum de estreia mais vendido da história da música.


Entre os prêmios, o Guns recebeu o American Music Awards Single Pop / Rock Favorito (1989) e Artista de Hard Rock Favorito (1990,1991 e 1992), o MTV Music Video Awards (Welcome to the Jungle - 1988, Sweet Child O' Mine - 1989 e November Rain, 1992), além do World Music Awards de Artista Hard Rock com mais vendas no mundo, em 1992.


Shows pelo Brasil


No auge da banda e em sua formação clássica, Guns N' Roses veio ao brasil pela primeira vez, para se apresentar na segunda edição do Rock in Rio, que foi feito num período de férias e com os direitos televisivos da Globo, numa época de poucos canais. 

A transmissão feita no Fantástico expôs a banda para um nível nacional inumerável e fundiu de vez a popularidade de Axl Rose e companhia no Brasil. Para 100 mil pessoas. 

Em seu livro, Slash comentou sobre essa noite histórica: "Acho que nunca tinha visto um público tão enlouquecido pelo Guns N' Roses. Quando tocamos o refrão de Paradise City, pessoas mergulharam da fileira mais alta do estádio, dando a impressão que saltavam para a morte. Não há palavras que possam fazer jus ao grau de intensidade delas. As fãs acampavam na porta do nosso hotel em tamanha quantidade que não conseguíamos sair. Não podíamos sequer descer até a piscina, porque, quando o fazíamos, de algum modo as pessoas se lançavam por cima do muro de quatro metros e meio, corriam e avançavam sobre nós. Não queriam nos machucar, mas, com certeza, adorariam arrancar um pedacinho de nós para guardar de lembrança, se pudessem. Foi bizarro, não podíamos deixar nossos quartos, e nossas esposas, ou namoradas, ou quaisquer mulheres vistas em nossa companhia, eram provocadas e ficavam juradas de morte por essas nossas fãs enlouquecidas"


O Guns se apresentou por duas noites, que podem ser assistidas abaixo:





No ano seguinte, Guns N' Roses voltou ao Brasil pela Use Your Illusion Tour, esperando repetir a belíssima passagem do Rock in Rio, porém (combinado ao nome da tour) isso foi apenas ilusão.

O show começou com Welcome to the Jungle, levando o público à loucura e começando também os problemas no show.
Primeiro Axl interrompeu o show por causa de uma pancadaria no público, depois chamou um interprete para falar mal da imprensa brasileira (que estava perseguindo Axl) e ofereceu para nós "Double Talkin’ Jive", para finalizar, o público atirou objetos no palco, acertando Axl e Matt, que decidiram encerrar a primeira noite de shows.

Na segunda noite de shows, Axl voltou mais tranquilo e, debaixo da chuva, conseguiu apresentar todo o repertório da banda para o público presente. Depois ele foi para o RJ, escolhendo Knockin' On Heaven's Door para finalizar o show, com Axl se despedindo e saindo do palco.


Toda a história da Use Your Illusion Tour pode ser lida no Axl Rose Fã Clube.




Com a turnê acontecendo desde o Rock in Rio II (1991), voltando para cá em 1992 e ainda tocando seis meses depois na Argentina, ninguém que o show nos vizinhos seria o último, em 23 anos, da clássica formação da banda.

Diversos problemas de estúdio entre 1994/99, fizeram com que um "novo" Guns N' Roses, tendo apenas Axl como membro original, fosse criado. Em 2001, Axl, Dizzy, Tommy, Robin, Paul, Buckethead, Brain e Chris Pitman se apresentaram para 240 mil pessoas, trazendo cinco músicas novas e uma versão rockeira de "Sossego" (Tim Maia).


Foto: MRossi
Em 2010, foi anunciado um show do Axl Rose e companhia + Sebastian Bach como banda de abertura. O que podemos esperar? Um showzaço, certo? Errado
Marcado para Axl subir no palco às 21h30, hora que nem a banda de abertura ainda tinha começado. Guns 'N Roses, banda principal, subiu no palco com 3h10 de atraso e disse "se vocês querem foder com o show, não tem problema. Eu e os rapazes podemos ir embora", após uma garrafa ser atirada no palco.
No show em si, som péssimo e voz inaudível marcaram o show no antigo Palestra Itália. Apesar disso, a banda fez um show longo, com 25 músicas no repertório.

