Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Meritocracia? Doctor Pheabes explica como consegue abrir grandes shows
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Como uma banda que nunca foi vista em festivais pequenos, shows solo, TV's, radio e outras coisas do tipo conseguem abrir tantos sh...


Como uma banda que nunca foi vista em festivais pequenos, shows solo, TV's, radio e outras coisas do tipo conseguem abrir tantos shows grandes e tomar o local de tantas bandas boas e que de fato mereciam abrir show de seus ídolos e que muitas vezes são até do mesmo estilo e influências? A resposta foi dada essa semana no G1, durante a semana que a banda se apresenta pela segunda vez no Lollapalooza, terceiro grande festival que participam, já que tocaram também no Rock in Rio e se tornaram a única banda que participou de ambos festivais, na edição brasileira.

Não tendo a música como profissão principal (ao contrário do que muitas dessas bandas boas do rock atual têm ou tentam ter), os caras da Doctor Pheabes tem a banda como um verdadeiro hobby, já que um deles é geriatra, outro é executivo e dois são dentistas.


A banda, que tem uma página no facebook com 80 mil seguidores, recebeu muitas criticas quando foram anunciados em shows como Rolling Stones, Black Sabbath e outros eventos da lista que também inclui Guns N' Roses e o Monsters of Rock. Se muitas pessoas criticam os anúncios feitos nas páginas dos eventos, elas também se aproveitam e tentam ganhar o ingresso que a banda costuma ganhar para cada um desses shows e faz sorteio no Facebook, usando também como forma de marketing, para ganhar seguidores e, quem sabe fãs da banda.


Em entrevista ao G1 (leia matéria completa aqui), a banda confirmou as especulações de que entravam nos shows pelo motivo de patrocinarem eles: Dois membros fundaram a Prevent Senior, hospital oficial dos grandes eventos nacionais e, por isso, ganha espaço de tocar, por brincadeira, em eventos que muitas bandas que lutam de fato deveriam estar.


O primeiro show  da banda foi em 2013, na sede da empresa e brinca que 'todo mundo gostou e ninguém mandou eles irem embora' (Fernando é o CEO da empresa), no mesmo ano, já com o mesmo método dos outros shows, chegaram ao Monsters Of Rock (que teve Slipknot, Korn, Aerosmith, Whitesnake e outros).


Ao contrário do que aconteceu com Cachorro Grande ao abrir pros Rolling  Stones e com Plebe Rude ao abrir para o Guns N' Roses (2014/16), que foram aprovados/convidados pela banda para tocar no show (2014 seria a Sioux 66 e Clemente, ao conhecer a banda, disse que "ficou com dor no coração" de ter tomado o lugar deles), o líder da Doctor afirma que é "100% negócio" e as bandas, de modo geral, abrem por  patrocinarem ou por conhecerem quem está fazendo o show. Ele também  acrescenta que  na Europa/EUA é normal as bandas pagarem pra poder fazer shows de abertura: "Você paga. Merece ou não merece? Se você tiver dinheiro, merece".


Eduardo ainda diz que o formato  
de negócio deles possibilitou isso, e outras bandas conseguiram de outras formas, com padrinho de um lado, amigo de outro lado... Também vale, todos têm seu mérito". O irmão emenda: "É business".


Por serem patrocinadores dos eventos, eles acabam conhecendo os donos das produtoras, que dão preferência para quem patrocina e os convida para tocar nos shows. Apesar disso, obviamente, tirar o espaço de bandas menores e que aparecem nas rádios e TV's locais, Fernando acha que outros músicos não deveriam virar a cara para eles, já que para a banda "eles não são concorrentes" e estão "abrindo um espaço onde pode inserir outras bandas". Antes que você pergunte como vão inserir outras bandas, ele adiantou que vão criar um festival, com bandas nacionais, para montar um circuito, já que eles podem.

Mesmo com tantos shows grandes abrindo, a banda já recusou a tocar pois sabem que "coisa em excesso pode ficar ruim", além dos comentários acabarem denegrindo a imagem. Fugiram de "peixe-grande" como Rolling Stones em São Paulo, pela superexposição.

Postar um comentário

 
Top