Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Leia entrevista de Paul McCartney para a CBN Vitória
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Horas antes do show que fez na noite desta segunda-feira (10) no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, o eterno beatle Paul McCartney ...


Horas antes do show que fez na noite desta segunda-feira (10) no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, o eterno beatle Paul McCartney reservou alguns minutos de seu tempo para uma conversa, por telefone, com a Rádio CBN Vitória. Simpático, brincalhão e muito atencioso, Sir Paul conversou com a reportagem e falou sobre suas impressões sobre Vitória, seus rituais nas horas que antecedem os shows (“um pouco de malhação para acordar”) e surpreendeu ao cantar um trechinho de uma ópera quando perguntado se poderia dar uma canja para os ouvintes. 

Olá, Sir Paul! 
Tudo bem?

Tudo ótimo! Nossa cidade ficou muito mobilizada para recebê-lo. O que o senhor acha disso? 
É ótimo! Estou muito animado. Estou muito feliz de estar aqui pela primeira vez, é realmente legal, eu ouvi falar que o estádio é lindo e estou realmente animado para fazer uma festa em Vitória.

O que o senhor fez desde que chegou aqui? O que acha da cidade? 
É adorável. Ontem (domingo) nós saímos para jantar, em um restaurante local, e foi realmente ótimo, ouvi falar que é um dos cinco melhores restaurantes do Brasil e a comida estava tããão boa.

As pessoas estão te tratando bem? 
Sim, muito bem. Está lindo. Dormi como um bebê.

Sir Paul, o que podemos esperar de um show seu? 
Que todos se divirtam, que seja uma festa para todo mundo, nós queremos fazer todos felizes, incluindo nós mesmos.

Como o senhor escolhe as músicas do repertório? 
Normalmente eu tento manter surpresa, mas em tempos de internet nada é surpresa! Fazemos algumas músicas dos Beatles, dos Wings, algumas do novo álbum e outras músicas.

Seus shows têm duas horas e meia de duração e o senhor canta, toca e até dança. Como é a preparação? 
Essa manhã (de segunda-feira), por exemplo, acordei cedo, fui à academia do hotel... Nada demais, só um pouco de malhação para acordar, e agora estamos na rua. Primeiro fazemos uma passagem de som para ver se está tudo certo com os equipamentos e com a minha voz. Depois disso nós vamos fazer algumas coisas até ficar tudo pronto. Algumas coisas para ajudar minha voz, nada demais. Vira um ritual quando você faz isso o tempo inteiro. Não era para ser, mas é o que eu faço, sabe? Quando a banda está pronta a gente se reúne, faz um último ensaio e depois vamos para o palco, botar para quebrar.

Nós ouvimos falar que o senhor está tendo aulas de português. O senhor pode falar alguma coisa? 
Eu só sei falar algumas coisas como “bom dia”, “boa noite”, “obrigado”, “ótimo!”’ e “pocar!”.

O senhor gostou do “pocar”? 
Sim! Pocar, pocar! Vamos lá! Vou aprender mais palavras.

O senhor gosta de música brasileira? 
Sim, eu amo! Na Inglaterra, ouvir uma boa música brasileira é algo que tenho feito durante anos. A música moderna feita no Brasil também é muito boa e eu sei que tem muito reggae aparecendo agora. Os brasileiros adoram música e eu adoro o que eles tocam.

Conhece algum músico de Vitória? 
Não, devo confessar. Mas quem sabe eu consiga conhecer.

O senhor veio ao Brasil pela primeira vez em 2010. Por que o senhor demorou tanto para vir para cá depois de tantos anos de rock‘n’roll? 
Bom, geralmente quando alguém vem para o Brasil, a maioria das pessoas vai para o Rio de Janeiro, São Paulo, e nós fomos a vários lugares que tiveram Copa do Mundo, como Belo Horizonte, Porto Alegre, mas a verdade é que esperei meu agente dizer: “deveríamos ir para Vitória”. Eu disse: “É? Ok, vamos”. Então finalmente viemos.

E o senhor gosta de tocar em lugares pela primeira vez, certo? 
Eu adoro! Posso ver gente nova, me sinto como um turista. Ando pelos lugares e as pessoas em volta acenam para mim. É muito legal.

Sir Paul, podemos pedir que o senhor cante um pouquinho para a gente? 
(canta trecho de ópera) O que achou?

Muito legal! (risos) 
Isso vocês não esperavam, né?

Agradecemos muito pelo tempo do senhor e pela entrevista. 
Ok, obrigado! Por favor diga “olá” para todos os nossos ouvintes, mande meu carinho, diga a eles que teremos uma ótima festa. 

Fonte: Gazeta Online (Ouça entrevista)

Postar um comentário

 
Top