Millena Kreutzfeld Millena Kreutzfeld Author
Title: Läjä Records comemora 20 anos com festival em SP e ES
Author: Millena Kreutzfeld
Rating 5 of 5 Des:
Para o underground da música nacional, a Läjä Records possui um papel fundamental. Selo capixaba responsável por lançamentos como Mukeka Di...
Para o underground da música nacional, a Läjä Records possui um papel fundamental. Selo capixaba responsável por lançamentos como Mukeka Di Rato, Merda, Lomba Raivosa, Water Rats, Os Pedrero, Lo-Fi, entre outros nomes, comemorou os 20 anos ininterruptos de trabalho em apoio à música. 

Em São Paulo, a festa aconteceu em pleno feriado (15), no Jai Club na Vila Mariana e contou com a participação das bandas Retirante Cósmico, Water Rats, Merda, Facada e Motosierra.



Com início por volta das 18h, Retirante Cósmico, projeto de Rafael Moraes, nos apresentou uma sequência de músicas com influências de jazz, guitarrada, rock psicodélico, lambada e mais em um caldeirão de canções instrumentais. Mesmo sendo um dos estilos mais diferentes da noite, Rafa Moraes animou muitos com o single Lua Preta.


Foto por Camila Licciardi
Logo após, foi a vez dos paulistas e catarinenses do Water Rats - formado por Capilé, Bi Coveiro e Pedro C. - quebrarem tudo no palco, e claro, a sequência da noite só nos mostrou que a quebradeira e rodinhas seriam as coisas mais comuns da noite.
Apesar da apresentação rápida com 19 músicas e uma pequena pausa, o quarteto contou com a participação do baterista André Dea e esquentou bem a noite para as bandas seguintes. Water Rats tocou música como Worms, Forever Vacation, Dark Matter, Not My President, Humans Let Me In, Hellway to High, Rat Trap, Man Whores, Mad Dog, Fuck, Butterfly entre outras músicas.

Foto por Camila Licciardi
Merda, banda de Mozine, Rogério Araújo e Alex Vieira, nos trouxe o melhor do hardcore e do sarcasmo. Com letras absurdas e engraçadas, o trio tocou 25 músicas, cuja quantidade passou despercebida pela velocidade e entusiasmo que os fãs e a banda cantavam. Músicas como Bipolar, Eu, Junim e a Garrafa de Conhaque, Eu Não Frequento, Parabéns pra Você, O Diabo Está Sempre Ao Meu Lado, E.S.P.P.N.S.C, 7x1, Maradona, Máquina do Tempo, Roqueiro Reaça, Neymar, Sandrinho, Fonte da Coca Cola e outras embalaram diversas rodinhas e fãs animados que subiram ao palco pra cantar.

Facada, formado por Ari, Danyel, Dangelo e James ofereceram o melhor do grindcore da noite, sem pausas, cru, pesado e rápido, foram um dos mais agitados da noite. A banda ainda homenageou o Mozine, criador do selo e do festival ao cantar Maconha, da banda Mukeka Di Rato.


Foto por Camila Licciardi
Os uruguaios do Motosierra finalizaram o festival de forma insana para os paulistas. Como eles mesmos se definem, a banda mais perigosa e divertida da América do Sul nos provou isso, com certeza. Há tempos não passavam aqui pelo Brasil e parecem ter matado a saudade. Músicas como Violator, Rocket, Holocausto, La Marcos, Updated, Arder, Pelukao, Cocaine, Fuck, Scorpio e Black foram tocadas. A apresentação da banda ainda contou com a participação de Khalil Mubarak, da banda Polenta, também uruguaia, durante a música Se Acabó el Confort que você pode conferir a seguir:



Neste último sábado, a festa aconteceu em Vila Velha, e contou com as bandas Lomba Raivosa, LO-FI, Leptospirose, Deb and the Mentals, Os Estudantes, Water Rats, Facada, Muddy Brothers e Motosierra, além de duas locais que venceram concurso para estar lá: Blackslug Whatever Happened To Baby Jane.

Você pode conferir mais fotos aqui.

Postar um comentário

 
Top