Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: O fim de uma Era: Paul McCartney fará último evento do Candlestick Park
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Foto: Jason Kempin Nesta Q uinta-feira , Paul McCartney vai fazer o último evento do Candlestick Park. A última vez que McCartney t...
Foto: Jason Kempin
Nesta Quinta-feira, Paul McCartney vai fazer o último evento do Candlestick Park. A última vez que McCartney tocou no local, em 29 de agosto de 1966, ele era um Beatle e a banda estava em sua turnê de despedida, embora os fãs não sabiam disso na época. 

A banda teve por anos por uma rotina constante de álbum-turnê-álbum, o paradigma da época. Eles já haviam lançado álbuns inovadores Rubber Soul e Revolver e queriam continuar a explorar os sons que ela estava criando no estúdio - sons que teria sido difícil, se não impossível, para reproduzir no palco com a tecnologia que estava disponível nos anos 60. Os membros da banda tinham o tempo, dinheiro e apoio para sair, então eles decidiram se retirar em silêncio - ou pelo menos o mais silenciosamente possível, dada a histeria e volume gerado por seus fãs.

A histeria em torno da banda foi, provavelmente, outra motivação para sair da estrada. Os Beatles não poderia ouvir uma nota que eles estavam tocanndo sobre os gritos da plateia, o que torna difícil transformar em uma performance de qualidade, apesar de uma fita amplamente disponível do show Candlestick, gravado pela imprensa de ligação da banda Tony Barrow, mostra a banda fazer o seu melhor.

A arena de esportes de São Francisco nunca foi concebido para ser uma sala de música. Ela foi mal concebida e propenso a fortes ventos e crises repentinas de umidade, nevoeiro de arrepiar. Na noite que os Beatles tocaram estava um tempo frio, nevoeiro e com muito vento, de acordo com o livro The Beatles: Off The Record. Candlestick tinha 42.500 lugares, mas apenas 25 mil ingressos foram vendidos, graças à polêmica gerada pelo comentário improvisado de Lennon ao jornal londrino Evening Standard que os Beatles eram mais populares que Jesus.

 


Os Beatles tocaram 11 músicas em cerca de 35 minutos e, em seguida, eles foram embora. Exceto pelo fato de que ele foi o último show oficial dos Beatles, a noite foi normal. Ao tocar o último show no Candlestick o local onde os Beatles fizeram seu último show, McCartney estará fechando o círculo de uma coincidência cósmica.

Voltando para 1966, foram os americanos que consideravam os Beatles uma escória. Shows estavam amarrados, fogueiras de discos dos Beatles fizeram notícia, e San Francisco era conhecida como a capital hippie dos Estados Unidos. Rock 'n' roll era sexy e ligeiramente perigoso. Hoje, a área da baía está no centro de um boom tecnológico, hippies não podem pagar as rendas, e McCartney parece um vovô simpático que se recuperou da perda de dois companheiros de banda e sua amada esposa Linda. Em 66, os ingressos para o show Candlestick valiam entre US $ 4,50 e US $ 6,50 (cerca de US $ 33 a $ 48 em dólares de hoje). Os ingressos para o show de quinta-feira valem entre$ 49,50 a $ 254,50 e McCartney provavelmente vai tocar para um público com ingressos esgotados.




O estádio foi reformado no início dos anos 70 para incluir o campo e reduzir o vento frio, mas ainda é um estádio esportivo, não é realmente um local agradável para um concerto de rock. Mas McCartney vem tocando música por mais tempo do que muitos de seus fãs estão vivos, e suas performances, especialmente dos sucessos dos Beatles, sempre iluminam o palco. Eles estão tão enraizados no DNA do mundo que uma única nota de "Lady Madonna" ou "We Can Work It Out" será sempre será o suficiente para uma euforia. É mágica ou saudade? Nesta fase do jogo, isso importa mesmo?

Se os set lists de shows recentes são qualquer guia, nesta quinta-feira você vai ouvir algumas músicas de novo, o seu álbum atual, bem como os sucessos dos Wings e dos Beatles, incluindo um trio de canções - "Paperback Writer", "Day Tripper" e "Yesterday"- que os Beatles tocaram na última vez que que se apresentaram no Candlestick, há quase 50 anos.
 

George Harrison e John  Lennonfizeram turnês com pouca frequência quando eles estavam vivos, e, enquanto Ringo e sua All Starr band tem uma agenda impressionante, seu set list raramente inclui mais de uma algumas músicas dos Beatles. Isso deixa McCartney, que tem está na estrada solo desde 1972 continuando o legado da banda vivo tocando os hits que marcaram uma geração e fez o rock uma forma de arte legítima.  
McCartney sempre foi um showman e, depois de todo esse tempo, sua voz e sua musicalidade ainda são top de linha

Fonte: SF Weekly

Postar um comentário

 
Top