Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Urbana Legion e Biquini Cavadão se apresentaram em São Paulo
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Nesta Sexta-feira (09/10) as bandas Urbana Legion (leia entrevista) e Biquini Cavadão se apresentaram em São Paulo, no palco do Tom B...

Nesta Sexta-feira (09/10) as bandas Urbana Legion (leia entrevista) e Biquini Cavadão se apresentaram em São Paulo, no palco do Tom Brasil, antigo HSBC Brasil.

Com "pontualidade britânica", a Urbana Legion começou o show de abertura às 22h, como previsto na programação do evento e nos ingressos, finalizando exatamente uma hora depois.

Fazendo um setlist reduzido, com cerca de metade do setlist, por ser uma banda de abertura, a música escolhida para começar foi Fábrica, que é iniciada com uma parte instrumental, ritmada pelos riffs feitos por Marcão Britto, seguindo com a música presente no disco Dois, lançado em 1986.



Seguindo com o show, as próximas músicas foram Teorema (do disco Legião Urbana), 1965 (do disco (Quatro Estações) e Eu Sei (do disco Que País É Este?).

Com arranjos musicais reformulados, a Urbana Legion deixa bem clara que não quer imitar a Legião Urbana, nem os seus integrantes. Dando um tom mais rock para cada nova versão executada no ao vivo, a escolha tanto do produtor  André Freitas, quanto da banda em deixar as versões o show da pegada rockeira fez sucesso, e caiu no gosto do público presente no local.


A primeira grande prova que o arranjo com uma pegada diferente caiu no gosto do público foi na música Ainda É Cedo, quando mesmo num local onde tendia para o público ficar mais quieto (tendo mesas e cadeiras no lugar de uma tradicional "pista") ele entoou em coro uma das músicas do primeiro disco da banda de brasília, sendo assim também em Há Tempos e Sete Cidades.

Já na metade do show, foi a vez de Andrea Doria, que  devido a grande quantidade de pessoas com a mesma opinião, ela é considerada a favorita dos Legionários.


Apresentando ao público o guitarrista Marcão Britto, para quem não conhecia ainda o mito do Charlie Brown Jr. e vocalista da Bula, foi a vez dele começar a música Tempo Perdido, que ainda teve nos vocais a participação de um garotinho de 9 anos, que estava presente na primeira fila de mesas, de frente para o vocalista Egypcio.

As últimas músicas do show foram: Geração Coca-cola, Acrilic On Canvas (única "Lado B" do show), Pais e Filhos e a saídeira com Que Pais É Este?

Atração principal da noite, por volta das 23h30 subia ao palco a banda Biquini Cavadão (formada por Bruno GouveiaCarlos CoelhoMiguel Flores Álvaro Birita), que logo anunciava o que veio a ser um dos shows da turnê de 30 anos da banda e também do DVD Me Leve Sem Destino, lançado em 2014.

Mantendo parte do setlist do DVD, o show começoo com o hit Tédio, lançado no disco Cidades em Torrente, primeiro disco da banda, que seguiu com É dia de Comemorar, apresentando a primeira música do disco Roda-Gigante, o mais recente da banda, lançado em 2013.

Uma das partes mais legais do show são os efeitos visuais, onde são exibidos clipes/artes de cada das músicas do show, baseadas pela letras, como foi na música citada acima, assim como todas as outras.
Após duas músicas, o show deu sequência com mais uma música do disco, que tem o nome homônimo Roda-Gigante.

Um dos novos lançamentos do Biquini Cavadão, a próxima música foi Livre, faixa que fala sobre a liberdade de expressão, e que antes de começar a ser tocada, mereceu o destaque e a atençãodo público para uma lei que está prestes a sair (POR FAVOR, PESQUISEM SOBRE!!) na qual não poderemos dar nossa opinião sobre um certo político, ou partido, que seremos julgados e condenados caso o mesmo não goste, a lei faz parte do Marco Civil da Internet.


Um dos novos lançamentos do Biquini Cavadão, a próxima música foi Livre, faixa que fala sobre a liberdade de expressão, e que antes de começar a ser tocada, mereceu o destaque e a atençãodo público para uma lei que está prestes a sair (POR FAVOR, PESQUISEM SOBRE!!) na qual não poderemos dar nossa opinião sobre um certo político, ou partido, que seremos julgados e condenados caso o mesmo não goste, a lei faz parte do Marco Civil da Internet.

Embalados por músicas de amor e grandes hits, o show teve uma sequência de arrepiar e emocionar cada um presente no local, com as músicas No Mesmo Lugar, Vento Ventania, Quanto Tempo Demora Um Mês e Entre Beijos e Mais Beijos.


Contando com participações, o show contou com Egypcio (Tihuana/Urbana Legion - leia entrevista) dividindo os vocais e Marcão Britto (Bula/Urbana Legion - leia entrevista) sendo o terceiro guitarrista do palco em uma música do Biquini, emendado com Proibida Pra Mim (hit do primeiro disco do Charlie Brown Jr.). Marcão ainda participou de uma Jam, no momento em que o guitarrista e baixista do Biquini tocavam trechos de diversos hits internacionais.

Encaminhando já para o fim, outros sucessos foram tocados, como o hit Zé Ninguém, Meu Reino e mais uma vez a música Tédio, contando antes dela, de uma época que os shows da banda eram bem curtos e eles tocavam Tédio no começo e no fim dos shows, algo que se repete na turnê de 30 anos, exibindo no telão um vídeo de um ao vivo da época de quando e banda foi lançada. Durante a música, foi citado para não aceitar imitações, falando algo indiretamente sobre a versão funk feita pelo Mr.Catra.


Nas últimas músicas, a galera saiu das mesas e foram para a frente do palco, algo que não havia ocorrido até então, mas no fim do show foi permitido pelos seguranças, no show ainda teve a pariticipação do menino de 9 anos (aquele do show da Urbana Legion), com o vocalista do Biquini ficando tão surpreendido pelo fato dele saber a letra, que saiu do palco, reverenciou o menino e deixou ele cantando um tempo, enquanto assistia um pouco da lateral do palco.



Ainda teve um momento que o vocalista desceu do palco, passou ao lado da mesa onde eu estava, e cantou junto com a galera, ficando de pé, numa cadeira, encerrando os diversos momentos memoráveis do show.

Postar um comentário

 
Top