No ano seguinte, "a banda do Rock in Rio" (estiveram no RiR II e IV) voltaram para o Rio de Janeiro se apresentaram pela terceira vez num maiores festivais do país. Como já vimos em outros dias, atraso e chuva foram marcas registradas do shows do Guns N' Roses, tanto na formação clássica, quanto nos shows entre 2001-2013 em nosso país e no Rock in Rio 2011 não foi diferente.
Com 1h30 de atraso e um show de 2h, Axl Rose subiu no palco com uma capa de chuva amarela, óculos escuros e chapéu, rendendo muitos memes "pica-pau nas cataratas". 


No show, a banda fez praticamente um cover de si mesma, já que não apresentava músicas novas desde Chineses Democracy até o Ashba até imitava Slash com a cartola e o cigarro no canto da boca. Com o palco molhado, ele ficou mais parado no palco, longe dos movimentos elétricos dos anos 90 e, com isso, o público focou mais em sua voz, o agudo rasgado característico apareceu somente no começo da apresentação e nas faixas mais lentas. Nas mais pesadas ele se poupou, preferindo o grave. Mas, para compensar, "Estranged", do álbum "User your illusion II", foi tocada pela primeira vez em 18 anos.

Após o show, Medina falou que a banda demonstrou  "falta de comprometimento" e "desrespeito aos fãs. Logo depois, a própria emitiu um comunicado, justificando que os atrasos deram por conta da banda anterior não ter acabado até 1h15 e ter desmontado os equipamentos a´s 1h45, também foi dito que a produção esta pronta às 2h15 e Axl pronto para subir no palco desde às 1h. Todos esses problemas fizeram Medina jurar que a banda nunca mais voltaria para o festival, onde estarão de volta mês que vem, em sua formação clássica.

Três anos depois, Guns voltaram para 9 shows entre os dias 20/03-17/04, passando por RJ, MG, DF, SP, PR, SC, RS, PE e CE. Fazendo a tour mais longa da banda pelo país, tivemos Axl com chapéu de cangaceiro em Fortaleza, pedido de casamento diretamente do palco em Florianópolis, shows praticamente pontual Curitiba e em MG fez parte do festival Planeta Brasil.

Ao longos dos shows entre 1991 e 2014, vimos shows na chuva, objetos jogados no palco atrasos imensos, brigas com produções e diversas coisas que pareciam ser marca registrada da Axl Rose, mas tudo mudou quando uma grata surpresa foi dada para os fãs: A reunião de Axl Rose, Slash e Duff.
O sonho de diversos fãs novos da banda, que achou que nunca mais veria os três ao vivo, estava sendo realizado e junto com isso, teria Axl Rose tomado juízo de vez? Considerada a "reunião do século", eles deram o nome de "Not In This Lifetime Tour", brigando com quem dizia que não veria o trio junto nessa vida.


Apesar do nome ser uma brincadeira com quem duvidava, os paulistas puderam ver um Axl Rose pontual, com um vocal excepcional, Slash e Duff em sintonia perfeita. Se em outros anos, tivemos diversos problemas de atraso, voz e outros, agora Axl se mostra mais profissional do que nunca, fazendo um show de 2h30, mas que poderia facilmente ser transformada em 3h ou 4h, mostrando todo o seu vigor físico, arriscando dancinhas, indo de uma ponta do palco para outra, para a plataforma central, escadas de fundo, simplesmente não parava por um segundo, agradando público de todos os lados do estádio, principalmente da pista Premium, local mais perto do palco.

Não ficando preso somente em seus hits, a banda ainda apresentou versões de Paul McCartney, Wish You Were Here (Pink Floyd) é cantada num trio de vozes entre Slash, Richard Fortus e o público. Axl ainda assume o piano e toca a parte instrumental de Layla (Eric Clapton), seguida de November Rain, justamente quando cai chuva no estádio e ainda acontece uma homenagem linda, mesclada de luzes de celular e bexigas vermelhas.

Mesmo o setlist oficial mostrando a palavra "encore", o show ocorreu de forma ininterrupta, tendo em seu final Don't CryThe Seeker (The Who), Paradise City e uma versão de Everybody Knows (homenagem a Leonard Cohen, que faleceu na semana do show).

Um anos depois, teremos a chance de ver esse trio de novo, além de possíveis participações, numa noite que ainda terá Alice Cooper. Ainda não garantiu seu ingresso? Confira serviço abaixo:

Horários: Portão: 16h
Alice Cooper: 19h15
Guns n´ Roses: 21h
 
Ingressos                                Inteira                        MeiaPista Premium                       R$780,00                    R$390,00
Pista                                        R$390,00                    R$195,00
Cadeira Nível 1                      R$550,00                    R$275,00
Cadeira Nível 2                      R$300,00                    R$150,00



Postar um comentário

 
Top